O feminino em mim

12jan2012

O feminino tem muitas luas, é menina e é mulher, é santa e é prostituta

OFemininoEmMim-02.

O FEMININO EM MIM
.

O feminino é um elemento muito importante em meu trabalho. Desde o início ele já se revela, nas redações da escola e nos poemas adolescentes. Está presente em meus livros, no Bordel Poesia, no Cabaré Soçaite e nos shows que faço. O amor, o respeito e a reverência à mulher… O fascínio pela beleza, pela sensualidade e pelo mistério que exala do feminino…

Separei alguns poemas e letras de músicas onde o princípio feminino está bem manifestado, em várias de suas facetas. Sim, o feminino tem muitas luas, é menina e é mulher, é santa e é prostituta. Às vezes se expressa na mulher carente e vingativa, noutro dia na garota fútil no shopping center, depois na mulher guerreira ou na velha sábia. O feminino não é. O feminino são.

> Pra ouvir e baixar as músicas

.

.

ÚMIDA FLOR DO LÁBIO
2013, Ricardo Kelmer
.

Úmida flor do lábio, impura e bela
Tão resplandescente na alcova escura
É ela quem guia minha procura
Sou eu quem voo a vida em torno dela

Quero-me no bem me quer de suas pétalas
E na doce vertigem dessa altura
Extasiar meu olhar na formosura
Dos tons rosados de sua aquarela

Sobre ela faço de mim mil beijos
Eu inteiro sou um anseio que cresce
Atraído pelo odor do desejo

Da rosa que me envolve com ardor…
E a vida se bendiz no gozo agreste
Do pouso do pássaro em sua flor

.
.

DONA DE MIM
2013, Ricardo Kelmer

Dona de mim já não sou mais
Quando aos teus pés me ajoelho assim
E em teu olho a chama do desejo atiça
A mulher louca e submissa que há em mim

De bom grado já não me pertenço
Docilmente me submeto à vontade tua
Se me queres agora toda nua, eu obedeço
E de quatro te ofereço minha carne crua

Bate, meu senhor, me deixa o rabo em brasa
Marca em mim o juramento da servidão
Ser sempre a escrava grata e obediente
E amar o peso ardente da tua mão

Bate, meu senhor, é a minha pele que implora
O estalo do bom chicote por toda a noite
Hoje sou eu a mulher mais livre e gloriosa
Plena da dor gozosa do teu açoite

.
.

ELA NO ESPELHO
2006, Ricardo Kelmer

No espelho ela se olha
Do outro lado ela se vê
E quem olha pra ela não é
Quem ela pensa ser

Ela vê que ela não é
Quem um dia ela já foi
Que o tempo passa na janela
E o que era ela já se foi

Ela se olha e se esconde
E pergunta outra vez
Mas o espelho não responde
Ao olhar dos seus porquês

Quem é aquela que se olha?
Quem é a outra que se vê?
E o seu olhar só lhe devolve
O mistério de crescer

.
.

EU QUERO AS DUAS
2006, Ricardo Kelmer

Eu quero as duas
A que é doce e a que arranha
Uma me mata de manhã
E a outra é toda manha
Uma me afaga
E a outra me assanha

Eu quero as duas
A louca e a delicada
Uma soluça em meu peito
A outra dança nua na sacada
A menininha sem jeito
E a mulher desatinada

Eu não sei qual é a melhor
Então eu quero as duas
Mas quero as duas numa só

.
.

ALMA SELVAGEM
2005, Ricardo Kelmer
.

Ela tem a alma selvagem
E o vento sopra liberdade
Na mecha do cabelo
Brinca de beijo, pede afago
Mas cuidado
Ela gosta de arranhar

Ela segue seu destino
No fluxo feminino
Deita com a lua nova
E o seu corpo se renova
À noite chora por amor
Sonhos que ainda não realizou

Ela celebra a vida em rituais
Bendiz os ciclos naturais
Ela sabe, o ser não cabe na definição
Abraça o mundo com carinho
Mas só vai pelo caminho
Onde tem um coração

Alma selvagem, liberdade de ser
Alma selvagem, coragem de viver

.
.

ALMA UNA
música de Ricardo Kelmer e Flávia Cavaca, 2005
.

Celebrar o milagre de ser
O assombro de viver
Na doce magia da noite
Minha alma é noiva desse ritual

O fogo me aquece num abraço amigo
As fagulhas são reflexos do infinito
Eu danço o mistério da Lua
Linda, nua e natural

Eu faço amor com a Terra
Sou a amante eterna
Do fogo, da água e do ar

Sou irmã de tudo que vive
Ninfa que brinca com a vida
Alma una com tudo que há

Salamandras brincam na fogueira…
Guerreiras aladas trazem oferendas…
Se aproximam os animais de poder…
Planta-mestra, eu quero aprender…
Guardiães, abençoem meu caminho…
Tambores do xamã, toquem pra mim…
Grande Mãe, estou aqui…

.
.



No Sopa de Letrinhas (Bar Bagaça, São Paulo, 2011)

.
.

HELLO KITTY
música de Ricardo Kelmer e Flávia Cavaca, 2005
.

Meu bem, vou te contar
Essa vida é um shopping
Meu passeio preferido
É ser vitrine pro olhar
Sou oferta cintilante
Impossível recusar
Sou joia cara
Aquela estrela rara
Que periga te cegar

Eu assumo, sou de consumo
Mas só vai me ganhar
Quem souber me conquistar

Meu celular tá tocando
Meu ibope tá subindo
Minha vida é uma festa
E eu não vou te convidar
Mas hoje tô boazinha
E uma chance vou te dar
Então entra na fila e espera
Que eu ainda vou me arrumar

.
.

NÃO FAZ SENTIDO
música de Ricardo Kelmer e Ana Alcântara, 2005
.

Você pergunta como eu estou
Se eu preciso de alguma coisa
Em quê que você pode me ajudar
E eu digo que comigo vai tudo bem
Segue o trem da minha vida
Obrigado, não precisa se preocupar

Não, não faz sentido
A tua boca assim pertinho de mim
E não poder beijar

É tão estranho ver você assim
Dizendo coisas que eu não quero
Que eu não posso, eu não consigo acreditar
Não tem lógica ouvir a tua voz
Dizendo agora a gente é amigo
Não vem com essa de pode se abrir comigo
De pode me ligar

.
.

PRA VOCÊ ME VER
2005, música de Ricardo Kelmer e Ana Alcântara
.

Esse meu jeitinho fotogênico
E esse teu olhar tão fotográfico
A me envolver e me enquadrar
Eu faço pose pro teu desejo
Só pra te ver perder o foco
A meia-luz do meu corpo
Vai te ofuscar
Sem filtro e sem retoque
Eu vou me revelar

Pra você me ver e se deliciar
Pra você me ver e se viciar
Vai ver, vai ver se há
Uma assim que nem eu

Jeitosa assim, tão dada assim
Abusada assim, todinha assim
Não há

.
.

RECOMEÇAR
2004, música de Ricardo Kelmer e Ana Alcântara
.

Olha pra mim
Eu vim aqui tão desarmada
Meu orgulho deixei em casa
Tudo que eu trago é a minha dor
E esta canção que eu fiz pra você ver
Que eu vim de cara lavada
Não quero briga, tô tão cansada
Deixa que fale por mim
A dor sem fim desta canção
Me perdoa, foi sem querer
O mal que eu fiz a você

Eu tive tudo mas não soube ser feliz
Eu nunca quis te magoar
Olha as lágrimas da nossa história
Borrando as notas desta canção
Aperta a minha mão
Vem, vem me abraçar
Me beija e me diz, por favor
Vem me beijar e me diz
Que a nossa história vai recomeçar

.
.

Angélica Brita, abalando no bloco Belas da Tarde (Fortaleza, 1993)

.
.

QUANTO VOCÊ PAGA
2001, música de Ricardo Kelmer e Toinho Martan
.

Você me olha desse jeito
Pensa que eu não sei
Que você quer me comprar
Mas eu não estou à venda, meu bem
O que está à venda é o seu sonho de ter
O que você pode pagar

Quanto você paga, meu amor
Pra eu nunca dizer não?
Quanto você paga pra eu roubar
Seu coração?
Quanto você paga pra eu dizer
Coisas que sua mulher não diz?
Quanto você paga
Pra eu te fazer feliz?

.
.

DESPREZÍVEL
1998, música de Ricardo Kelmer e Toinho Martan
.

Desprezível eu sou
Desprezível
Rastejando de desejo
No quarto de despejo desse amor
Desprezível

Quantas vezes te procurei
Nas madrugadas da cidade
Ai que louca que eu sou
Ai que pouca vergonha
A insônia desse amor

Manda em mim que eu obedeço
Diz que eu não presto
Diz que eu sou desprezível
Me deixa aqui na mesa
Vai que eu pago a despesa
Desse amor

.
.

VINGATIVA
Ricardo Kelmer, 1997
.

Ah, você não sabe do que eu sou capaz
Eu viro louca possessiva
Descabelada, vingativa
Eu faço um inferno da sua vida
E conto pra sua mulher
O que é que você faz

Você não me conhece, rapaz
Eu escandalizo o público
Eu publico suas cartas ridículas
Eu compro soda cáustica
E deixo sua carreira por um fio
Depois sorrio e durmo em paz

Ferina e mordaz
Eu arroto imprudência
Eu esqueço a decência
Ah, a vingança é uma ciência
Que em mim atingiu seu apogeu
Você já perdeu o seu cartaz

Não me subestime, rapaz
Você não sabe do que eu sou capaz

.
.

DECIFRA-ME
Ricardo Kelmer, 1997
.

Tem noite em que eu sou tão santa…
Mulher tem de saber o seu lugar
Eu olho para ti e é obscena
A cena do meu corpo em teu olhar
Eu viro o rosto pra não corar…

Tem noite em que eu sou tão cara
Mulher tem de saber o seu lugar
No olhar que ela inflama
Na cama de alguém sem se dar
Tenho um aluguel para pagar…

Esse é o jogo do amor
Esse é o seu desafio
Te seduz o meu pudor
Te ameaça o meu cio

Sim, eu me dou pra você
Como eu sempre quis me dar
Se você me decifrar
Só se você me decifrar

.
.

O Monge Traveca. Com o parceiro Toinho Martan,
show da Intocáveis Putz Band (Fortaleza, 1999)

.
.

DESATINOS
1996, música de Ricardo Kelmer e Flávia Cavaca
.

Tantos bares em teu desejo
Tantos beijos em teu se dar
Eu te procuro e não me vejo
À luz neon do teu olhar

Mas hoje meu hálito é cor de vinho
E me alinho às deusas do que vier
Um decote ousado, um ar mordido
Você não conhece uma mulher

Me leva contigo ao mundo teu
Ensina os desatinos do mundo teu
Quero me deitar com quem te ama
Na cama de quem me abençoar

.
.

MARIA DA GRAÇA
Ricardo Kelmer, 1996
.

Maria da Graça eu
Meu senhor
Bendita nos teus braços
Bendito, o fruto dessa paixão
Seduz

Maria da Graça eu
Meu senhor
Pecadora desse amor
Agora é a hora da minha sorte
Meu bem

Maria da Graça eu
Cheia de graça eu
Agraciada eu
Acariciada eu
Viciada eu
Abraça eu
Meu senhor
Meu bem

.
.

MENINA DO LACINHO COR-DE-ROSA
Johnson, Lonner e Gil, 1989
.

Quando entrei no cabaré
Todo mundo se divertia
Nessa noite que rolava
Todo mundo aproveitava
A festa acontecia

Numa mesa mais escura
Vi uma cena comovente
Uma menina ainda nova
Com um lacinho cor-de-rosa
Me sorria tristemente

Menina do lacinho cor-de-rosa
Teu lugar não é aqui
Levanta que eu te levo embora
Vem que eu te faço ser feliz

Fui sentar na sua mesa
E ela logo me falou
Estranho pode parecer
Mas não procuro o prazer
O que eu quero é o amor

E me disse com a voz meiga
Num beicinho de chorar
Ainda não sou bem crescida
Mas já sei que nesta vida
O importante é amar

.

Ricardo Kelmer 2011 – blogdokelmer.com

.

.

LEIA TAMBÉM

Meu fantasma predileto – Diziam que era a alma de alguém que fora escritor e que se aproveitava do ambiente literário de meu quarto para reviver antigos prazeres mundanos

O encontrão marcado – Fechei o livro, fui até a janela e olhei pro mundo lá fora. E disse baixinho, com a leveza que só as grandes revelações permitem: tenho que ser escritor

Kelmer Com K no Toma Lá Dá Cá – Aqueles aloprados moradores do condomínio Jambalaya descobriram meu livro maldito

Pesadelos do além – O pior pesadelo prum escritor é ser psicografado. Ou melhor: ser mal psicografado.

O escritor grávido – Será um lindo bebê, digo, um lindo livrinho, sobre o mais belo de todos os temas

Livros e odaliscas – Meia-noite. Volto do banho. Elas estão todas deitadas em minha cama, lânguidas odaliscas a me aguardar.

O dilema do escritor seboso – Certos escritores amadurecem cedo. Tenho inveja desses. Porque nunca viverão o constrangimento de não se reconhecerem em suas primeiras obras

Mais textos na categoria “Profissão escritor”

.

FALARAM DISSO POR AÍ

O feminino, por Ricardo Kelmer – Blog O Feminino e o Sagrado, de Beatriz Del Picchia e Cristina Balieiro.

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
 Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer (saiba mais)

.

.

 COMENTÁRIOS
.

01- que massa! Ítalo Furtado, Fortaleza-CE – jan2012

02- Adorei!! Beijo!! Cristiane Bastos, Taíba-CE – jan2012

03- Tá tomando gosto pela coisa, hein!rsrsrsrsrsr. Maria Do Carmo Antunes, São Paulo-SP – jan2012

04- Todos dizem que ninguém conseguiu traduzir tão bem a alma e o universo feminino em poesia que o Chico, e até concordo. Mas dividiria o título com aquele que parece conhecer não só a alma, mas o corpo, a mente, os sentimentos, as pulsões, e as múltiplas facetas desse nosso universo. Parabéns Kelmer! Jocastra Holanda, Fortaleza-CE – mar2013

05- Que não se esgote a sua feminilidade! Márcia Maracajá, Recife-PE – mar2013

06- SIMPLISMENTE SHOW! BEIJO. Mônica Fuck, Fortaleza-CE – mar2013

06- Caramba, Kelmer, adorei! Beatriz Del Picchia, São Paulo-SP – mar2013

07- amei a sua publicação de hoje, demais!!!! ja escutei varias musicas…..não sabia que vc tinha mais esta faceta! as letras são lindas, curti muito! Carla Falcão Bouth, São Paulo-SP – mar2013

08- Ela no Espelho. bom. fala sobre o refletir. a reflexão da imagem. sobre o tempo que passa. Acho que mexeu nas minhas angustias de mulher. rsrsr. Paulla Sousa Barros, Fortaleza-CE – mar2013

09- hahahaha. Este Ricardo Kelmer Do Fim Dos Tempos é D+! Joyce Néia, São Paulo-SP – mar2013

10- Gostei. Tatiane Sá, Cajamar-SP – nov2013

11- Linda, a Kelmerina!!! Daniela Oliveira de Rogério, Fortaleza-CE – nov2013

12- Loura escâaando! Ou seria ruiva? Rindo e lembrando de vc “baixando a Clara Nunes” na quinta no Boteco. Muito bom! Eu sempre me divirto com esse feminino em RK. Ivonesete Zete, Fortaleza-CE – nov2013

13- leva o maior geito kkkkkkkkk. Marcos Felix, Ceilândia-DF – mar2014

14- LINDOOOOOONAAAAAAA. Shirlene Holanda, São Paulo-SP – mar2014

15- Rick, Quem Te Conhece sabe q vc é bem Assim mesmo. Bjus. Laurinha Oliv, Fortaleza-CE – mar2014

16- GOSTOOOSA! Digo, gostoooso! Samara Do Vale, Fortaleza-CE – mar2014

17- vc está uma fofa! Luke Junior, São Carlos-SP – mar2014

18- Tens um raro dom de entender o feminino. Assim, parabenizo esta mulher que tens aí dentro, que ela te siga pela vida de forma sempre atenta, colorindo o teu trabalho com um sutil cor-de-rosa que tanto nos encanta. Ligia Eloy, Lisboa-Portugal – mar2014

19- Ricardo Kelmer? Adorei !!! Vou levar Alma Una…………. sensacional! Inté amigo. Amanda Pontes, Florianópolis-SC – mar2014

20- EH POR ISSO QUERIDO RICARDO Q AMO UM HOMEM DE LIBRA…. NUNCA VI ALMA MAIS DOCE EMOTIVA FEMININA… MAS NA HORA H TOME 50 TONS DE CINZA…. MISTURA MARAVILHOSA VIVA OS LIBRIANOS…. Dhara Bastos, Fortaleza-CE – mar2014

Will Duran, no seu magnífico livro, A história da filosofia, diz que a imaturidade o tempo conserta. O Marx tentou várias vezes modificar o seu Manifesto Comunista, pois a cada vez que lia via possibilidades de mudanças. Em 2000 publiquei um ensaio sobre a violência urbana, Violência: causas, conseguencias e soluções,  e jamais imaginei que tudo que escrevi estaria acontecendo, mas devo te confessar que não gosto hoje do texto, pois ainda era neófito como publicista e fico até acabrunhado por tê-lo escrito. Mas o importante é escrevermos nossas histórias e ter a certeza de que um dia valeu a pena ter escrito, mesmo que depois não nos reconheçamos mais dentro do texto, como você genialmente dissertou. Forte abraço,

Luís Olímpio

4 Responses to O feminino em mim

  1. Susana X Mota disse:

    Claro que sublinhei mentalmente algumas frases. Mas foi esta quadra que me prendeu e que resume tudo:

    Sim, eu me dou pra você
    Como eu sempre quis me dar
    Se você me decifrar
    Só se você me decifrar

    Sempre querendo tudo do modo mais difícil, nós. Mesmo o que não precisa de muitas dicas pode não vencer. Há sempre mais um “truque escondido na manga”. Decifrar o enigma da entrada é só mesmo o começo. Eu vi no “Indiana Jones” : nas cavernas, só a fé construiu a ponte que leva ao desafio final. Até lá, armadilhas, serpentes, aranhas, um labirinto de salões lembrando escadarias de Escher. Atenção, concentração, habilidade, garra e desapego (e uma marmita, claro) são bagagem que não pode faltar.

    Acho que estás indo bem na Jornada. Só me pergunto se a descoberta do feminino não conduzirá, inevitavelmente, à descoberta de ti mesmo… e para quando uma “tour” pela “Rota do Sol?” 🙂

    Curtir

    • ricardokelmer disse:

      > Se a psique é composta de princípios yin e yang, o reconhecimento do yin pelo homem em seu próprio ser certamente é um indício que ele está a se conhecer. Então, que bom! E se Rota do Sol significa nordestear, espero trilhá-la a partir do Carnaval, começando por Campina Grande (Encontro da Nova Consciência), passando depois por Recife e Fortaleza.

      Curtir

  2. Mayara NIrley disse:

    Putz!!!vc veio ao mundo com o dom msm….cara o q vc escreve n tem como explicar… Quero ouvir suas musicas…as letras são maravilhosas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: