Vinicius, embaixador da arte e do amor

Ricardo Kelmer 2010

A promoção póstuma do nosso mais querido diplomata faz a sociedade brasileira se livrar de um peso moral que carregava havia quatro décadas

Em 1969 o diplomata Vinicius de Moraes foi forçosamente aposentado, após 26 anos de serviços prestados no Brasil, Los Angeles, Paris, Roma e Montevidéu. A decisão do Itamaraty se deu no contexto do Ato Institucional no. 5, o famigerado AI-5, que a ditadura militar decretou pra conceder poderes extraordinários ao Presidente da República e suspender garantias constitucionais dos cidadãos. A alegação oficial era de que o comportamento boêmio de Vinicius não condizia com a carreira pública.

Na verdade a boemia foi apenas o pretexto. O que era realmente insuportável pra mentalidade ditatorial era ter, em seu quadro diplomático, um poeta da paz e do amor, artista de sucesso, homem popular e amado pelo povo. Vinicius não criticava abertamente a ditadura militar mas a paz, o amor, a liberdade e a alegria que exalavam de sua arte e de sua vida simplesmente não cheiravam bem aos militares.

Evidente que Vinicius ficou muito chateado pela exoneração, ainda mais com a justificativa que teria sido dada pelo governo do marechal Costa e Silva: “Precisamos limpar o serviço público desses bêbados, corruptos e homossexuais.” Mas ele não perdeu o bom humor. Conta-se que, ao reencontrar os amigos, Vinicius apareceu com uma garrafa de uísque debaixo do braço e foi logo dizendo: “Eu sou o bêbado, viu?”.

Autoexilar-se na Europa e juntar-se aos amigos que viviam lá – Vinicius até pensou nisso mas preferiu ficar no Brasil e continuar fazendo resistência política a seu modo, com sua arte e sua mensagem de amor e paz. Se oficialmente não era mais diplomata, na prática ele seguiu representando e divulgando a cultura brasileira pra velhas e novas gerações, no Brasil e no exterior, como nenhum diplomata jamais fez. Até que em 1980 ele deitou em sua banheira amiga e deixou-se morrer, vítima de um edema pulmonar. Ele se foi mas nos legou a herança de sua arte imortal e seu inspirador exemplo de vida.

Corta a cena pra 41 anos depois. Estamos agora em 16 de agosto de 2010. Nesse dia, em Brasília, numa cerimônia que conta com a presença de amigos e parentes de Vinicius, o presidente Lula assina sua promoção póstuma ao cargo máximo de embaixador, respondendo ao movimento popular que se articulara em pró da reabilitação e promoção de Vinicius. A imprensa de vários países noticiou o fato e certamente muitas garrafas de uísque pelo mundo foram abertas pra festejar a reparação histórica. Embora a exoneração tenha sido obra exclusiva de uns militares covardes e mal-amados, a promoção póstuma do nosso mais querido diplomata faz a sociedade brasileira se livrar de um peso moral que carregava havia quatro décadas.

E eu, que comecei a amar Vinicius em minha adolescência, ainda estou aqui vibrando e brindando de contentamento. Mais que poeta preferido, Vinicius de Moraes é um guia que ilumina meu caminho com seu radiante exemplo de vida. E foi pra homenageá-lo que criei, em 2009, o espetáculo Viniciarte – Vida, música e poesia de Vinicius de Moraes. Levar às pessoas a vida e a obra de Vinicius, com humor e emoção, é pra mim um grande prazer. Mas também é a melhor maneira que eu poderia encontrar de dizer:

– Obrigado, poeta. Parabéns, embaixador.

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

.

LEIA MAIS

> Viver como Vinicius viveu – Viver outra vez aquele frio na barriga que antecede cada subida ao palco, recitar seus poemas por aí e mostrar a grandeza do Vinicius homem e artista – putz, tem sido tão gratificante fazer isso!

> Vinicius, embaixador da arte e do amor – A promoção póstuma do nosso mais querido diplomata faz a sociedade brasileira se livrar de um peso moral que carregava havia quatro décadas

> O poeta embaixador (direitoshumanos.etc.br, 16.08.10)

.

VINICIARTE

Agenda de apresentações

– Vídeo com trechos do espetáculo

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer.
(saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

01- A crônica é maravilhosa. Vinícius deixa tudo mais apaixonado… Trazer o VINICIARTE pra Fortaleza seria uma ótima! Aline Alcoeres, Fortaleza-CE – ago2010

02- Adorei o texto. Bj. Raquel Brasil, Fortaleza-CE – ago2010

03- Adorei a cronica e repassei. Beijocas kelmericas. Ana Lucia Castelo, Newark – EUA – ago2010

04- Adorei a crônica! Mônica Burkle Ward, Receife-PE – ago2010

4 Responses to Vinicius, embaixador da arte e do amor

  1. Kelly Cristina disse:

    Concordo com a Aline, seria um verdadeiro gozo ter VINICIARTE aqui em Fortaleza! Abraços!

    Curtir

  2. Ascka disse:

    Confesso que a primeira vez que li Vinicius de Moraes senti uma pitada de boçalidade, um blefe romântico que me incomodou. Já li muita coisa boa dele, mas não consigo ainda ir do respeito ao apreço pelas obras dele.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: