Ventos do óbvio

07jun2015

Ela tinha o controle de sua vida, ela e mais ninguém. Renascer. Renovar-se

VentosDoObvio-01

VENTOS DO ÓBVIO

.
Zap! Seria tão bom se a vida tivesse controle remoto. Era só apertar um botãozinho para mudar a programação…

Olhando para o controle em suas mãos, ela sorriu. Sim, era dona de sua própria vida. Ela é quem tinha o poder de mudá-la. Ela e mais nada e mais ninguém. Então apontou o aparelho para a tevê, fechou os olhos e… zap!, desligou. Por que não? Por que não começar agora?

E foi assim que fez. Largou o controle no sofá, levantou e naquele exato momento começou vida nova. Sim, assim mesmo, de repente, aproveitar que chegava a Primavera. Mudanças, mudanças… Ela tinha o controle de sua vida, ela e mais ninguém. Renascer. Renovar-se.

Decidiu começar por uma faxina geral na casa, como havia tempo não fazia, escutando as músicas prediletas. Depois tirou do baú os vestidos de verão, leves e coloridos, tão lindos. E decidiu parar de fumar, dessa vez conseguiria. Há quanto tempo não se sentia tão disposta? Muito tempo. Aliás, disposta e bonita, ela completou, olhando-se no espelho. Faxina concluída, agora levaria os vestidos para lavar. E assim fez, seguindo pela calçada, bonita, feliz e inspirando o ar fresco da Primavera.

Eis, porém, que veio um vento. Forte e repentino. Invasor. Ela ainda não havia voltado da lavanderia. O vento estúpido desarrumou a casa toda, que ela tão bem ajeitara. E foi embora, rápido como chegou, levando com ele o rango que ela deixara na geladeira, a guitarra, a furadeira e o aparelho de dvd. Ainda bem que o dinheiro das contas, separadinho sobre a mesa, o desgraçado não viu.

Caramba… Quando ela entrou e acendeu a luz, demorou a acreditar. Quando, por fim, acreditou, encostou-se à parede, mais perplexa que desanimada, olhando para a casa inteira desarrumada, tudo fora de lugar. Por que esse vento? Por que logo agora que decidira mudar?

A guitarra era da filha roqueira, que por sinal já desistira da carreira. O dvd estava quebrado, só fazia volume na estante. A furadeira, o amigo esquecera lá tinha anos. E a comida… bem, um ou dois quilinhos a menos não fariam mal. Felizmente, o prejuízo material fora mínimo.

Mover-se, precisava mover-se, ela sabia. Lentamente, levantou-se, e tentando injetar ânimo nos próprios passos, foi pegar um cigarro. Sim, tinha decidido parar de fumar, sim… mas… ah, vai, não sejamos também tão radicais, numa hora dessas só os vícios nos salvam! Só os vícios nos salvam…, ela repetiu para si mesma, gostara da frase. Mas o diabo do cigarro também não estava lá, o vento invasor levara. Que desgraçado, podia ter lhe deixado ao menos os vícios.

A noite veio e a encontrou assim, do jeito que você a vê agora, em pé no meio da sala bagunçada, ainda inconformada com o roubo, buscando entender. Entender o quê? Que, de fato, faltava algo mais violento para o verdadeiro renascimento começar? Que precisa se livrar ainda mais das velharias que ocupam a estante de sua vida? Que antigos vícios podem salvar somente o que já não vive? Ou, na verdade, não há nada para entender além do óbvio? E qual é o óbvio? Será o óbvio isso, que ela tem que parar de buscar significados ocultos e se tornar uma mulher mais pé no chão? Prestar mais atenção no sinal que fecha do que nas cartas do tarô? Ou o verdadeiro óbvio nada tem a ver com os óbvios que a gente pensa que descobre?

Rindo da própria confusão mental, ela senta no chão, cruzando as pernas e juntando a barra do vestido entre as coxas. Sente na bunda o chão frio e isso parece despertá-la. Ela sorri da ideia, que a bunda a faz sentir-se viva, mas que hora de pensar sacanagem… Depois fecha os olhos e suspira, resignada. O pior de tudo, sabe o que é? Não é a casa de cabeça para baixo, não, amanhã arruma tudo outra vez. Também não é a incerteza do futuro, o futuro não existe, já sabe. O pior mesmo é sentir-se cercada da mais gritante obviedade… e não conseguir vê-la!

Intuição… Agora ela percebe que a intuição já vinha tentando dizer-lhe algo. Sonhos, presságios, coincidências… Deveria ter atentado mais aos ventos? Sim, os ventos, eles sempre trazem algo. Dessa vez trouxeram destruição. Trouxeram algo mais também, uma sensação estranha… de que mudar não é só tirar os vestidos do baú… Não, não, nada disso, tudo na verdade é só a confirmação do fim de um ciclo… Hummm, mas casa significa o eu, então isso tudo na verdade quer dizer que…

Sacudindo a cabeça, ela finalmente liberta o grito primal, até então preso nas entranhas da dor, Aaahhh!!! Mais forte, Aaaaaaahhhhhh!!! Então, o eco de seu berro ainda ecoando na sala, ela levanta, caminha até a janela e suplica ao mundo: Por favor, alguém aí tem um cigarro? Não, não, esquece. Alguém aí tem óbvio? Isso mesmo, óbvio. Sem filtro, por favor.

.
Ricardo Kelmer 2007 – blogdokelmer.com

.

Esta crônica integra o livro Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino

Kelmer Para Mulheres – Nesta seção do blog, homem fica de fora

.

.

LEIA NESTE BLOG

DezSegundosParaSerFeliz-03Dez segundos para ser feliz – Seus olhos continuam sorrindo mesmo quando ela conta, sem pudor, das imensas bobagens que fez em nome de sua busca por felicidade

Mulheres que adoram – Dar prazer a uma mulher, fazê-la dizer adoro mil vezes por dia…

Mulheres na jornada do herói – Elas sempre foram, mais que os homens, historicamente reprimidas na busca pela essência mais legítima de suas vidas

Insights e calcinhas – Uma calcinha rasgada pode mudar a vida de uma mulher? Ruth descobriu que sim

Mariana quer noivar – Você abdicaria das relações amorosas em sua vida em troca de dinheiro ou sucesso na carreira?

Carma de mãe para filha – Os filhos sempre pagam caro pelos pais que não se realizam em suas vidas

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: