WikiLeaks e o nascimento da cidadania global

01jan2011

Quanto mais as pessoas se conectam à internet, mais elas se entendem como participantes ativos dos destinos do mundo e não apenas de seu país

WIKILEAKS E O NASCIMENTO DA CIDADANIA GLOBAL

.
Cidadania global. É um termo novo, mas uma busca na internet nos mostrará centenas de milhares de ocorrências, e elas aumentam a cada dia. Mas o que seria isso? Como toda nova noção que surge, ainda não há uma definição precisa para cidadania global, mas ela claramente aponta para um futuro em que as pessoas, antes de se verem como cidadãs deste ou daquele país, se entenderiam de um modo mais abrangente e comum: seriam todas cidadãs do planeta Terra.

A noção de cidadania global nem sempre existiu, mesmo porque até pouco tempo não sabíamos que vivíamos num planeta. Porém, era inevitável que surgisse um entendimento mais abrangente de quem somos, pois desde o início os povos buscaram ter contato uns com os outros. Posteriormente, esse novo entendimento ganhou impulso por conta da facilidade dos transportes e acelerou-se com o desenvolvimento das comunicações. E, nos últimos anos, acelerou-se ainda mais com o advento da internet, que tornou o mundo menor e nos fez ver que temos muito mais coisas em comum do que as diferenças culturais sempre nos fizeram crer.

Em quinze anos, a internet multiplicou rapidamente o conhecimento que a humanidade tem de si própria e hoje sabemos bastante até mesmo sobre os povos mais fechados. Porém, se é verdade que ainda nos vemos como povos distintos, separados por nacionalidades, há vários indícios de que essa visão pode estar chegando ao fim.

As últimas décadas viram o surgimento da ONU, das organizações não governamentais, das empresas multinacionais e do termo globalização. A economia, o esporte e as artes contribuíram para nos misturarmos ainda mais. E, agora, a internet permite que pessoas de todo o mundo participem de campanhas de caráter político ou humanitário em outros países. Os sentimentos nacionalistas ainda existem, é verdade, mas quanto mais as pessoas se conectam à internet, mais elas se entendem como participantes ativos dos destinos do mundo e não apenas de seu país. Elas talvez ainda não saibam, mas já estão exercitando um tipo de cidadania global.

O site WikiLeaks, especializado em publicar documentos secretos de governos, empresas e instituições, deu sua contribuição a esse processo de forma notável. Financiado por doações anônimas e assegurando a máxima proteção às suas fontes, o site encoraja pessoas a denunciar casos de corrupção, censura, abusos e torturas, além de expor assuntos relacionados a guerras, ecologia, diplomacia, finanças e espionagem. Graças a isso, governos e empresas sabem que já não podem enganar as pessoas como antes. E em resposta à perseguição sofrida pelo criador do WikiLeaks, internautas se uniram e atacaram sites de empresas que apoiaram a perseguição. Esses ativistas não lutam por seus países: eles lutam por democracia e liberdade de expressão. Eles também estão exercitando a cidadania global.

O mundo está ficando mais transparente e autoconsciente. É uma ótima notícia, mas governos e empresas estão preocupados e tentam impor controles à internet para impedir o livre fluxo da informação. Não será fácil, pois se um cidadão tem todo o direito de saber o que faz seu governo e suas empresas, um cidadão do mundo obviamente tem direitos ainda mais amplos. Não será contra um site ou alguém: será contra essa nova noção de cidadania global que governos e empresas terão de lutar. E logo, antes que ela cresça ainda mais.
.

Ricardo Kelmer 2010 – blogdokelmer.com

.

Wikileaks-01.

MAIS SOBRE O WIKILEAKS

WikileaksLogo-01WikiLeaks na Wikipedia

Como funciona o WikiLeaks

Campanha contra a perseguição ao WikiLeaks – Petição criada pelo site Avaaz que pretende chegar a um milhão de assinaturas

Avaaz – Site que realiza campanhas que mobilizam milhares de pessoas com o objetivo de levar a voz da sociedade civil para a política global

WikiLeaks e a nova fronteira da comunicação – Entrevista com Natália Viana, a brasileira do WikiLeaks, rede Brasil Atual, 13.12.10

O australiano messiânico – Por Paulo Nogueira, Observatório da Imprensa, 14.12.10

WikiLeaks: a construção do mito Assange – Por Washignton Araújo, Observatório da Imprensa, 14.12.10

WikiLeaks: a vingança do mundo vigiado – Por Eugênio Bucci, O Estado de São Paulo, 16.12.10

.

LEIA NESTE BLOG

Pátria amada Terra – É animador ver as novas gerações convivendo mais naturalmente com essa noção de cidadania planetária

A ilha – Talvez uma ilha na verdade fosse uma… montanha! Sim, uma montanha com o pico fora dágua

A imagem do século 20 – Vimos nossa morada flutuando no espaço. Vimos um planeta inteiro, sem divisões. Não vimos este ou aquele país: vimos o todo

A mensagem de Avatar ao Povo da Terra – Temos de compreender o que os antigos já sabiam e nós esquecemos: a Terra é um ser vivo e nós fazemos parte dele

Eles estão na fronteira – Milhões de maltrapilhos famintos, perseguidos políticos, criminosos cruéis, terroristas suicidas, narcotraficantes e trombadinhas invadindo os países e quebrando tudo, estuprando nossas irmãs, matando todo mundo, o caos absoluto

A Humanidade, o psicólogo e a esperança – Os acontecimentos mostram que a humanidade está se unificando, unindo seus opostos

O sonho que morreu na praia – O mar, que não liga para nacionalidades, aceitou receber o menino sonhador

.

DICA DE LIVRO

MatrixEODespertarDoHeroiCapaEdicaoDoAutor-01Matrix e o Despertar do Herói
A jornada mítica de autorrealização em Matrix e em nossas vidas
Ricardo Kelmer, ensaio, 2005

Usando a mitologia e a psicologia do inconsciente numa linguagem descontraída, Kelmer nos revela a estrutura mitológica do enredo do filme Matrix, mostrando-o como uma reedição moderna do antigo mito da jornada do herói, e o compara ao processo individual de autorrealização, do qual fazem parte as crises do despertar, o autoconhecer-se, os conflitos internos, as autossabotagens, a experiência do amor, a morte e o renascer.

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer (saiba mais)

.

.

 COMENTÁRIOS
.

01-  Ué, fofoca agora é sinônimo de “cidadania”!? Prazer. Anti-americanismo é fogo. Com certeza o colunista não toma Coca-Cola, não come Big Mac, acha que o Osama não foi jogado ao mar e, claro, acha que os microchips chegaram a Terra em algo que espatifou-se no solo em Roswell. Júlio Adelaide, O Povo OnLine – mai2011

02- O ilustre escritor e dono de cabaré não pode garantir que tais informações podem ser de conhecimento público sem consequências desastrosas para o mundo. sempre houve sigilo de questões internacionais e penso que não temos conhecimento suficiente para achar que agora tem que ser tudo muderno e escancarado, meu caro. Wanessa, O Povo OnLine – mai2011

03- Wikileaks para TODOS! Excelente matéria! Neiara, O Povo OnLine – mai2011

04- Meu caro, excelente percepção do que vem acontecendo, quanto mais transparência maior a possibilidade de construirmos algo melhor. Dilda Meyer, O Povo OnLine – mai2011

RK– Sábias palavras, Dilda. As pessoas precisam ser honestas e transparentes consigo mesmas, caso desejem ter uma vida mais harmoniosa. Assim também é com a humanidade. abrazos 🙂

05- Tem gente que só enxerga em preto e branco. O colunista nem criticou os Eua especificamente. O site wikileaks faz denúncias de vários países… Por favor, onde foi que você enxergou um discurso anti-americano? sabe o que é isso? Superinterpretação do texto (ou esquizofrenia). Anita G, O Povo OnLine – mai2011

RK– Poizé, Anita. Saber ler, muitos sabem. Interpretar corretamente um texto, isso já requer um algo mais… abrazos 🙂

06- que venha… o.. Cidadão Global, Governo Global, Economia Global… Aquecimento Global… Lider Global… Moeda Global, Religião Global. isso não e novidade,pois biblia fala destes tempos.. Mas Cristo… Reinará para todo sempre…. Django, O Povo OnLine – mai2011

07- Não é possivel divulgar tudo de carater sigiloso, caro colunista. Wanessa descreveu o que é mais plauzível, transparencia sim, escancareamento de assuntos altamente sigilosos não! Aldo Ziembisky, O Povo OnLine – mai2011

08- Gente, já se criou nessa coluna uma aversão pelas palavras de Kelmer, sejam elas polêmcias ou nem tanto… Há quem já venha armado pra seja qual for a pauta do dia ir contra! Onde foi que ele criticou americanos? O que o fato de ele ser dono de cabaré influi nas ótimas observações que ele fez… o comentário que diz que tem gente que só enxerga em preto e branco… Adorei a matéria! Parabéns! Anne, O Povo OnLine – mai2011

RK– Obrigado por comentar, Anne. As insistentes críticas ao meu trabalho derivam do fato de eu escrever sobre temas polêmicos, como drogas, religião e sexualidade, temas que muitos escritores, artistas e comunicadores preferem evitar. E alguns comentários são tão infelizes que sequer merecem resposta. Há também o bando dos religiosos fanáticos, que me odeiam porque sou um critico da religião e exponho as mentiras e o jogo sujo do mercado da fé. E há, acredite, os que assinam com nomes falsos, tentando me confundir! Mas todos são meus leitores e, de todo modo, a leitura deles me honra. E a caravana passa. abrazos 🙂

09- Quem pode saber o que a explosaõ de notícias sigilosas do governo de vários países e suas questão internas para o publico em geral vai render de bom para o mundo? Ninguem pode saber as consequencias disso. Portanto o artigo é pretensioso, e sem fundamentos. Liberdade por liberdade é o grito deste senhor, Ele sabe administrar bem cabarés, outros assuntos mais técnicos não são da alçada de quem não trabalha nesta áreaespecífica e sofisticada, sinto mto. Julia Maria, O Povo OnLine – jun2011

10- mtos escritores escrevem sobre estes temas. Saber ser criticado é uma arte de humildade. Artistas tem egos inflados e não gostam, porem se o senhor quer ser um escritor, precisa aprender a ser criticado positivamente e negativamente , ou melhor mudar de profissão. Wanessa, O Povo OnLine – jun2011

11- Críticas são salutares, senhor. Todos os escritores administram as criticas, por que com o senhor seria diferente? Maria, O Povo OnLine – jun2011

RK– Um escritor que não aceita ser criticado negativamente publicaria em seu próprio blog as piores críticas (e insultos, xingamentos e ameaças) que recebe? Pois eu publico. E convido todos a constatar isso agora mesmo, acessando a crônica que mais me rendeu críticas desfavoráveis (RELIGIÃO NO ESPORTE É GOL CONTRA). Veja você mesmo, nobre leitor e generosa leitorinha, o nível de alguns comentários e me diga, sinceramente, se você se daria ao trabalho de responder a cada um deles. Pra mim, nem tudo merece resposta. abrazos 🙂

12- Ótimo, pois quem está no mercado de arte tem que aceitar opiniões contrárias com mais brandura. Nem Jesus conseguiu unanimidade. O sr. está de parabens por aceitar que nem sempre agrada. E quem nem sempre seu texto tem fundamentos aceitáve4is, como é este o caso. Anita G, O Povo OnLine – jun2011

13- Bom, eu penso que estas pessoas estão lendo os teus textos, mesmo para criticar, isso é bom. Esses críticos ferrenhos, se ficam tão incomodados é porque ao te lerem se sentem balançados, então te agridem, tipo, xô satanás. Acho que você não deve responder não, deu teu recado, que leiam, aceitem ou não, critiquem, elogiem, o importante é que você os faz pensar. Ligia Eloy, Lisboa-Portugal – jul2011

14- Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las. Voltaire. Grace Ramalho, Fortaleza-CE – jul2011

15- Tudo merece resposta? Nem em pesadelos, mto menos em sonhos, menos ainda na realidade do dia-a-dia. Talvaz alguma coisa ou pessoa merece mas isso fica a seu critério. Tem mta gente querendo atenção por nada ou por besteira… Força ai Ricardo e mande ver na polêmica! André Ortiz, Fortaleza-CE – jul2011

16- Rapaz, tem um movimento anti-Kelmer forte, hein? E onde tu arranja paciência? Marcelo Gavini, São Paulo-SP – jul2011

17- Nós, jornalistas, sabemos muito bem disso, né, amigo: loucura maior do que o louco que escreveu é dar cabimento a ele. Certas críticas não há como encarar… bjos. Ana Karla Dubiela, Fortaleza-CE – jul2011

18- Meu caro Ricardo vc é ótimo. Tem coisas e pessoas que não vale uma resposta. O silêncio é a maior de todas. Bijos. Loreto Lima, Juazeiro do Norte-CE – jul2011

19- Estou com vc, caro RK. Uma pessoa que escreveu “O mundo está ficando mais transparente e autoconsciente” não pode ser acusada de antidemocrática. “Iru antauen, RK!” Leite Jr-Lejĉ, Fortaleza-CE – jul2011

20- O jornal O Povo pra mim é o melhor do estado,acho menos rabo preso com a elite. Mas parece haver uma ala bastante conservadora por lá,pode ver que existem pessoas dando sua opiniao sobre as matérias que estão postadas no site.Tem cada uma,que é melhor nem ler. Lucas Silveira, Fortaleza-CE – jul2011

21- KELMER, minha solidariedade. continue livre! Veronica Guedes, Fortaleza-CE – jul2011

22- isso mesmo, como você sempre foi, beijim. Glaucia Costa, Fortaleza-CE – jul2011

23- Anjo vc é fantástico em tudo que faz, deixe que falem….beijos. Elizabeth Fernandes, São Paulo-SP- jul2011

24- E eu costumo ler as Kelmericas, gosto muito. Polemica eh a propria essencia de quem escreve, imagino as reacoes que voce deve receber de vez em quando. Continue firme. O problema de quem escreve eh que nem sempre eh entendido, eh proprio do processo de ler e escrever, que o leitor sempre importe suas impressoes ao que esta lendo, as vezes eles leem algo nem imaginado pelo escritor, isto pelo bem ou pelo mal. Grande abraco. Marcelino Pequeno, Fortaleza-CE – jul2011

25- Kelmer, A tentação é sempre grande em responder. Mas é isso mesmo, nem tudo precisa de resposta. Até porque muitos questionamentos e opiniões geram muito mais respostas diferentes. E viva a sagrada e bela diferença e divergências. Abração! Ivonesete Rodrigues, Fortaleza-CE – jul2011

26- Kelmer… sacode a poeira e avance sem olhar para trás… abraço. Marcio Castellani, Fortaleza-CE – jul2011

Anúncios

2 Responses to WikiLeaks e o nascimento da cidadania global

  1. Susana X Mota disse:

    é verdade que os direitos de um cidadão do mundo são cada vez mais amplos. Mas também os seus deveres e responsabilidades, que são facilmente esquecidos ou descuidados pela autoindulgência. Se cada um fizesse a sua parte…. mas vamos chegando lá. 🙂 Bom texto, como sempre!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: