Jesus e a pecadora do pé de goiaba

13/12/2018

JESUS E A PECADORA DO PÉ DE GOIABA

.
‒ Ei, mulher, o que tu tá fazendo trepada aí nesse pé de goiaba?

‒ Senhor Jesus!!! Não acredito!

‒ Eu mesmo. Em chaga e osso.

‒ Senhor, o Senhor é tão lindo…

‒ Te orienta, doidinha. É pecado imaginar conjunções carnais com o Filho do Homem.

‒ Eu vim me matar, Senhor.

‒ Nenhum motivo justifica tirar a vida que o bondoso Pai nos deu. Principalmente trepada num pé de goiaba.

‒ É que eu descobri algo terrível, Senhor. Eu sou a cara da Regina Duarte misturada com a Janaína Paschoal.

‒ Hummm…. De fato, é um bom motivo.

‒ O Senhor é tão lindo…

‒ Como é teu nome, pecadora?

‒ Damares, Senhor.

‒ Eu perguntei o nome, não o apelido.

‒ É Damares mesmo, Senhor.

‒ O caso é grave. Pera que eu vou subir aí.

‒ Não! O Senhor não sabe trepar em pé de goiaba!

‒ Que sabes tu das minhas capacidades trepadeiras, ô atordoada?

‒ Tenho medo do Senhor se machucar, já lhe machucaram tanto na cruz…

‒ Criatura, tu tá duvidando dos meus poderes? Por acaso não lestes na Bíblia que eu amaldiçoei uma figueira e a desgraçada nunca mais deu frutos? Se eu quiser, faço esse pé de goiaba dar açaí com granola.

‒ Açaí, Senhor?

‒ Muito mais lucrativo. Já viu o tanto de loja de açaí que tem por aí? Só perde pra farmácia. Aliás, lá em Fortaleza fizeram uma de três andares, parece uma igreja, é o fim do mundo.

‒ O Senhor vai subir de chinelo?

‒ De chinelo é fácil. Difícil é subir com essa túnica. Se minhas partes ficarem à mostra, tu olha pro outro lado, viu?

‒ Não posso garantir, Senhor…

‒ Pronto, cheguei. Afasta mais pra lá, pecadora.

‒ Senhor, e se o galho não aguentar?

‒ Mizifia vai rebentar a buzunfa no chão.

‒ E o Senhor?

‒ Eu saio voando, besta.

‒ Ó, Senhor, me leva com o Senhor pelos céus…

‒ Tu só pode ter fumado maconha estragada. Bora logo resolver essa parada, antes que algum apóstolo passe e me veja aqui do teu lado, ai, que vergonha.

‒ O Senhor é solteiro?

‒ Isso não vem ao caso. Promete que nunca mais vai tentar se matar?

‒ Prometo, Senhor.

‒ Ótimo. Agora, reze duzentos Pai Nosso e quinhentas Ave Maria.

‒ Misericórdia, Senhor.

‒ E só desce quando terminar.

‒ O que o Senhor vai fazer depois daqui, Senhor?

‒ Por acaso é da tua conta? Ah, mais uma coisa. Tu votou em quem?

‒ Bolsonaro, Senhor.

‒ Aumenta pra cinco mil Pai Nosso e dez mil Ave Maria. Pendurada de cabeça pra baixo.

‒ Senhor…

‒ O que é agora?

‒ Posso lhe pedir uma coisa, Senhor?

‒ Pede logo que tem um bicho da goiaba se aproximando e eu tenho pavor dessas coisas gosmentas da criação. Que nem tu.

‒ Senhor, meu sonho é ser ministra.

‒ Oi?

‒ Sim, Senhor. Do Ministério dos Direitos Humanos, da Mulher e da Família.

‒ Tu tá brincando…

‒ Falo sério, Senhor.

‒ Tô passado em Cristo.

‒ O Brasil precisa de mim, Senhor.

‒ Isso é impossível, criatura sem noção. Tu não tem um pingo do perfil necessário para o cargo.

‒ Mas, Senhor, para o Senhor, nada é impossível.

‒ Com exceção disso. Faz outro pedido, coisa gosmenta. E não precisa falar Senhor em todas as frases, que mania horrível.

‒ Bem… então…

‒ Não prefere ser motorista do Bolsonaro? Ganha bem mais.

‒ Eu quero arrumar um varão.

‒ Um varão?

‒ Bonito, alto, sensual…

‒ Deixa eu ver…

‒ … que nem o Senhor…

‒ Hummm…

‒ … temente a Deus, fogoso… só pra mim.

‒ Como é mesmo o nome?

‒ O nome do varão?

‒ Não. Do Ministério que tu quer.

.
Ricardo Kelmer 2018 – blogdokelmer.com

.

.
VEJA O VÍDEO do depoimento da pastora Damares:

.

.

LEIA MAIS NESTE BLOG

Segredos de família – O pai descobriu um terrível segredo de seu filho. E agora, o que pode acontecer com sua carreira política?

Entrevistando o candidato – Na entrevista, o candidato deverá responder a perguntas feitas pelo povo. Como se sairá?

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer (saiba mais)



Coligação da Arte e da Cultura

03/09/2018

04set2018

COLIGAÇÃO DA ARTE E DA CULTURA

.
O incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro foi a gota dágua. QUEREMOS CANDIDATOS COMPROMETIDOS COM A ARTE E A CULTURA!!!

> Esta é a campanha Coligação da Arte e da Cultura. O objetivo é cobrar dos candidatos um maior compromisso com a arte e a cultura do nosso país, em todos os níveis. Para participar, é só criar seu partido, como eu fiz, e divulgar sua “candidatura” entre os amigos. Se preferir, me envie mensagem para rkelmer@gmail.com, que eu faço seu panfletinho, digrátis.

.
Ricardo Kelmer 2018 – blogdokelmer.com

.

.

MAIS HUMOR

Entrevistando o candidato 01Entrevistando o candidatoNa entrevista, o candidato deverá responder a perguntas feitas pelo povo. Como se sairá?

Ser mulher não é para qualquer um – É dada a saída, lá se vai o trenzinho. Num vagão, as Belas, abalando nos modelitos, no outro, as Madrinhas, abalando com o isopor e o estojinho de primeiro-socorro

Aviso prévio de traição – A partir de hoje poderei te trocar por outra a qualquer momento. Basta que ela sorria pra mim e que me faça agradinhos. E me dê o que você nunca quis me dar

Bar do Araújo é a salvação – Espremido entre duas igrejas evangélicas, o Bar do Araújo é a última resistência dos ateus. E do bom humor

Suvinando priquita – Pois você acredita que tem mulher que suvina priquita? Parece mentira, mas é verdade

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer
 (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

 01-

 

> Postagem no Facebook


Entrevistando o candidato

02/09/2018

02set2018

Na entrevista, o candidato deverá responder a perguntas feitas pelo povo. Como se sairá?

ENTREVISTANDO O CANDIDATO

.
Sentado em frente ao apresentador de tevê, o candidato aguarda o início do programa de entrevista. Alguém no estúdio informa: “Entramos ao vivo em 5, 4, 3, 2, 1…” Toca a musiquinha do programa. O candidato olha para a câmera, sorri e faz um gesto com a mão imitando uma pistola. O apresentador começa:

‒ Candidato, primeiramente, quero agradecer, em nome da emissora, pelo senhor ter aceitado nosso convite para esta entrevista.

‒ Eu que agradeço.

‒ Neste primeiro bloco, o desafio consiste em testar o poder de síntese do candidato. O senhor deve responder a cada pergunta o mais resumidamente possível. São perguntas do povo, enviadas por pessoas simples.

‒ Estou pronto, pode mandar a primeira.

‒ Candidato, o senhor gosta de verdura?

‒ Muito. Inclusive, se eu for eleito, criança vai ser obrigada a comer verdura no café, no almoço e no jantar. Não comeu, vai pro pau-de-arara.

‒ Candidato, em caminho de rato, tatu caminha dentro?

‒ Ahn… Olha, sobre isso, quero avisar que vou legalizar o porte de arma, sim, e vai ser permitido caçar não só tatu, mas principalmente veado. Se um veado for visto andando solto aí pela rua, poderá ser abatido a tiro por qualquer cidadão de bem.

‒ Se o senhor for direto por essa rua, vai dar onde?

‒ Ahnn… veja bem… O problema do trânsito nas grandes cidades é culpa desse pessoal comunista que só sabe dirigir na faixa da esquerda. No meu governo todo mundo vai ter que dirigir pela direita, entendeu?

‒ Dizem que o senhor conta muitas piadas para os amigos. O senhor não tem medo de ficar queimado na rodinha?

‒ Medo de quê?

‒ De ficar queimado na rodinha.

Candidato pensa.

‒ Olha… Eu só tenho medo é de mulher feia. Aliás, mulher feia é a desgraça da humanidade, não serve pra nada. Nem pra ser estuprada.

‒ O senhor concorda com a seguinte afirmação: Se é para falar besteira, é minhoca lá?

‒ Sim… claro. Mas não nos calaremos diante da pedofilia nos museus. Chega dessa pouca vergonha. Liberdade artística é o caralho. Aliás, vou mandar fechar os museus e transformar tudo em igreja. Deus, pátria e família!

‒ O senhor prefere café de máquina ou o senhor acha que no coador é mais forte?

‒ Café de máquina. Inclusive, no meu governo vou transformar esses quilombos em lavoura de café. Esses afrodescendentes aí, tudo gordo, bando de macumbeiro, só fumando maconha… Essa moleza vai acabar, pode escrever.

‒ Se o senhor fosse caminhoneiro e precisasse transportar madeira para as cidades de Tupi e Juá, o senhor levaria madeira até em Tupi ou levaria até em Juá?

‒ Bem… eu… Vem cá, essas perguntas foram enviadas por quem?

‒ Por várias pessoas.

‒ Hum. Olha, caminhoneiro macho pega qualquer serviço. E tem mais. No meu governo, mulher que ganhar mais que homem vai ter que pagar imposto maior, pra compensar que engravida.

‒ Se o senhor fosse feirante e vendesse abacaxi, por quanto sairia a sua rodela?

‒ Minha o quê?

‒ Sua rodela.

Silêncio. Candidato desconfiado.

‒ No meu governo… eu… Mas que pergunta é essa?

‒ O senhor tem o direito de não responder.

‒ Eu não vou responder a essa pergunta.

‒ Ok, prosseguindo. Se o senhor e eu fôssemos caçar no mato, e o senhor pegasse um avestruz e eu um tucano, o senhor se importaria de ir na frente com o avestruz e eu com o tucano atrás?

Silêncio. Candidato muito desconfiado.

‒ O senhor quer que repita?

‒ Não precisa. Próxima pergunta.

‒ O senhor tinha uma galinha que se chamava Xu. Quando ela ficava grávida, o senhor acha que Xu paria um ovo ou Xu paria um pinto?

Silêncio. Candidato vermelho de raiva.

‒ Tempo esgotado, candidato. Vamos à próxima pergunta.

‒ Não vamos porra nenhuma! Que merda de entrevista é essa?

‒ Como falei, são perguntas enviadas por pessoas de…

‒ Vai tomar no cu, ô pederasta safado! Por isso que eu digo que o erro da ditadura foi torturar e não matar! Acabou a entrevista.

Candidato levanta da cadeira, arranca o microfone da roupa e sai, espumando de ódio.

‒ Candidato, me desculpe se eu lhe machuquei por dentro… É que eu sou muito cabeça dura.

‒ Sua sorte é que eu não estou armado agora! Bando de comunista desgraçado!

‒ Já que o senhor vai mesmo embora, mando um abraço para o senhor e para quem for da sua família todinha.

Candidato sai do estúdio, mas seus berros são ouvidos.

‒ Fascista é a puta que te pariu! Desaparecidos do Araguaia é o caralho, quem procura osso é cachorro!! Direitos humanos pra humanos direitos!!! Eu sou capitão do Exército, minha missão é matar!!!! Pinochet devia ter matado mais gente!!!!!

.
Ricardo Kelmer 2018 – blogdokelmer.com

.
.

FALARAM POR AÍ

Gente de Mídia – Blog do jornalista Nonato Albuquerque

.

.

MAIS HUMOR

Segredos de famíliaO pai descobriu um terrível segredo de seu filho. E agora, o que pode acontecer com sua carreira política?

Ser mulher não é para qualquer um – É dada a saída, lá se vai o trenzinho. Num vagão, as Belas, abalando nos modelitos, no outro, as Madrinhas, abalando com o isopor e o estojinho de primeiro-socorro

Aviso prévio de traição – A partir de hoje poderei te trocar por outra a qualquer momento. Basta que ela sorria pra mim e que me faça agradinhos. E me dê o que você nunca quis me dar

Bar do Araújo é a salvação – Espremido entre duas igrejas evangélicas, o Bar do Araújo é a última resistência dos ateus. E do bom humor

Suvinando priquita – Pois você acredita que tem mulher que suvina priquita? Parece mentira, mas é verdade

Postagem no Facebook 1

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer
 (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

 01- Parabens, Kelmer. Muito bem construída a crônica. Triste é a realidade a que faz referência. Compartilharei o texto. Abraços. Janailson Macêdo, Capina Grande-PB – set2018

02- Genial. Fabio Fernandes Cruz, set2018

03- Excelente!!!!! Yalis Cardoso, Fortaleza-CE – set2018

04- Inteligente e divertido como sempre! Saudade do amigo! Abraço. Cesar Venezianni, São Paulo-SP – set2018

05- Olá xuxu tudo bem? Saudade de tu. Que será desse nosso Brasil hein… Beijos. Sandra Xavier, São Paulo-SP – set2018

06- Grande RK! Essa é a entrevista que eu queria ver. Perguntas certas para esse inominável de direita. Bom demais! Obrigado pelo envio e uma abraço do
Leite. José Leite Jr., Fortaleza-CE – set2018

07- https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10209830090429000&id=1834717399. Caetano Barros Filho, set2018

08- Muito bom! Fernando Vasqs, São Paulo-SP – set2018

09- Adorei, Kelmer!!! Muito bom! Fernanda Nascimento, Fortaleza-CE – set2018

10- Sensacional, o texto é claro. Sandra Duarte, Fortaleza-CE – set2018

11- Kkkkk…..consegui até ouvir a voz deste louco e ver as expressões …kkkkkk. Alessandra Schiarantolla, set2018

12- “ Muito bem bolado “!! Luce Galvão, Fortaleza-CE – set2018

13- ótimo, kelmer… abrssss. Arnaldo Afonso, São Paulo-SP – set2018

14- hahahahaha. Mônica Paiva Barbosa, set2018

15- Kkkkkkk muito bom. Rogerio Brito Correia, set2018

16- 😆 🤣 😂 👏 adorooooo. Luana Braga, Fortaleza-CE – set2018

17- 😂 😂 😂 😂 😂… Paola Braul Décaillet, Canoa Quebrada-CE – set2018

18- Muito bom. Faltou só a pergunta “candidato, o sr. gosta de correr ou só caminha?” Pedro Henrique Vieira Costa, Fortaleza-CE – set2018

19- Kkkkkkkkk rindo até as eleições. Pq no dia só vai dar vontade é de chorar. Às vezes parece que eatamos numa parada surreal. O q mais me assusta nem é o tal do Bolso mas a qtdade de pessoas que pensam como ele… Aline Cerqueira, set2018

20- to amando essa nova série! Clarisse Ilgenfritz, Fortaleza-CE – set2018

21- Kkkkkk. Iracema Manoel Fonseca, Fortaleza-CE – set2018

22- Esquerdista vagabundo ! Marta Anita, Belo Horizonte-MG – set2018

> Postagem no Facebook


Segredos de família

16/07/2018

16jul2018

O pai descobriu um terrível segredo de seu filho. E agora, o que pode acontecer com sua carreira política?

SEGREDOS DE FAMÍLIA

.
A câmera mostra a sala do apartamento. Na janela, Jair olha o movimento da rua lá embaixo. Um homem mais jovem entra na sala.

– O senhor que falar comigo, pai?

– Quero. Sentaí.

– Pai, eu…

– Sentaí, caralho! Eu estou mandando.

O filho senta no sofá, apreensivo. Jair fica em pé, em frente a ele, de braços cruzados.

– Que merda foi aquela, Dudu?

– Desculpa, pai, foi sem querer…

– Como sem querer? Como é que o filho curte “sem querer” a foto do maior inimigo político do pai?

– Desculpa.

– E logo aquela! O Lula lá, na praia…

– Lula lá?

– Eu disse Lula lá? Apague isso. O elemento lá, na praia, só de calção, calção vermelho, enfrentando as ondas, todo garboso, impávido…

– Colosso…

– Heim?

– Lembrei do hino nacional.

Jair passa a mão no rosto, tentando manter a calma.

– Primeiro, seu irmão desmaia naquele debate com candidatos à prefeitura. Foi uma vergonha descomunal para nossa família. Quem desmaia é mulher, caralho! Homem aguenta o tranco. E agora você me vem com essa.

– Já descurti a foto.

– Mas o estrago está feito. Vão explorar isso ao máximo na campanha presidencial.

– Tenho uma ideia, pai. Por que o senhor não posta uma foto sua, de sunga na piscina? Aposto como vai ser muito mais sexy que a dele.

– O quê? Você acha aquela foto sexy?

– Não, não… Não quis dizer isso…

– Dudu, eu estou preocupado com você.

– Foi sem querer, eu já disse.

– Estão dizendo por aí que você…

– Eu o quê?

– Que você é…

– Sou o quê, pai?

Silêncio.

– Você é, Dudu?

Silêncio.

– Dudu, responda, eu estou mandando. Você é ou não é?

Pai e filho se olham. O clima é tenso. Um carro passa na rua tocando I Will Survive.

– O senhor quer saber a verdade?

– Quero.

– Se eu disser, qual será o meu castigo?

– Não se preocupe, você não merece ser estuprado. Apenas me diga a verdade.

– O senhor não prefere uma verdade assim tipo uma verdade maquiada?

– Verdade maquiada?! – O pai levanta do sofá, com raiva. Saca um revólver da calça e o põe sobre a mesa ao lado. – Dudu, seja macho e responda. Eu estou mandando. Você é ou não é?

Dudu rói as unhas, nervoso. Olha para o pai, para a arma, para o pai.

– Sim, pai, eu sou.

Jair desmorona, sentando no sofá, as mãos escondendo o rosto.

– Não posso acreditar…

– Desculpa, pai. Não posso evitar de ser o que sou.

– Eu sabia que devia ter te dado mais porrada.

– Por favor, não fale isso.

– Desde quando você é assim?

– Acho que… desde sempre.

– E pensar que cheguei a te oferecer para aquela jornalista que me entrevistou…

Jair olha para o revólver.

– Não vou conseguir conviver com esse desgosto para o resto da vida…

– Pai, isso não é o fim do mundo. Muitas famílias convivem com essas diferenças.

Jair se levanta, pega o revólver e o aponta para a própria cabeça.

– Não faça isso, pai!

– Eu não vou passar pela vergonha de ter um filho veado.

– Como assim? O Flavinho é veado?

– Claro que não. Veado é você.

– Eu? Mas eu não sou veado.

Jair abaixa a arma, confuso.

– Você não é veado?

– Claro que não.

– Se você não é veado, por que curtiu aquela foto do Lula?

Silêncio.

– Vamos, diga. O que você tem com o Lula?

– Quer saber mesmo, pai?

– Fala logo, caralho.

– Eu sou… eleitor do Lula.

Silêncio. Eles se olham. Jair olha para a arma em sua mão, olha para o filho.

– Ufa, que alívio! – diz ele, sorrindo, pondo a arma sobre a mesa. – Me dá um abraço, filhão!

Dudu se levanta e eles se abraçam. Jair perfila o corpo, faz o gesto militar de continência e o filho o imita. Jair vai até o armário, pega uma garrafa de uísque e serve duas doses.

– Isso merece uma comemoração.

Eles brindam e bebem. Jair senta no sofá, e o filho o acompanha.

– O senhor me perdoa, né, pai?

– Positivo. Será um segredo nosso.

– Fique tranquilo, ninguém mais saberá.

– Mas aquele pôster do Lula lá na parede…

– Lula lá?

– Desculpe. Aquele pôster em seu quarto… Isso já acho um pouco exagerado.

– O senhor viu, foi?

– Bem escondido por trás do meu, mas eu vi.

– Vou tirar.

– Não, pode deixar, ninguém vai descobrir.

Jair toma um gole de uísque. Está pensativo.

– Está tudo bem?

– Filho… Também tenho um segredo para contar.

– Acho que eu já sei, pai.

Jair toma mais um gole. Está nervoso.

– Eu também quis curtir aquela foto. Quis muito.

– Eu já imaginava.

– Só Deus sabe como me controlei.

– Entendo perfeitamente.

– Não aguento mais esse teatro todo.

– Pobre pai…

– Você acha que devo desistir da candidatura?

– Se o senhor realmente é eleitor do Lula, acho que é melhor, sim.

– Na verdade, não é bem por isso.

– Não?

– Não.

– Então o que é?

Silêncio. Pai e filho se olham. Sentados no sofá, eles se abraçam. A câmera desliza suave pelo ambiente e mostra o revólver sobre mesa, ao lado do copo com uísque. Um carro passa na rua tocando I Will Survive.

.
Ricardo Kelmer 2018 – blogdokelmer.com

.

.

Ilustração: Gilmar

.

A CURTIDA

O perfil de Lula no Instagram postou, em 13.07.18, uma foto de Lula na praia, que foi curtida pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do também deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República. O fato foi imediatamente explorado nas redes sociais e pela imprensa, e minutos depois Eduardo Bolsonaro desfez a curtida. Mas já era tarde…

Notícia no Jornal do Brasil
..

.


MAIS HUMOR

Entrevistando o candidato 01Entrevistando o candidatoNa entrevista, o candidato deverá responder a perguntas feitas pelo povo. Como se sairá?

Ser mulher não é para qualquer um – É dada a saída, lá se vai o trenzinho. Num vagão, as Belas, abalando nos modelitos, no outro, as Madrinhas, abalando com o isopor e o estojinho de primeiro-socorro

Aviso prévio de traição – A partir de hoje poderei te trocar por outra a qualquer momento. Basta que ela sorria pra mim e que me faça agradinhos. E me dê o que você nunca quis me dar

Bar do Araújo é a salvação – Espremido entre duas igrejas evangélicas, o Bar do Araújo é a última resistência dos ateus. E do bom humor

Suvinando priquita – Pois você acredita que tem mulher que suvina priquita? Parece mentira, mas é verdade

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer
 (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

 01-

 

> Postagem no Facebook


Protegido: As taras de Lara – Como não perder a virgindade (VIP)

18/04/2018

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


As taras de Lara – Como não perder a virgindade

18/04/2018

18abr2017

Lara decidiu finalmente perder a virgindade

AS TARAS DE LARA – COMO NÃO PERDER A VIRGINDADE

.
A ideia foi da amiga Didica. Por que as duas não perdiam a virgindade juntas, com o Jorge? Sim, com o Jorge, que era da família, de confiança, e afinal Lara já transava com ele havia cinco meses, não seria muita novidade. Só fizeram anal, é verdade, por conta do pavor que Lara tinha de engravidar, mas agora seria pela frente. E adeus time das virgens, ufa!

– Até que não é uma má ideia… – respondeu Lara, considerando que sendo as duas juntas, se sentiriam mais seguras. E nossa menina fez as contas: um mês que não transava, um mês!, tempo demais, já passava da hora.

Então combinaram que convidariam Jorge para ir ao cinema, um inocente cineminha, mas no caminho anunciariam que o que queriam na verdade é que ele fosse o primeiro homem delas, e naquela noite. Ele certamente não recusaria tão nobre missão.

Durante dias, Lara preparou-se para a grande noite. Pesquisou informações em dezenas de sites, para se assegurar de que não engravidaria. Comprou lingerie nova. Até cortou o cabelo. Finalmente saberia o que é ter um pau na buceta. Poderia ser ainda mais prazeroso que no cu?

Conforme o combinado, às oito da noite Jorge parou o carro em frente ao prédio de sua prima Didica e aguardou. Cinco minutos depois, Didica e Lara desceram. Os vestidos curtos, os sapatos de salto e a maquiagem forte lhes davam uma aparência de mais velhas. Pegariam a sessão das nove, um filme de comédia. Dez minutos depois, porém, no meio do caminho, Lara informou, muito séria, que não iriam para cinema coisa nenhuma. Que ele tomasse o rumo do Sabrina´s Motel.

De tão surpreso, Jorge quase bateu o carro. Gaguejou um pouco, dizendo que não sabia chegar lá, mas Lara mostrou o mapa na tela do celular, não tinha erro, só seguir as indicações. No banco de trás, Didica, envergonhada, se esforçava para não rir. Quando chegaram ao Sabrina´s, Jorge ainda não acreditava em sua sorte. Ele parou o carro em frente ao guichê da portaria e baixou o vidro. Olhou a tabela de preços e pediu a suíte mais barata.

– Não! – protestou Lara. – Queremos com hidromassagem. E tudo que tiver direito.

Resignado, Jorge pediu outra suíte, evitando pensar na fatura do cartão de crédito. Mas precisava admitir que o investimento valia a pena, claro que valia. Porém, quando a funcionária pediu os documentos das garotas, ele gelou. Porque só então se lembrou: elas tinham 16 anos.

– Aqui está – disse Lara, entregando para Jorge duas carteiras de identidade. Ele relutou por um instante, mas Lara fez que sim com a cabeça. A funcionária conferiu os documentos, um por um. Jorge sentiu uma gota de suor descendo pelo rosto. Finalmente, a funcionária devolveu as carteiras, com a chave da suíte. Jorge engatou a primeira e saiu.

– Carteiras falsas… – ele murmurou, aliviado –  Vocês podiam ao menos ter me avisado. Quase morri do coração.

– Não, são verdadeiras – respondeu Lara, guardando as carteiras na bolsa. – É pra isso que servem as amigas mais velhas. Né, Didica? – E virou-se para a amiga, que bateu em sua mão espalmada, toda cúmplice.

Ah, nossa esperta menina achou linda a suíte. A decoração suave, os espelhos a embaralhar as imagens, a luz azulada que saía debaixo da cama… Era sua primeira vez num motel, e a primeira vez da amiga também. Estavam ambas encantadas com tudo, embora Didica, ao contrário de Lara, estivesse um tanto nervosa. Ficaram todos descalços, serviram-se de vinho e brindaram. Depois se despiram e foram para a banheira. A água, porém, não esquentou bem e Lara sentiu frio. Tomou mais uma taça de vinho, mas continuou com frio. Então saiu, deixando Jorge e Didica lá. Seria bom para a amiga relaxar, pensou Lara, sorrindo maliciosa para Didica enquanto se enrolava na toalha e voltava para o quarto.

Para animar a festinha, pôs para tocar uma seleção de músicas sensuais que preparara em seu celular especialmente para a noite. Então ligou as luzes piscantes, serviu-se de mais vinho e foi dançar sobre um pequeno tablado, enrolada na toalha. Dançava sozinha, de olhos fechados, viajando na música, caprichando nos movimentos ondulantes. Sentia-se leve. Na verdade, estava aliviada por ter chegado o dia que, desde os treze anos, quando começou a namorar, aguardava com paciência.

Quando se virou, viu a amiga sendo levada nos braços pelo primo. Ele a deitou na cama e os dois se beijaram. Lara achou linda a cena, serviu as taças de todos e pediu mais uma garrafa de vinho. Após isso, sentou-se no sofá, no canto mais escuro, para que Didica não se sentisse intimidada. Assistiria de camarote a amiga perder o cabaço. E depois Jorge faria com ela o mesmo serviço. E adeus time das virgens.

Jorge foi muito cuidadoso, sem pressa nenhuma. Tirou a cueca, depois a calcinha de Didica, lentamente. Beijaram-se com ardor, acariciando-se até onde as mãos alcançavam. Depois, ele beijou o corpo da prima da cabeça aos pés, detendo-se nos peitos, na barriga e, por fim, na buceta, que lambeu por um bom tempo, com suavidade, até que Didica, contorcendo-se feito uma cobra, puxou-o para si. Ele a penetrou com calma, atento a qualquer sinal de dor. Mas não foi tão doloroso, como Didica esperava, apenas uma dorzinha aguda que aos poucos foi se diluindo no meio da excitação que sentia. E foi assim que ela consumou seu desejo, deixando para trás seu passado de virgem, enquanto tocava a seleção sensual de Lara, e ela, no escurinho do sofá, só observava.

– Lara, vem também – Didica a chamou, após um tempo. Mas ela não respondeu. – Lara?

Só quando chegou pertinho foi que Didica percebeu que a amiga… dormia profundamente. Ao lado do sofá, viu a segunda garrafa de vinho vazia e entendeu tudo.

– É, tua amiga exagerou na birita – falou Jorge, enquanto cutucava Lara, que nem se mexia. – E agora?

Didica deitou a amiga no sofá, pondo uma almofada sob sua cabeça, e voltou para a cama, puxando o primo pela mão.

– Agora a gente continua, ora.

(continua na área vip)
.

Ricardo Kelmer 2017 – blogdokelmer.com

.

> LEIA A CONTINUAÇÃO AQUI
Exclusivo para Leitor Vip. Basta digitar a senha de 2018.

> Ainda não é Leitor Vip? Vamos resolver isso agora

.

.

AsTarasDeLaraLogo-01aAs Taras de Lara – capítulos publicados

E você, generosa leitorinha, conhece alguém como Lara? Não gostaria de contribuir com a série? Envie suas sugestões: rkelmer@gmail.com

.

.

LEIA NESTE BLOG

Por trás do sexo anal – Há algo de divinamente demoníaco no sexo anal que, literalmente, a-lu-ci-na algumas mulheres
.

SÉRIES ERÓTICAS DESTE BLOG

As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi – Um casal apaixonado vive seu amor libertino com bom humor e muita safadeza

As taras de Lara – Desde pequena que Lara só pensa naquilo. E ai do homem que não a satisfaz

Um ano na seca – O que pode acontecer a um homem após doze meses sem sexo?

O último homem do mundo – O sonho de Agenor é que todas as mulheres do mundo o desejem. Para isso ele está disposto a fazer um pacto com o diabo. Mas há um velho ditado que diz: cuidado com o que deseja pois você pode conseguir
.

DICA DE LIVRO

IFTCapa-04aIndecências para o Fim de Tarde
Ricardo Kelmer – contos eróticos

Uma advogada que adora fazer sexo por dinheiro… Um ser misterioso e sensual que invade o sono das mulheres… Os fetiches de um casal e sua devotada e canina escrava sexual… Uma sacerdotisa pagã e seu cavaleiro num ritual de fertilidade na floresta… A adolescente que consegue um encontro especial com seu ídolo maior, o próprio pai… Seja provocando risos e reflexões, chocando nossa moralidade ou instigando nossas fantasias, inclusive as que nem sabíamos possuir, as indecências destes 23 contos querem isso mesmo: lambuzar, agredir, provocar e surpreender a sua imaginação.

A entrega – Memórias eróticas (Toni Bentley, editora Objetiva) – A bailarina filosofa sobre sua profunda experiência de amor e salvação por meio da submissão no sexo anal

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

01-


O socialista crucificado

09/04/2018

09abr2018

Se esses cristãos vivessem naquela época, teriam batido panela contra o bandido Jesus e aplaudido sua crucificação

O SOCIALISTA CRUCIFICADO

.
Talvez Jesus não tenha existido de fato, mas se existiu, então ele era um ferrenho socialista. O cara defendia os pobres e oprimidos, criticava os ricos poderosos, denunciava o mercantilismo da religião, perdoava bandidos e acolhia as mulheres apedrejadas pelos defensores da moral e dos bons costumes. Jesus era um lutador pela causa dos direitos humanos, quando isso nem existia ainda.

Hoje, porém, grande parte dos cristãos é declaradamente antiJesus: são a favor da pena de morte (mas são contra o aborto porque a vida só a Deus pertence), gritam nas ruas e redes sociais que bandido bom é bandido morto (crucifica-o!) e odeiam a todos que têm sexualidade diferente da sua (joga pedra na Geni!). Muitos deles apoiam políticos que fazem apologia ao estupro, incentivam a violência e defendem a prática da tortura. Muitos seguem religiosos que creem mais no dízimo que em Deus. Se esses cristãos vivessem naquela época, teriam batido panela contra o bandido Jesus e aplaudido sua crucificação. Se a tecnologia permitisse, teriam feito lindas fotinhas com os soldados romanos.

Hoje, ser cristão pode significar uma coisa, mas também pode significar exatamente o oposto. É a prova final de que ser religioso não define o caráter de ninguém. O que define são os valores morais. Verdadeiramente, não precisamos de religião para fazer do nosso país um lugar melhor para se viver. Precisamos é de cidadãos comprometidos com os valores da democracia e da justiça social, independente de crerem ou não em deuses.

.
Ricardo Kelmer 2018 – blogdokelmer.com

.

.

MATRIX, PSICOLOGIA E MITOLOGIA NO LIVRO:

Matrix2012Capa14x21aMatrix e o Despertar do Herói
A jornada mítica de autorrealização em Matrix e em nossas vidas

Analisando o filme Matrix pela ótica da mitologia e da psicologia do inconsciente e usando uma linguagem simples e descontraída, RK compara a aventura de Neo ao processo de autorrealização que todos vivem em suas próprias vidas.

.

.

.
LEIA NESTE BLOG

Blade Runner: Deuses, humanos e androides na berlinda – Como todo ser, o criador busca sempre transcender a sua própria condição e é criando que ele faz isso.

A cruz da paixão – O crescimento só virá se o ego se entregar ao sacrifício da paixão, mandando Judas fazer logo a sua parte e aceitando o sofrimento inerente ao processo

Espírito natalino? Sei… – O tal do espírito natalino pode enganar os bestas, mas a mim não me engana

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer
 (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

 01-

 

> Postagem no Facebook


%d blogueiros gostam disto: