Profissão Escritor – Pergunte aqui

14ago2008

Você gostaria de perguntar algo sobre a profissão de escritor, processo de criação etc?

.

01- Amanda, Belo Horizonte-MG – dez2006
primeira curiosidade que tenho: quando você decidiu expor sua arte, tinha quantos anos? E, seus familiares davam palpites sobre você ter decidido trabalhar com a escrita? segunda: suas lindas obras sobre mulheres são baseadas em mulheres reais ou você imagina elas? (parei de numerar) Como você faz pra escrever um texto? Tipo, você tem a idéia e começa a escrever ou você escreve a todo tempo, “tudo” pode ser um tema para seu texto? Já fez algum texto em dupla? …eu poderia encher essa página, mas me responde primeiro essas.. tem mais…

01a (quando você decidiu expor sua arte, tinha quantos anos?)
RK – Comecei a mostrar o que escrevia aos 10 anos, eram redações do colégio e historinhas curtas. Na adolescência escrevia poemas, letras de música e contos eróticos (já era tarado naquele tempo). Eu mostrava tudo pra amigos e namoradas. Aos 18, na faculdade, publiquei um livretinho de poemas xerografado, junto com o comparsa Roberto Maciel, e a gente vendia de mão em mão – com a grana ia tomar umas no boteco depois da aula. Nessa época comecei a escrever crônicas. Com 27 anos comecei a publicar crônicas em jornal. Aos 30 publiquei o primeiro livro.

01b (seus familiares davam palpites sobre você ter decidido trabalhar com a escrita?)
RK – Meus pais gostavam de ver meu interesse pelos livros e pela literatura, mas como sabiam que a carreira de escritor era algo muito difícil e incerto, preferiam pro filho algo mais convencional e seguro, como uma carreira militar (estudei dos 11 aos 14 anos em colégio militar) ou que eu trabalhasse com meu pai, que era dono de uma clínica veterinária, ou então que eu prestasse concurso pro Banco do Brasil, essas coisas. Faziam isso sem me pressionar. Mas eu insisti em ser escritor, e ainda hoje pago um alto preço pela decisão. Vilma e Galvão respeitaram minha escolha, e sempre que eu precisei, eles me ajudaram. Isso foi fundamental. Mesmo temerosos, foram os meus pais meus maiores incentivadores.

01c (suas lindas obras sobre mulheres são baseadas em mulheres reais ou você imagina elas?)
RK – Obrigado pelo “lindas obras”, você é muito generosa. Meus trabalhos sobre mulheres são baseados em mulheres “reais” e “não reais”. No primeiro caso, são textos que nasceram da minha história individual, das mulheres que conheci. Alguns são registros fiéis de determinada experiência, outros misturam lembrança e fantasia. Quando a personagem da história é “não real”, eu imaginei a mulher. Nesse caso, ela pode ser uma reunião de aspectos femininos de várias mulheres que conheci pessoalmente ou que só conheço de longe.

01d (Como você faz pra escrever um texto? Tipo, você tem a idéia e começa a escrever ou você escreve a todo tempo)
RK – Eu engravido da ideia e tenho que botar pra fora. Às vezes o texto sai rápido, outras vezes demora muito e o parto é difícil e doloroso, principalmente quando o texto envolve aspectos psicológicos meus dos quais ainda não estou bem consciente. Nesse caso, além de um trabalho profissional e artístico, é também algo terapêutico, de autoconhecimento. Por outro lado, quando tento parir um texto sem passar por esse processo natural de gravidez, estou então escrevendo algo que não pediu pra nascer e, muitas vezes, que não quer nascer mesmo. O resultado é quase sempre um texto ruim, pelo menos pra mim. Por isso não gosto de aceitar escrever sobre temas que não me pediram, eles mesmos, pra serem escritos.

01e (Já fez algum texto em dupla?)
RK – Em dupla não, mas já criei roteiros de sitcom pra tevê em equipes de cinco, sete pessoas. Funciona, mas é preciso metodologia, disciplina e um líder pra guiar a equipe pela viagem das ideias. Só funciona mesmo se cada um trabalhar pra equipe, e não valorizando apenas suas próprias ideias.

.

02- Milani Iskandar, Goiânia-GO – dez2006
oq te levou a começar a escrever?! qnd foi q descobriu q qria ser escritor?! e q tipo d texto foi o primeiro pra vc falar é isso q qro!? Li a cronica em q vc fala do livro do Fernando Sabino e tals… tava vendo a sua resposta falando q vc engravida da ideia e tals… eu já sou diferente só consigo escrever qnd to muito triste, na maioria das vezes eu escrevo entre lágrimas e dps de alguns dias pego o texto pra ler e nem acredito q fui eu q escrevi… ja aconteceu isso com vc?!

02a (qq te levou a começar a escrever?!)
RK – Antes de pensar em escrever, eu fui fisgado pela leitura. Eu tinha 7 anos e havia aprendido a ler. E adorava ficar na biblioteca do colégio Santo Inácio, em Fortaleza, folheando os livros infantis. Havia algo de mágico naquele ambiente, nos livros… Eu estava encantado com a descoberta da leitura. Acho que foi aí que a literatura me fisgou. Ainda na infância, contraí uma pneumonia que me obrigou a ficar vários dias de cama e meu pai teve a brilhante ideia de me dar livros e revistas pra eu me ocupar durante a recuperação. Ainda hoje lembro da sensação de felicidade por ter aquelas coisas todas pra ler. Foi então que me deu vontade de também criar histórias como as que eu lia.

02b (qnd foi q descobriu q qria ser escritor?! e q tipo d texto foi o primeiro pra vc falar é isso q qro!?)
RK –
Aos 9 anos eu tentava escrever versinhos pras minhas professoras. Como não sabia, um dia pedi ajuda ao meu pai. Ele, muito gozador, escreveu num papel e me mostrou: Pra minha professora / Dona Conceição / Receba em seu aniversário / Este caroço de feijão. Putz, fiquei puto, claro. Quanto desrespeito pra com um poeta iniciante! Mas foi aos 10 que comecei a escrever minhas primeiras historinhas, curtinhas, geralmente de aventura. Aí a ficha caiu e eu vi que era aquilo mesmo que eu queria pra minha vida.

02c (só consigo escrever qnd to muito triste, na maioria das vezes eu escrevo entre lágrimas e dps de alguns dias pego o texto pra ler e nem acredito q fui eu q escrevi… Ja aconteceu isso com vc?!)
RK –
Muita gente escreve apenas se estiver motivado por emoções. Porém, se você deseja realmente ser uma escritora profissional, não pode depender de estados emocionais propícios. Terá que aprender a escrever profissionalmente, ou seja, produzir textos como um artesão produz suas peças pra vendê-las e assim se sustentar. Essa mecanização do processo às vezes decepciona os candidatos a escritor, pois muitos ainda estão iludidos com a ideia romântica de escrever sob as ordens do coração e coisital. Mas a mecanização do ato de escrever é importante porque prepara o escritor pras exigências do mercado. Quanto a se surpreender com o que se escreve, isso ocorre porque durante o processo criativo a consciência se abre pro inconsciente e expressa em forma de arte os conteúdos desconhecidos que vêm de lá, desse lado de nós mesmos que não conhecemos. Nesse momento você está num estado especial de consciência, como sob efeito de uma droga, e cria. Depois você volta ao estado de consciência ordinário, onde geralmente não há tanto contato direto com o inconsciente, e então se surpreende com o que criou, mais ou menos quando lembra do que fez durante um porre. Sua missão agora é integrar devidamente à consciência os novos conteúdos de seu ser que vieram à tona. Se conseguir, você alargará sua consciência, tornando-se mais consciente de si mesma, de suas potencialidades, seus medos, e se tornará cada vez mais íntima de si mesma. E conhecerá melhor suas potencialidades criativas. Estará no caminho pra ser uma pessoa autoconsciente e equilibrada, e também uma escritora criativa e competente.

.

03- Gabriel de Fassio, Brasília-DF – abr2007
Oi, tudo bem! Tenho algumas dúvidas sobre o processo de criação da obra literária. Quando você começa a escrever, mesmo ser for um texto longo (romance, por exemplo), já sabe o destino das personagens e o que ocorrerá durante a trama? Não sei o que é melhor: ter uma idéia inicial e desenvolver o tema até chegar ao final, ou realizar um esboço das idéias e apenas começar a escrever quando a trama já estive bem desenvolvida na mente do escritor. Como você procede?

RK – Não existe um método melhor que outro quando o assunto é processo de criação. Cada escritor acaba desenvolvendo seus próprios métodos. No meu caso, na maioria das vezes os textos (curtos ou longos) nascem de uma ideia inicial e eu começo a escrever sem saber exatamente como terminará. Gosto de deixar que o próprio texto mostre o caminho, e confio tanto nesse processo que jamais tenho qualquer dúvida que dará certo. E sempre dá. De uns anos pra cá, porém, passei a unir o RK escritor com o RK roteirista e em alguns textos longos de ficção (conto ou romance) prestabeleço um esquema de apoio, determinando de antemão o percurso da história, as viradas da trama e até mesmo o fim.

Pra você ver como esse lance de processo criativo é louco, vou te contar algo bem curioso. Enquanto escrevia meu romance O Irresistível Charme da Insanidade empaquei num determinado ponto do desenvolvimento do personagem Luca. Como na história ele lia o I Ching, tive a ideia de tirar um I Ching pro personagem – quem sabe o oráculo chinês não me clarearia as coisas? Sei que parece estranh,o mas como eu estudo o I Ching e sei de suas potencialidades, achei que poderia funcionar. E, de fato, o hexagrama que saiu me deu a ideia que eu precisava pra finalizar a construção do personagem. No seu caso, talvez seja interessante testar os dois métodos e ver como eles funcionam: numa história você deixa a história se escrever por si própria, e em outra você prestabelece um roteiro.

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

COMENTÁRIOS
.

Anúncios

4 Responses to Profissão Escritor – Pergunte aqui

  1. Manoel Amaral disse:

    Os textos do meu blog são paridos com facilidade, porém tem dias que não sai nada. Explico melhor: saí do caderno de anotações direto para teclado do computador. Vou escrevendo, escrevendo e depois volto para as correções e cochilos. Tenho ao meu lado um caderno só para anotar idéias novas. Tem funcionado sempre. Antes do meu personagem OSVANDIR chegar a qualquer lugar, eu já pesquisei o local e as coisas interessantes. É bom explicar ao leitor que o blog do Osvandir fala muito de ufologia e ele como é personagem central, está sempre viajando. Se for permitido alguém acessar: http://osvandir.blogspot.com/
    Abração. Manoel

    Curtir

  2. Renata disse:

    Oiee , meu nome é renata , tenho 14 anos e estou escrevendo a minha propria historia a mais ou menos ums 5 meses atraz , queria muito saber se tenho futuro na profissao de escritora , por favor , precisso que voce me diga alguma coisa , isso é realmente muito importante para mim , esse é meu blog http://reefeelings.blogspot.com.br/ onde tem parte da minha historia , falta mais 21 textos , mais so os terei em mãos novamente lá pelo dia 24 de janeiro .OBRIGADA’ , me ajude se puder.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: