LIVROS – A Prostituta Sagrada

17jun2009


LivroAProstitutaSagrada-03A prostituta sagrada
– A face eterna do Feminino

Nancy Qualls-Corbett (Editora Paulus, 1990)

O eterno feminino e sua relação com espiritualidade e sexualidade. Quando a deusa do amor ainda era honrada, a prostituta sagrada era virgem no sentido original do termo: pessoa íntegra que servia de mediadora para que a deusa chegasse até a humanidade. Este livro mostra como nossa vitalidade e alegria de viver dependem de restaurarmos a alma da prostituta sagrada, a fim de nos proporcionar uma nova compreensão da vida.

.

.

RESGATANDO A SEXUALIDADE SAGRADA
Ricardo Kelmer, 2009

Em muitas culturas antigas a sexualidade convivia muito bem com a religiosidade, sem a ideia do pecado que mais tarde a religião cristã viria trazer, impregnando toda a cultura ocidental. Se hoje, para a maioria de nós, lugar de religião é na igreja e lugar de sexo é na cama, para essas antigas culturas as duas coisas podiam ser vivenciadas harmoniosamente no mesmo contexto, pois a percepção da sexualidade era também uma percepção do Mistério e do Sagrado.

Nos rituais do hierogamos (o casamento sagrado do feminino com o masculino) que existiram em culturas não patriarcais da Antiguidade, sacerdotes e sacerdotisas usavam o ato sexual como forma de reverenciar a Deusa do Amor e, assim, atrair sua simpatia e auxílio ao seu povo. Isso pode não fazer sentido para quem reverencia deuses masculinos e dissociados do sexo, mas naqueles tempos em que a Deusa do Amor era honrada (em suas diversas formas, como Afrodite, Inana, Ihstar…), os rituais em seu louvor iniciavam a mulher num novo nível de sua vida, preparando-a para as relações amorosas e equilibrando nela o masculino e o feminino, a força e a suavidade, tornando-a una em si mesma (o sentido original do termo “virgem” é justamente este). O mesmo ocorria aos homens que se entregavam aos mistérios sagrados.

elaprostitutasagrada01Hoje já não veneramos a Deusa do Amor como os antigos faziam. Mas amamos. Porém, amaríamos de um modo mais sadio e nossa relação com a própria sexualidade seria melhor se nisso tudo tivéssemos a noção do Sagrado  que infelizmente perdemos nos descaminhos da civilização.

Não, não precisamos voltar a cultuar as antigas deusas e reeditar os rituais das prostitutas sagradas, até porque hoje sabemos que as deidades são representações personalizadas de aspectos do nosso próprio psiquismo. Mas podemos vivenciar os Mistérios a partir de nosso crescimento psíquico e servir ao Sagrado através de nossas relações amorosas. Cada homem e cada mulher pode ser o sacerdote e a sacerdotisa do Amor em sua própria vida.
.

Ricardo Kelmer 2009 – blogdokelmer.com

.

.

MAIS SOBRE SEXUALIDADE E RELIGIÃO

ANoivaLesbicaDeCristo-01aA noiva lésbica de Cristo – Se hoje a sexualidade feminina ainda apavora a mentalidade cristã, no século 17 ela era algo absolutamente demoníaco

Corpo e sociedade – O homem, a mulher e a renúncia sexual no início do cristianismo (Peter Brown, Jorge Zahar Editor, 1990)

Hierogamos na Wikipedia

.

MAIS SOBRE LIBERDADE E O FEMININO SELVAGEM

AMulherSelvagem-11aA mulher selvagem – Ela anda enjaulada, é verdade. Mas continua viva na alma das mulheres

A mulher livre e eu – A liberdade dessa mulher reluz no seu jeito de ser o que é – e ela é o que todas as outras dizem ou buscam ser, mas só dizem e buscam, enquanto ela tranquilamente… é

Em busca da mulher selvagem – Era por ela que eu sempre me apaixonava, essa mulher que era quem ela mesma desejava ser e não a mulher que a família, religião e sociedade impunham que ela fosse

Amor em liberdade – O que você ama no outro? A pessoa em si? Ou o fato dela ser sua propriedade? E como pode saber que ela é só sua?

As fogueiras de Beltane – As fogueiras estão acesas, a filha da Deusa está pronta. O casamento sagrado vai começar

Medo de mulher – A mulher é um imenso mistério, que o homem jamais alcançará

Alma una – Eu faço amor com a Terra / Sou a amante eterna / Do fogo, da água e do ar / Sou irmã de tudo que vive / Ninfa que brinca com a vida / Alma una com tudo que há

Quem tem medo do desejo feminino? (1) – A maternidade, a castidade e a mansidão de Nossa Senhora como bom exemplo, e a força, a independência e a liberdade sexual da puta como exemplo contrário, a ser jamais seguido.
.

DICAS DE LIVROS

vtcapa21x308-01Vocês terráqueas – Seduções e perdições do feminino – Livro de contos e crônicas sobre a mulher

Mulheres que correm com os lobos – Mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem (Clarissa Pinkola Estés – Editora Rocco, 1994)

As brumas de Avalon (Marion Zimmer Bradley – Editora Imago, 1979)

Atos impuros – A vida de uma freira lésbica na Itália da Renascença (Judith C Brown, Brasiliense, 1987)

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer@gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

.

Anúncios

4 respostas para LIVROS – A Prostituta Sagrada

  1. Mirian disse:

    Sou sua fã…tasma! Beijos

    Curtir

    • ricardokelmer disse:

      > Adorei a aparição… 🙂

      Curtir

      • Mirian disse:

        As mulheres que me desculpem, mas o feminino é fundamental! (muito mais que a beleza estética exigida por Vinícius)
        O feminino é tão fundamental como o sol roçando a pele, o vento arrepiando o pelo
        Como a lua movendo os hormônios
        Cheia de idéias
        Nova de quereres
        Crescente de amores
        Minguante de tristezas
        Na poesia da mulher cabe tudo, todos
        Inspiração e expiração
        Todas a rimas e esgrimas
        Todas as frentes (únicas)
        Todos os versos (do universo)
        O infinito repousa no colo da mulher
        O seio da natureza alimenta os filhos que ela gera
        E seu ventre se abre em tantas possibilidades
        Em tantos gozos e volúpias
        Como se pelas suas coxas fosse apriosionado o impulso do vir-a-ser
        Do que escorre e transcorre
        Em tantas mexidas e gemidas
        Nas indas e vindas
        Mas também no que pára e cria
        No que gera e silencia
        O feminino é fundamental
        Mas é o masculino que acalenta, alimenta e sustenta este impulso vital
        E é por isso que só funciona se fizermos juntos: homem e mulher, feminino e masculino!

        Curtir

      • ricardokelmer disse:

        > Belo texto, Mirian! A respeito de seu comentário sobre Vinicius e seu poema Receita de Mulher, na verdade a beleza da qual o poeta fala é algo mais amplo que a mera beleza física. Caso deseje ler o poema na íntegra: http://www.viniciusdemoraes.com.br/site/article.php3?id_article=202

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: