Me estupra, meu amor

março 20, 2013

Ricardo Kelmer 2013

Fantasiar ser estuprada é uma coisa – querer ser estuprada é outra coisa totalmente diferente

MeEstupraMeuAmor-4
.
Muitas mulheres têm a fantasia de ser estuprada. Eu, particularmente, conheço várias, de espevitadas adolescentes a respeitáveis senhoras. Obviamente, elas não desejam sofrer estupro real, e na fantasia a lógica é invertida, com a história se desenrolando conforme a vontade e o prazer de quem fantasia, mas isso não deixa de ser muito curioso. Numa época em que a cultura machista, que incentiva os crimes de estupro, está em xeque, e as mulheres a cada dia avançam mais na conquista dos direitos que o patriarcado sempre lhes negou, assumir ou mesmo falar desse tipo de fantasia é mexer num vespeiro e arriscar ser mal interpretado. Mas vamos lá.

Um dos perigos que ronda esse tema é o fato de que algumas pessoas não conseguem distinguir fantasia de realidade. Fantasiar ser estuprada é uma coisa – querer ser estuprada é outra coisa totalmente diferente. Usar o argumento “as mulheres fantasiam ser estupradas” para justificar estupros é típico de quem não distingue fantasia de realidade, ou de quem é canalha mesmo. Talvez, para a mulher, por trás da fantasia de ser estuprada esteja a ideia de ser tão irresistível a ponto do homem não conseguir se controlar e, assim sendo, ser dominada e forçada ao sexo seria a comprovação de seus poderes de sedução. Talvez. Não é novidade que a violência consentida, comum nos jogos sexuais entre parceiros, tem um forte atrativo afrodisíaco. Muitas mulheres assumem que adoram uma dose de dor no sexo. E outras muitas não dispensam puxão de cabelo, tapa, chicote, submissão e outros fetiches masoquistas.

Porém, há mulheres que brincam de serem desejadas sexualmente, e agem e se vestem com essa deliberada intenção – mas é tudo brincadeirinha, pois elas não estão realmente dispostas a fazer sexo. Bem, até aí tudo bem, pois atiçar o tesão alheio, ainda que de brincadeira, não é crime. Porém… isso não seria algo discutível do ponto de vista da ética? Ou não?

As mulheres, pelo menos em nossa cultura, gostam de brincar de provocar sexualmente, sabemos disso. Desde cedo elas parecem ter boa noção do poder sexual que possuem. Seria um fator cultural ou algo inerente à psique feminina? Talvez as duas coisas. Se elas sabem do poder sexual que têm, seria justo culpá-las, ainda que em grau menor, por provocar deliberadamente o desejo dos homens? Ou não tem nada a ver? E como poderíamos definir exatamente o que é provocação?

Acho que nem a mulher nem ninguém deve ser culpado por provocar, ainda que deliberadamente, o desejo sexual alheio, pois todos devem ter o direito de expressar sua sexualidade livremente. Se o homem concorda que a mulher é livre para brincar com seu poder sexual, deve aprender a relaxar com as brincadeiras delas. Se discorda, é um sério candidato a ter problemas com as mulheres e até com a polícia.

Não neguemos à mulher o prazer de sentir-se desejada, e compreendamos suas brincadeirinhas sádicas de nos provocar – elas são lindas também por isso. E quando elas quiserem, participemos de bom grado de suas fantasias, por estranhas que sejam. O prazer da mulher sempre faz as manhãs mais bonitas.
.

Ricardo Kelmer 2013 – blogdokelmer.com

.

.

MAIS SOBRE ESTUPRO

MeEstupraMeuAmor-4> O que desperta o desejo sexual feminino? (por Ivan Martins e Francine Lima) – Boa matéria da revista Época (2009) sobre o desejo sexual feminino.
Trecho da matéria: O desejo feminino parece depender diretamente da urgência demonstrada pelo homem em copular. Como ocorre com muitos elementos da vasta e contraditória psique humana, há consequências perversas na opção sexual das mulheres pelo prazer do outro. Uma delas é a divergência entre o que o corpo diz e o que a mente ouve, capturada no estudo de Meredith. A outra, perturbadora, é a fantasia do estupro. Os especialistas pisam em ovos ao falar sobre isso, mas o fato é que as mulheres têm fantasias recorrentes de serem submetidas pela força. Por trás disso, encontra-se, aparentemente, a ilusão narcisista (e excitante) de ser tão atraente, tão irresistível, que os homens seriam incapazes de conter sua luxúria. “As fantasias de estupro são muito mais recorrentes do que as pessoas imaginam”, diz o terapeuta Finotelli. Isso quer dizer que essas mulheres gostariam de ser estupradas? Não. Não. E, mais uma vez, não. Trata-se de uma fantasia íntima que dispara desejos sexuais. Ela não esconde a vontade oculta de sofrer a violência sórdida de um estupro. “As mulheres querem ser encostadas no muro, mas não colocadas em perigo”, diz Marta Meana. “Elas querem um homem das cavernas atencioso”. Quem seria capaz de cumprir tal papel?

> O estupro de mulheres é prazeroso pra quem? (por Lola Aronovich) – Em Quando os Adams Saíram de Férias, romance de Mendal W. Johnson sobre um grupo de jovens de 10 a 17 anos que torturam e matam sua babá de 19, o narrador, embora critique a crueldade infantil, acaba culpando a vítima. Um livro como este pode ser considerado misógino apenas pelo material. É quase um manual de instruções de como se torturar alguém. Aliás, alguém assim, sem gênero, não. Uma mulher. As torturas inflingidas a Barbara são basicamente dedicadas a todas as mulheres.

> Estupro leva Índia a exame de consciência em busca de respostas (Por Andrew North, da BBC News em Nova Déli) – O estupro e morte de uma estudante de 23 anos em Nova Déli espalhou uma onda de indignação pela Índia. Mas será que uma visita a uma área da cidade central nessa história oferece alguma pista sobre a direção para a qual se encaminha o país?

> Guru diz que indiana que sofreu estupro coletivo foi culpada – Um guru espiritual provocou revolta na Índia por um causa de um comentário bizarro: segundo Asaram Bapu, a estudante de 23 anos que sofreu estupro coletivo em um ônibus e depois morreu em um hospital foi tão culpada pelo crime quanto os seus agressores.

> Fetiches sórdidos que as mulheres não têm coragem de pedir – Entre as fantasias sexuais femininas, é muito comum a fantasia de ser pega à força. Há outras fantasias comuns mas muitas mulheres não as assumem perante seus parceiros, com medo de serem incompreendidas e rejeitadas. No site papodehomem.com.br há um texto bastante interessante, escrito por uma mulher.

> Garota é presa após fazer falsa denúncia de estupro contra amante – Poizé, os homens correm esse risco.

> Com medo da mãe, jovem tenta registrar falsa denúnica de estupro – Se o sexo houver sido violento (com consentimento), o denunciado fatalmente será considerado culpado e preso.

SexoEstuproIrreversivel-3> 10 filmes com estupro – Irreversível, Laranja Mecânica, Sob o Domínio do Medo, Pixote, a Lei do Mais Fraco, Saló ou Os 120 Dias de Gomorra, Acusados, Amargo Pesadelo, Preciosa, O Enigma do Mal, Meninos Não Choram, Ensaio Sobre a Cegueira.

> Monica Belucci fala sobre cena de estupro em “irreversível” – A atriz italiana comenta a perturbadora cena do filme do diretor Gaspar Noé.

.

MAIS SOBRE SEXUALIDADE FEMININA

incubo009a> O íncubo – Íncubos eram demônios que invadiam o sono das mulheres para copular com elas – uma difundida crença medieval. Mas… e se ainda existirem?

> Lolita, Lolita – Ela é uma garotinha encantadora. E eu poderia ser seu pai. Mas não sou…

> A gota dágua – A tarde chuvosa e a força urgente do desejo. Ela deveria resistir mas…

> A torta de chocolate – Sexo e chocolate. Para muita gente as duas coisas têm tudo a ver. Para Celina era bem mais que isso…

> O mistério da cearense pornô da California – Uma artista linda e gostosa, intelectual e transgressora, que adora perversões e, entre uma e outra orgia, luta pela liberação feminina

> Pimbando e discutindo a relação em 50 tons – Um romance pornográfico, fenômeno de vendas, escrito por uma mulher, milhões de mulheres no mundo inteiro lendo e comentando… É, eu teria mesmo que ler

> Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino – Livro de contos e crônicas sobre a mulher

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

01- Estupro como fantasia não é estupro de verdade, porque não há perigo real de morte e principalmente, a mulher provavelmente sentirá prazer e não medo. Nas fantasias, nós controlamos o que acontece, e num estupro de verdade o agressor não vai parar se a mulher pedir, só para dar um exemplo superficial. É importante que isso fique claro. A descrição da menina, pelo menos esse trecho destacado acima, deixa isso claro, na minha opinião. O problema é quando a sociedade acha que o estupro é justificável porque no fundo a vítima queria ou provocou a situação. Sheryda Lopes, Fortaleza-CE – jan2013

02- Arrasou, tio prof! Não tenho essa fantasia, mas acho até natural. Deve ser como brincar de polícia e ladrão na infância. Há pouco tempo pesquisei sobre p a conclusão de um livro, é totalmente comum essa fantasia. Pesquisem sobre GOR e encontrarão fantasias mais chocantes. Paula Izabela, Juazeiro do Norte-CE – jan2013

03- Estupro é violência. Onde está a tão apregoada violência contra a mulher? Reclamar de uns tapas e desejar ser violentada?! Te estuprem. Meu querido Ricardo Kelmer Do Fim Dos Tempos não te interpreto mal. Não interpreto esse desejo feminino. José Alberto Simonetti, Fortaleza-CE – mar2013

04- A maioria da mulheres no Brasil passa por momentos sufocantes. Um deles é ser ou não virgem. E essa situação é tão esmagadora e tirânica que muitas até desejam o estupro para poder se livrar da virgindade sem culpa. Acontece que às vezes o pensamento fica, mas é só uma fantasia. Como a maioria dos homens, que tem a fantasia de dá o furico a outro homem, mas não querem fazer isso realmente, é só fantasia. (ou querem?) Luciana Queiroz, Campina Grande-PB – mar2013

05- ter “fantasias” de um estupro é algo de DANTESCO para uma maioria puritana e suprimida. Particularmente passei anos tendo cá as minhas…kkkkkkkkkkkk e tenho sorte realizei todas. Inclusive a do moreno alto de olhos verdes na rua escura…aiaiaiaia. Ira de Guadalupe, Campina Grande-PB – mar2013

06- NAO PRECISAVA NEM SER NUMA RUA ESCURA, SO UM MORENO DE OLHOS VERDES JA ESTARIA OTIMO PRA MIM. Bruna Barros, Campina Grande-PB – mar2013

07- kkkkkkkkkkkkkkkkkk as ASSUMIDAS da rua escura e do moremo aiaiaia°/ Bruna Barros, vamos ser execradas pelas feministas marronmenuamadas. Ira de Guadalupe, Campina Grande-PB – mar2013

08- ahhh então és a favor do fio terra Ricardo Kelmer Do fim dos Tempos??? Zona erógena masculina… o que você acha de alguém sem você esperar, sem estar no teu jogo de sedução enfiar algo no teu cu, educadamente Anus…??? Aline Souza, Campina Grande-PB – mar2013

09- boa, Ricardo! Julia Caputi, Mirassol-SP – mar2014

10- Gio Conda leia! Vanessa Andion, Macieó-AL – mar2014

11- mto bom viu. Gio Conda, Fortaleza-CE – mar2014

12- esse é o Rica que aprendemos a amar…rs. Magna Mastroianni, São Paulo-SP – mar2014

13- Texto ambíguo. Não consegui definir a sua opinião acerca do tema da moda. Russana Melo, Fortaleza-CE – mar2014

14- É verdade, estupro só “de mentirinha”, uma brincadeirinha a dois, só pra variar, nada a ver com ser obrigada fazer sexo, inclusive com o maridão, será que é tão difícil de entender isso?????? Marialucia da Silveira, Campinas-SP – mar2014

15- Nem sempre uma mulher de roupa curta está querendo ser sexy, assim como um homem sem camisa também não. Esse é outro mito que há muito já devia ter caído por terra. A avassaladora 24h é muito mais uma fantasia ( via de regra masculina) que qualquer outra coisa… Ciça Andrade, Fortaleza-CE – mar2014

16- Porque vc náo fala também do estupro masculino ou da violéncia sexual praticada contra os meninos ???!!! Seria um tema interessante pra se discutir….. Katia Mota, Beberibe-CE – mar2014

17- Também achei a opinião ambígua. Estamos falando a respeito do estupro como sendo uma forma de violência, poder e opressão masculina e não de desejo sexual. Fetiche feminino como brincadeirinhas de casal, mas, e muito mais, atrelamos a cultura machista e a forma consciente de manter sob as mulheres o prazer do poder e da dominação. Vamos “levar a sério” o trato do tema, despir esteriótipos e levar ao ápice do prazer desta “causa” o RESPEITO! Marília Cláudia, Campina Grande-PB – mar2014

18- Estupro entra nos primeiros lugares em todas as listas de fantasias femininas, só fica atrás de fantasias ligadas a exibicionismo! Estudos indicam que mais da metade das mulheres tem fantasias desse tipo. Quem não percebe isso deve estar engatinhando na caliginosa “arte do sexo” ou na misteriosa mente das mulheres. Alexandre Domene Ortiz, Fortaleza-CE – abr2014

19- Ouço opiniões de respaldo ou da cultura do “lepo-lepo”? kkkkkkk… lamentável! Marília Cláudia, Campina Grande-PB – abr2014

20- Marilia Claudia, seria bom termos acessos a essas pesquisas e listas de fantasias em q aparecem essas fantasias q são atribuídas às mulheres… Inclusive eu gostaria de saber se a arte do sexo envolve forçar brutalmente e violentamente pessoas que não querem fazer sexo, pois me parece que é um estupro. Se algumas mulheres têm essa fantasia de “estupro de mentirinha”, sendo forçadas brutalmente e violentamente pelos parceiros, então que se pronunciem… ou especifiquem o que elas estão chamando de “fantasia de estupro”… Miguel Leocádio Araújo, Fortaleza-CE – abr2014

21- Isso mesmo…e a credibilidade de tais pesquisas. Para ser sincera, li uma revista (tipo aquelas de “fofoca”) com uns resultados de “pesquisas” em que seria mesmo uma fantasia feminina. Lendo em detalhes, vê-se que estão falando do sadomasoquismo e do prazer da dominação masculina. Configura-se isto estupro? Marília Cláudia, Campina Grande-PB – abr2014

22- Pois é, eu tb já vi exatamente essa pesquisa, q não dá as fontes. Se é tudo de comum acordo entre os apreciadores do sado-masoquismo e da estilização do sexo violento, como pode ser estupro, se neste último a pessoa a pessoa é forçada a fazer o que ela não quer com querm ela não quer de forma violenta?? Sinceramente, creio que a fantasia se distancia e muito da realidade, nestes casos… Miguel Leocádio Araújo, Fortaleza-CE – abr2014

23- Não nego aqui a intencionalidade de algumas mulheres em gostar/gozar da submissão, entrega, sadomasoquismo e outras taras: vale qualquer coisa para pôr para escanteio os sentimentos que atrapalham o prazer sexual. Mas, enquanto a FANTASIA cria ambientes SEGUROS para deixarmos aflorar a excitação… o ESTUPRO, é perverso, violenta, fere… Marília Cláudia, Campina Grande-PB – abr2014

24- Os céticos precisam de dados? OK, posso começar com esses mas tem muito material na rede e não estou falando de revistas de fofocas e sim de sites de psicologia e medicina, as próprias pesquisas estão disponíveis. http://www.psychologytoday.com/blog/all-about-sex/201001/womens-rape-fantasies-how-common-what-do-they-mean Alexandre Domene Ortiz, Fortaleza-CE – abr2014

25- O subjugar a mulher na hora do sexo é muito mais fantasia do homem, do que da mulher. Daniele Bezerra, Fortaleza-CE – mar2014

26- Não confundam fantasias de dominação e sadomasoquismo com fantasias de estupro, que é sexo não consentido. As primeiras são mais comuns entre os homens, ( vc tem toda razão cara Daniele), mas fantasias com estupro é muitíssimo mais comum entre as mulheres. E não se envergonhem por isso moças e senhoras , no mundo da fantasia tudo é permitido. Alexandre Domene Ortiz, Fortaleza-CE – abr2014

27- Miguel Leocádio Araújo, VOCE É MUITO CHATO criatura! Der asas a sua imaginação e deixe de s e reter na palavra estupro rapaz! Ela pode ser enquadrada na categoria de muitas interpretações e não apenas no ato sexual entre a vitima e o criminoso. Coisa chata! Isso é uma crônica e não uma tese de doutorado. Você está sendo violentado pelo seu próprio EGO, com tanta defesa a seu favor e desejando se promover neste tópico e na sua página. Um olhar rápido foi suficiente para perceber. Que homem chato! Conheço pessoas maravilhosas do nordeste brasileiro, mas você é uma das exceções. Chatice em vastidão.
O Ricardo na sua educação respondendo os comentários e você o afrontando com esse ar de “VOCÊ DEVERIA”. Quem é você para impor para um escritor o que ele deve ou não fazer? O escritor é livre… Dizia a Lispector que escrever é uma maldição que salva e outros escritores afirmam que é a maldição da entrega completa.
O Ricardo escreve o que pensa… O que sente… O que vive… ou NÃO e compete ao leitor entender, aceitar ou não o texto sem que use de afronta. Está evidente que você estava no rastro (inclusive do tempo… rsrsrrsr) dos comentários do Ricardo. Nesta crônica a interpretação vai de acordo com a visão de cada pessoa. A sua está truncada pelos padrões de uma sociedade machista usando a mascara do bom samaritano em defesa do seu próprio ego. Nada ficou ambíguo Ricardo. Você deixou bem CLARO no inicio da sua crônica a diferença entre estupro criminoso e o desenrolar da sua cônica. Ambígua é a mente de quem não sabe entender as entrelinhas do seu texto e não leva a vida leve sem esses paradigmas que o mundo lhes impõe. Parabéns Ricardo Kelmer. Um brinde as fantasias e a palavra estupro sem criminalidade. Tim Tim! Amanda Pontes, Florianópolis-SC – abr2014

28- …a palavra estupro sem criminalidade… hahaha Miguel Leocádio Araújo, Fortaleza-CE – abr2014

29- Olha aí, Ricardo Kelmer, a sua amiga mandou eu me calar, rapaz!!! Que atitude bacana, vinda de uma mulher. Sinaliza que nem todas têm essas tendências à submissão. hahaha Pois então, vou fazer o seguinte, vou obedecê-la e vou me calar, embora eu ache que estava começando a entender um pouco do que quis dizer na sua crônica… Miguel Leocádio Araújo, Fortaleza-CE – abr2014

30- Miguel Leocadio Araujo, prefiro um milhão de vezes a tua suposta “chatice” a essa história de dizer, seja em tese de doutorado ou em ficção, mesmo com base em pesquisas, que mulheres têm a fantasia de serem estupradas. Cadu Bezerra, Fortaleza-CE – abr2014

31- Eu sinceramente não tive dificuldade em entender a proposta da crônica. Vamos a minha experiência, suponhamos que eu esteja sem o desejo sexual para com meu parceiro naquele momento. E ele vem até mim de forma brusca dizendo que me quer agora e que naquele momento eu não tenho escolha, já começo a desenvolver uma excitação discreta. Que tende a crescer quando eu permito em minha mente, a medida que mantenho o jogo dizendo que não quero (kkkkk) simulando a situação de vítima. Durante o ”jogo” existe situações que machucam, que deixam hematomas…esses detalhes deixam a brincadeira parecendo um estupro e isso me proporciona prazer. Para esse prazer acontecer os limites de dor tem que existir, bem como a comunicação minha com o parceiro. É nesse aspecto que o estupro deixa de ser violência e passa a ser fantasia. Vê bem, isso não quer dizer que se um maníaco fizer o mesmo eu vá me excitar. É preciso da atração sexual pela pessoa antes da vontade propriamente dita de fazer sexo. Maria Rosa Dorand, Campina Grande-PB – abr2014

32- Miguel Leocádio Araújo eu acredito que não são todas as mulheres que sentem prazer numa fantasia desse tipo. Ao comentar com amigas pude ver que a mesma situação causava frigidez a elas, mas essa fantasia existe e não diz respeito a andar na rua e ser pega, mas de descontrolar aquele que busco conquistar diariamente. Maria Rosa Dorand, Campina Grande-PB – abr2014

MeEstupraMeuAmor-4a


As Preciosas do Kelmer – fev2013

fevereiro 18, 2013

Ricardo Kelmer 2013

AsPreciosasDoKelmer201302-1

.
Criei uma revistinha no Facebook. Ela se chama As Preciosas do Kelmer e é feita de dicas e comentários sobre variados assuntos. A periodicidade é mensal, funciona por meio de uma única postagem que abasteço com subpostagens e os leitores podem comentar a qualquer momento e até sugerir assuntos. Por seu caráter dinâmico e interativo e por construir-se a cada dia, eu diria que é uma revista orgânica. A capa da revista é a própria imagem da postagem, que sempre trará imagens femininas.

Meu objetivo com As Preciosas é dar vazão à minha necessidade de comentar fatos do cotidiano. Pra mim o Facebook é ideal pra isso.

Aqui no blog postarei a edição do mês e a atualizarei a partir das atualizações no Facebook, sempre com imagens. Espero que você goste.

> No Facebook

> No Blog do Kelmer

.

AsPreciosasDoKelmer201302-1AS PRECIOSAS DO KELMER
Dicas e pitacos para o mês
#5, fev2013

Imagem da capa: Manifestação a favor de Malala Yousafzai, a jovem paquistanesa que desafia o Taliban lutando pelo direito das mulheres à educação

.

>>> CONGRESSO MAL ASSOMBRADO

A LUTA CONTINUA

A maioria dos senadores ignorou as denúncias que pesam sobre Renan Calheiros e o elegeram para a presidência do Senado. Porém, se for condenado pelos crimes de peculato (desvio de dinheiro público), falsidade ideológica e uso de documento falso – pelos quais responde na Justiça – ele pode pegar até 23 anos de prisão.

Paralelamente a isso, a população mostra sua insatisafação. Algumas manifestações aconteceram em frente ao Congresso e a petição pública contra ele já reúne 400 mil assinaturas, um número bastante expressivo. Se os senadores não estão nem aí para a ética e a honestidade, a população demonstra estar cada vez mais ciente de seu papel no jogo democrático.

Você ainda não assinou a petição? Assine agora e junte-se aos que lutam por um Brasil menos corrupto. É o seu dinheiro que está em jogo.

> Assine a petição

.

A LUTA CONTINUA

- Compra de rádios por meio de “laranjas”
- Tráfico de influência junto à empresa Schincariol na compra de uma fábrica de refrigerantes
- Espionagem de parlamentares da oposição
- Desvio de verbas públicas em ministérios do PMDB
- Notas frias em nome de empresas fantasmas para comprovar rendimentos

Estas são algumas das nobres credenciais de Renan Calheiros para ocupar a presidência do Senado.

> Saiba mais

.

PELO IMPEACHMENT DE RENAN CALHEIROS

PoliticaRenanCalheiros-1Nem no Carnaval a indignação popular dá descanso a Renan Calheiros. A nova petição pública que pede seu afastamento da presidência do Senado já conta com mais de 1.200.000, sim, um milhão e duzentos mil assinaturas. E você? Que tal se afastar do bloco da folia por um minuto e juntar-se ao bloco dos indignados que exigem um ficha-limpa na presidência do Senado? > Assine a petição

.

>>> LIVRANDO A SEMANA (49)

LOLITA (Vladimir Nabokov) Rocco
(vestibular.uol.com.br)

“Lolita” é uma das obras mais polêmicas da literatura contemporânea universal. Muito arrojado para a moral vigente na época, o romance de Vladimir Nabokov (1899-1977) foi inicialmente recusado por várias editoras. Ao ser finalmente lançado, em 1955, por uma editora parisiense, gerou opiniões antagônicas: houve quem definisse o livro como um dos melhores do ano; houve quem o considerasse pornografia pura. Nos Estados Unidos, onde só viria a ser publicado em 1958, rapidamente conquistou o topo das listas de mais vendidos.

Visto hoje, filtrado pelos anos e por uma verdadeira biblioteca de comentários e críticas, Lolita parece sobretudo uma apaixonada história de amor, escrita com elegante desespero. O protagonista é o obsessivo Humbert, professor de meia-idade. Da cadeia, à espera de um julgamento por homicídio, ele narra, num misto de confissão e memória, a irreprimível e desastrosa atração por Lolita, filha de 12 anos de sua senhoria.

Escrito num estilo inimitável – mas não intraduzível, como bem se verá -, “Lolita” é uma obra-prima da literatura do século 20. Aqui se cruzam alguns dos temas clássicos da arte de todos os tempos (a paixão, a juventude, o amadurecimento) com questões mais típicas da nossa modernidade, como as ambivalências eróticas e o exílio – que é uma questão tanto de geografia quanto da linguagem e do coração.

> Adquira este livro na livraria Arte Paubrasil

.

SOBRE VLADIMIR NABOKOV (Wikipedia)

Vladimir Vladimirovich Nabokov (em russo: Влади́мир Влади́мирович Набо́ков; São Petersburgo, 22 de abril de 1899 — Montreux, Suíça, 2 de julho de 1977) foi um escritor russo-americano. Nabokov escreveu seus primeiros nove romances em russo e então chegou à fama internacional como um mestre estilista de prosa em inglês. Também fez contribuições para a entomologia e tinha interesse em problemas de xadrez.

Lolita (1955) é frequentemente citado entre seus romances mais importantes e é o mais conhecido, apresentando o amor por intrincado jogo de palavras e o detalhe descritivo que caracteriza todas as suas obras. O romance foi classificado na quarta posição na lista dos 100 melhores romances da Modern Library. Sua autobiografia intitulada Speak, Memory foi listado na oitava posição na lista dos livros de não-ficção da Library Modern.

Nascido numa família da antiga aristocracia, em 1919, a instabilidade produzida pela revolução bolchevique (1917) obrigou-o a abandonar a União Soviética. Estudou em Cambridge e licenciou-se em literatura russa e francesa. Mudou-se para Berlim, onde iniciou sua produção literária e intenso trabalho como tradutor.

Em 1926, foi publicado seu primeiro romance, Maria, acolhido com interesse e consideração. Fugindo dos exércitos nazistas e após uma estada em Paris, chegou em 1940 aos Estados Unidos, onde se dedicou ao ensino de língua e literatura russa em várias universidades. Embora continuasse a escrever na sua língua materna, começou também a escrever em inglês, publicando o seu primeiro romance nesta língua em 1941 (The Real Life of Sebastian Knight). Publicou, em 1955, o polêmico romance Lolita em inglês.

A partir de 1958, o sucesso alcançado por seus livros permitiu-lhe dedicar-se inteiramente aos seus principais interesses, a literatura e a entomologia.

> Saiba mais

.

LOLITA, LOLITA (Ricardo Kelmer)

LolitaLolita-03A cena sempre me extasia, sua língua faceira saltando três vezes… Olho em silêncio enquanto ela lambe o papel, fecha o baseado e acende, segurando na ponta de seus dedinhos finos. Ela puxa a fumaça devagar, os olhinhos fechados, tão linda… E eu amo sua boca enquanto ela solta a fumaça. A boca. Que ela sempre esquece entreaberta, na medida exata, meio dedo, ela faz de propósito, sabe que não resisto. O que essas colegiais andam aprendendo no intervalo do recreio?

> Minha homenagem a Nabokov. Leia o conto.

.

>>> TV BANDEIRANTES É CONDENADA POR OFENSAS A ATEUS

O juiz federal Paulo Cezar Neves Júnior, da 5.ª Vara Cível, condenou a TV Bandeirantes a exibir em rede nacional esclarecimentos à população sobre e a liberdade de consciência e de crença, assegurada pela Constituição. O quadro com os esclarecimentos deve ir ao ar no programa Brasil Urgente, apresentado por José Luiz Datena, e ter duração de 50 minutos. > Leia mais

.

2o ENCONTRO NACIONAL DOS ATEUS

Apenas uma coisa dois ateus têm necessariamente em comum: o fato de não crerem na existência real de divindades. No mais, ateus podem divergir completamente. Esse algo em comum, porém, já é o suficiente para que ateus procurem se unir de alguma forma pois somente um mínimo de ativismo político é que pode defendê-los dos preconceitos e perseguições do qual são vítimas em nossa sociedade, que é majoritariamente religiosa e, em boa parte, religiosamente fanática e intolerante para com as diferenças.

O Encontro Nacional dos Ateus, em sua 2a edição, acontecerá em várias cidades do país, simultaneamente, no domingo 17fev.

> Saiba mais

.

>>> LIVRANDO A SEMANA (50)

ERIC CLAPTON – A AUTOBIOGRAFIA (Eric Clapton) Editora Planeta do Brasil

Eric Clapton é muito mais que um rock star; apresentou-se ao redor do mundo em shows disputadíssimos e é um artista fundamental no desenvolvimento musical de toda uma era. Sua maneira de tocar o fez ser chamado de Deus. Composições como Layla, Sunshine of Your Love, Wonderful Tonight e Tears in Heaven são inesquecíveis para várias gerações de fãs de música. E agora, pela primeira vez, Clapton conta a história de sua viagem profissional e pessoal nesta pungente, inteligente e dolorosamente honesta autobiografia. Aqui, o músico conta a história como ela é, sem esconder nada. Sua objetividade e honestidade fazem deste livro uma das memórias mais arrebatadoras de nosso tempo.

> Adquira este livro na livraria Arte Paubrasil

.

SOBRE ERIC CLAPTON (Wikipedia)

Eric Patrick Clapton (Ripley, 30.03.1945) é um guitarrista, cantor e compositor britânico. Apelidado de Slowhand, foi considerado o segundo melhor guitarrista da história pela revista norte-americana Rolling Stone. Embora seu estilo musical tenha variado ao longo de sua carreira, Clapton sempre teve suas raízes ligadas ao blues. Clapton foi considerado inovador pelos críticos em várias fases distintas de sua carreira, atingindo sucesso tanto de crítica quanto de público e tendo várias canções listadas entre as mais populares de todos os tempos, tais como “Layla”, “Wonderful Tonight” e a regravação de “I Shot the Sheriff”, de Bob Marley. Em 2004 foi condecorado com o título de Comandante da Ordem do Império Britânico

> Saiba mais

.

>>> CRIE UMA IGREJA E FIQUE RICO

ReligiaoDinheiro-01Para criar uma igreja no Brasil você precisa de menos de R$ 500 e em uma semana sua igreja estará regularizada, com CNPJ e conta bancária para realizar aplicações financeiras livres de imposto de renda. Assim, você poderá depositar na conta da igreja o dinheiro oriundo de quisquer outras atividades, legais ou ilegais. E tudo dentro da lei.

É por isso que as igrejas são cada vez mais usadas por bandidos e contraventores, que as fazem de fachadas para seus negócios. E tudo em nome dos deuses.

Para mostrar o absurdo dessa falha em nossa constituição, uma equipe de repórteres da Folha de São Paulo criou a Igreja Heliocêntrica do Sagrado EvangÉlio. Veja como eles fizeram.

.

PELA TRANSPARÊNCIA TRIBUTÁRIA RELIGIOSA

A sociedade organizada começa a se movimentar contra o absurdo privilégio das religiões, que são isentas do pagamento de impostos e, assim, são cada vez mais usadas para a lavagem de dinheiro e para enriquecer seus líderes desonestos.

Esta petição pública, a ser enviada ao Congresso Nacional, foi criada pela ABRAVIPRE – Associação Brasileira de Vítimas de Preconceito Religioso, e está muito bem fundamentada em sua crítica à própria Constituição, que concede privilégios demais às igrejas. É preciso, pois, alterar a Constituição.

> Assine a petição

.

>>> JULIAN ASSANGE: É BOM QUE OS GOVERNOS TENHAM MEDO DAS PESSOAS

A Internet está se transformando no maior instrumento de vigilância já criado e a liberdade que ela representa estaria seriamente ameaçada. A avaliação é de Julian Assange, criador do Wikileaks e que, há sete meses, vive na embaixada do Equador em Londres. Para ele, a web redefiniu as relações de poder no mundo, se transformou no “sistema nervoso central hoje das sociedades” e chega a ser mais determinante que armas. O problema, segundo ele, é que esse poder está agora se virando contra as populações. > Leia a entrevista feita pelo jornal O Estado de São Paulo, fev2013

.

>>> MULHER É ACUSADA DE TENTAR MATAR O MARIDO COM VENENO NA VAGINA
> Leia a notícia

.

A VAGINA VENENOSA (Ricardo Kelmer)

O medo de cavernas é um sentimento arquetípico, que nos acompanha desde os primórdios de nossa história como espécie. Penetrar no desconhecido, arriscar-se nas escuridões, descer nas profundezas do que não sabemos, isso dá medo mesmo – mas também tem algo de fascinante e irresistível. A vagina da mulher também é uma caverna. O que há lá dentro? Que perigos nos aguardam em suas escuridões? E se não conseguirmos nunca mais sair? E se ela, crau, nos morder ou, pior, nos decapitar? A vagina decapitadora. A vagilhotina.

Lembrei agora da vagina com dentes (vagina dentata), uma clássica imagem arquetípica que povoa o imaginário dos homens de todas as épocas. Eu mesmo já sonhei com um bicho desses a morder meu pingolim, o pobre do Jeitoso todo ensanguentado, coitado, acordei apavorado, que horror.

E agora essa vagina com veneno. Putz. Daqui a pouco teremos que entrar vestidos e protegidos como aqueles soldados do esquadrão antibombas. E em duplas. Vai você na frente. Não, vai você que é mais novo. Par ou ímpar? Melhor chamar mais um pra garantir.

.

>>> BLUES BRASILEIRO NO FESTIVAL CROSSROADS

ArturMenezes-1Artur Menezes é um dos maiores nomes do blues brasileiro da atualidade. Compondo, cantando e tocando sua guitarra, ele leva o blues pelo Brasil em seus shows, cativando o público com sua técnica aliada à emoção, sua mistura de ritmos (inclusive o baião) e seu jeito especial de inteagir com a plateia. Já vi alguns shows dele e verei mais quantos puder – é muito bom!

Ele é um dos brasileiros cotados para participar do Crossroads, o maior festival de blues do mundo, criado por Eric Clapton, e que este ano acontecerá em Nova York, no Madison Square Garden. Os mais votados pelo público, em todo o mundo, serão avaliados pela organização e convidados a participar do festival.

Você quer Artur Menezes no Crossroads. Vote nele:

- Acesse o link do festival: playcrossroads.com/u/Menezes
- Clique no botão “add your support”, que fica abaixo da lista de votantes
- Digite nome e email, e clique em “support”

.

>>> LIVRANDO A SEMANA (51)

MEMÓRIAS DE ADRIANO (Marguerite Yourcenar) Nova Fronteira

Pouco antes de morrer, o imperador Adriano, Pontifex Maximus dos territórios romanos entre 117-138 d.C., decide escrever uma longa carta-testamento ao jovem Marco Aurélio, o futuro imperador-filósofo. Nela Adriano passa em revista os principais episódios de sua extraordinária existência: a relação de afeto com a mulher de Trajano, Plotina; as campanhas militares em diversas regiões da Europa; as viagens à Ásia Menor; a paixão pela caça; as discussões filosóficas com os principais pensadores do seu tempo; as relações com Trajano, seu antecessor; e o casamento com Sabina. No entanto, não são as façanhas públicas e heróicas que constituem o centro vital do relato do velho imperador, mas seu amor pelo belo jovem grego Antínoo, que se matara no auge do esplendor físico. A partir dessa perda, Adriano se interroga sobre o destino, a precariedade da vida e a inevitabilidade da morte, que não poupa senhores nem escravos. “Esforcemo-nos por entrar na morte com os olhos abertos”, escreve o imperador em seus últimos dias, seguindo os preceitos da filosofia estóica que sempre o nortearam.

Lançado em 1951, este romance de Marguerite Yourcenar consumiu quase 30 anos de pesquisas e logo se tornou um clássico da literatura moderna. Poucas vezes uma experiência histórica específica – a biografia de um homem ilustre e o prenúncio da decadência de Roma – foi transformada pela ficção de modo tão vivo quanto nestas “Memórias de Adriano”. (vestibular.uol.com.br)

> Adquira este livro na Livraria Arte Paubrasil

.

>>> PARQUE DO COCÓ VERSUS GANÂNCIA IMOBILIÁRIA

O Parque Ecológico do Rio Cocó é uma área de conservação, de 1.155 hectares, situado na cidade de Fortaleza-CE. Tem esse nome devido ao rio que forma o bioma de mangue, o rio Cocó, que nasce na serra de Pacatuba, munícipio vizinho, corta vários bairros da capital e deságua no mar, no bairro da Praia do Futuro.

É uma região de rara beleza, um oásis natural encravado na área urbana de Fortaleza – mas que está perdendo a guerra contra a ganância imobiliária, que tem poder suficiente para desafiar as leis, subornar quem for preciso e construir prédios residenciais, empreendimentos comerciais e até mesmo shopping centers dentro da área do Parque.

Nos anos 1970-80 vivi minha infância e adolescência nessa área. É lá que meus pais ainda moram, apesar do assédio crescente das construtoras, ávidas por comprar os últimos terrenos resistentes. Elas estão em seu direito, sim, mas é necessário preservar o que resta de Natureza naquela área. Para isso, é necessário que a opinião pública se manifeste a fim de que o poder público se sensibilize e resista às ofertas suntuosas e aos subornos, que são as principais armas da ganância imobiliária. (RK)

> Assine a petição pública pela preservação do Parque do Cocó

.

.

AsPreciosasDoKelmer201302-1AS PRECIOSAS DO KELMER

> No Facebook

> No Blog do Kelmer

.

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS


A putinha do quartinho do fundo

fevereiro 6, 2013

As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi

Ricardo Kelmer 2012

Dei um gole na vodca e tentei me convencer que eu não estava enciumado pelo fato da minha namorada naquele momento estar tirando a roupa pra um gordão punheteiro lá do interior do Paraná

APutinhaDoQuartinhoDoFundo-3.

Striputinha.

STRIPUTINHA. Foi o nome que Jessi escolheu pra sua personagem no serviço de strip-tease pela internet que ela criara. Striputinha, sua amante virtual, performance de vinte minutos, o cliente escolhe se ela será uma enfermeira, garçonete, policial e por aí vai. Ele deposita a grana e na hora marcada Jessi liga sua web cam no quartinho do fundo do apartamento, vestida conforme o gosto do freguês. Ninfa Jessi não presta.

Putz. Em menos de um mês de trabalho com strip cam minha pequena faturara o que eu ganhava em seis meses como jornalista. Sim, ganhava, pois não ganho mais: tô desempregado desde que o último jornal pro qual eu escrevia sucumbiu às pressões do MNBC, o famigerado Movimento Nacional pelos Bons Costumes, que nos persegue desde que eu e Jessi iniciamos nossa campanha pela ampliação do diâmetro do mundo.

– Agora sou eu quem vou te sustentar, meu amor – ela anunciou, toda animada, me mostrando o belo saldo da conta. – Diametral vai poder escrever o que quiser, na tranquilidade. E nunca mais vai pensar no aluguel na hora errada, viu?

Ela se referia a uma triste broxada que ocorrera comigo dias antes. Sim, broxar é sempre triste, mas daquela vez foi tristérrimo. Vou contar, mas vê se não sai espalhando por aí. Era aniversário da Dinda, uma ninfeta muito sapeca que Jessi conhecera na sex shop. Mês passado a danada fez 18 aninhos e a gente a chamou pra comemorar num motel, a três. Pois no meio do bem-bom, taças de vinho, no som um blues sensual, clima maravilhoso… eu de repente broxei. E não teve jeito que desse jeito. A sorte é que Jessi continuou o serviço por mim, com o pau artificial, e nossa vizinha voltou pra casa com seu diâmetro devidamente ampliado, bem satisfeitinha da vida. Não sou do tipo encucadão com esse tipo de coisa, e não foi a primeira broxada da minha vida, mas que foi chato, foi. E a culpa eu botei no aluguel atrasado, na ameaça de despejo, na cara feia da síndica, essas aporrinhações que afetam o desempenho até de um galo. Mas voltemos ao assunto principal.

Pra encarnar Striputinha e assegurar o anonimato, Jessi usa perucas, lentes de contato, máscaras e maquiagem. Sempre me impressiono quando a vejo produzidona, parece outra pessoa. Algumas roupas e acessórios ela possuía do tempo que trabalhou como garçonete no Bukowski, onde fazia números eróticos, e o restante ela comprou baratinho na liquidação de uma sex shop.

A estreia foi com um cara de Cambé, que vira as fotos e o vídeo no blog da Striputinha e escolheu a personagem Colegial. Pois bem. Meia hora antes do encontro Jessi já andava pelo apartamento toda paramentada: sainha plissada, meias até o joelho, blusinha com gravatinha, caderno junto ao peito. E ainda tinha a indefectível caneta na boca semiaberta. Perfeito. Tão perfeito que senti uma coisa estranha, uma mistura de tesão, fascínio e… ciúme.

– Caramba, Jessi, você nunca se vestiu assim pra mim.

– Você nunca pediu… – ela respondeu enquanto se abaixava e fingia ajeitar a meia abaixo do joelho só pra que eu percebesse a calcinha da Hello Kitty enfiada na bunda. Ninfa Jessi não presta.

Na hora marcada com o cliente, quando ela entrou no quartinho, eu já estava lá, estrategicamente posicionado num canto ao lado da mesa do notebook. Estava ansioso, na verdade nervoso mesmo, pra ver a estreia da minha pequena no ramo do strip cam. Até parecia que eu nunca a havia visto dançar nua no Bukowski.

– Te manda, Gatão.

– Ahn?

– Dá licença eu ficar sozinha com meu cliente?

Ainda tentei argumentar, que eu ficaria quietinho, que o cara não me veria… Não teve jeito. Saí do quartinho e Jessi, ou melhor, Striputinha trancou a porta. E aí, fazer o quê numa situação dessa? Enchi um copo de vodca, claro, e fui beber na sala, enquanto do quartinho vinha a voz sussurrante de April Stevens cantando Teach me Tiger, que foi a música escolhida por Jessi pra estreia da Colegial. Dei um gole na vodca e tentei me convencer de que eu não estava enciumado pelo fato da minha namorada naquele momento estar tirando a roupa pra um gordão punheteiro lá do interior do Paraná. Ciúme por quê? Era só um trabalho.

Vinte minutos e oito Teach me Tiger depois escutei sua voz.

– Gatão…

Virei-me e o que vi? Vi a mulher mais linda do mundo. Já meio desmontada da roupa de colegial, uma meia faltando, um peito fora do sutiã… Parada na entrada da sala, encostada na parede, ela me olhava e se acariciava com a mão entre as coxas. Ainda era Striputinha? Ou já era Jessi novamente? Acho que era as duas ao mesmo tempo. E eu conhecia muito bem aquela expressão…

– Me come. Agora.

Não foi um pedido. Foi uma intimação. Do tipo que mortal nenhum pode negar a uma mulher como Jessi. E não neguei. Puxei-a pelo braço e joguei-a no sofá, como bem merece toda colegial safadinha. Comi-a com violência e desespero, como se come a mulher que se ama mais que tudo na vida.
.

Ricardo Kelmer 2012 – blogdokelmer.com

.

.

> A putinha do quartinho do fundo (vip) – Confira os bastidores e as imagens desta aventura de Diametral e Ninfa Jessi (exclusivo pra Leitores Vips)

> Ainda não é Leitor Vip? Vamos resolver isso agora!

> Mais aventuras de Diametral e Ninfa Jessi

> April Stevens canta Teach me Tiger

.

SÉRIES ERÓTICAS DESTE BLOG

> As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi – A mais bela e safada história de amor jamais contada.

> As taras de Lara – Desde pequena que Lara só pensa naquilo. E ai do homem que não a satisfaz.

> Um ano na seca – O que pode acontecer a um homem após doze meses sem sexo?

> O último homem do mundo – O sonho de Agenor é que todas as mulheres do mundo o desejem. Para isso ele está disposto a fazer um pacto com o diabo. Mas há um velho ditado que diz: cuidado com o que deseja pois você pode conseguir…

.

LEIA NESTE BLOG

> Por trás do sexo analHá algo de divinamente demoníaco no sexo anal que, literalmente, a-lu-ci-na algumas mulheres

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

.

DICA DE LIVRO

> A entrega – Memórias eróticas (Toni Bentley, editora Objetiva) – A ex-bailarina filosofa sobre sua profunda experiência de amor e salvação pela submissão no sexo anal

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
 Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

COMENTÁRIOS
.

01- saudade de te ler nesse tom do Diametral! e que profissão interessante essa da Ninfa Jessi… queria ver essa performance. tenho um carinho especial por esses dois personagens. adorei a aventura nova. Wanessa Bentowski, Fortaleza-CE – fev2013

02- Bem melhor que essa coisa de Tons de Cinza. É tudo mais colorido e faz a nossa imaginação nos levar numa história sensual e sexualmente ingênua. Renata Kelly, Fortaleza-CE – mar2013

03- a Putinha do quartinho fundo.. A-M-E-I.. Paulla Sousa Barros, Fortaleza-CE – mar2013

Jessi passou o gel e a fantasia de Rahbe foi devidamente realizada, enquanto minha pequena fazia o complemento, beijando e masturbando nossa generosa vizinha

Protegido: A putinha do quartinho do fundo (VIP)

fevereiro 6, 2013

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


As Preciosas do Kelmer – jan2013

janeiro 29, 2013

Ricardo Kelmer 2013

.
AsPreciosasDoKelmer201301-1.
Criei uma revistinha no Facebook. Ela se chama As Preciosas do Kelmer e é feita de dicas e comentários sobre variados assuntos. A periodicidade é mensal, funciona por meio de uma única postagem que abasteço com subpostagens e os leitores podem comentar a qualquer momento e até sugerir assuntos. Por seu caráter dinâmico e interativo e por construir-se a cada dia, eu diria que é uma revista orgânica. A capa da revista é a própria imagem da postagem, que sempre trará imagens femininas.

Meu objetivo com As Preciosas é dar vazão à minha necessidade de comentar fatos do cotidiano. Pra mim o Facebook é ideal pra isso.

Aqui no blog postarei a edição do mês e a atualizarei a partir das atualizações no Facebook, sempre com imagens. Espero que você goste.

> No Facebook

> No Blog do Kelmer

.

AsPreciosasDoKelmer201301-1AS PRECIOSAS DO KELMER
Dicas e pitacos para o mês
#4, jan2013

.

Imagem da capa: Milo Manara

.

*** ESTUPRA MAS NÃO MATA

ESTUPRO LEVA ÍNDIA A EXAME DE CONSCIÊNCIA EM BUSCA DE RESPOSTAS (Por Andrew North, da BBC News em Nova Déli)
O estupro e morte de uma estudante de 23 anos em Nova Déli espalhou uma onda de indignação pela Índia. Mas será que uma visita a uma área da cidade central nessa história oferece alguma pista sobre a direção para a qual se encaminha o país? > Leia mais

GURU DIZ QUE INDIANA QUE SOFREU ESTUPRO COLETIVO FOI “CULPADA”
Um guru espiritual provocou revolta na Índia por um causa de um comentário bizarro: segundo Asaram Bapu, a estudante de 23 anos que sofreu estupro coletivo em um ônibus e depois morreu em um hospital foi tão culpada pelo crime quanto os seus agressores. > Leia mais

CASAMENTO DE SAUDITA DE 90 ANOS COM MENINA DE 15 GERA REVOLTA NO PAÍS
Ele pagou U$ 17 mil pelo dote mas na noite de núpcias a menina trancou-se no quarto e depois fugiu. > Leia mais

ME ESTUPRA, MEU AMOR
Ricardo Kelmer

SexoViolento-1Algumas mulheres têm a fantasia de ser estuprada. Eu, particularmente, conheço várias. Isso é muito interessante e curioso. Numa época em que a cultura machista está em xeque e as mulheres a cada dia avançam mais na conquista dos direitos que o patriarcado sempre lhes negou, falar desse tipo de fantasia é tocar num nervo exposto e arriscar ser mal interpretado. Mas vamos lá.

Um dos perigos que ronda o tema é o fato de que algumas pessoas não conseguem distinguir fantasia de realidade. Fantasiar ser estuprada é uma coisa  querer ser estuprada é outra coisa totalmente diferente. Usar o argumento “as mulheres fantasiam ser estupradas” para justificar estupros é típico de quem não distingue a fantasia da realidade.

Para a mulher, talvez por trás da fantasia de ser estuprada esteja a ideia de ser tão irresistível a ponto do homem não conseguir se controlar e, assim sendo, ser dominada e forçada ao sexo seria a comprovação de seus poderes de sedução. Talvez. Porém, há mulheres que gostam muito de brincar de serem desejadas sexualmente e agem e se vestem com essa deliberada intenção. Até aí tudo bem pois atiçar o tesão alheio, ainda que seja só de brincadeirinha, não é crime. Porém… isso não seria uma brincadeirinha um tanto sádica?

As mulheres, pelo menos em nossa cultura, gostam de brincar de provocar sexualmente, sabemos disso. Desde cedo elas parecem ter boa noção do poder sexual que possuem. Seria um fator cultural ou algo inerente à psique feminina? Talvez um pouco das duas coisas. Se elas sabem do poder sexual que têm, seria justo culpá-las, ainda que em grau menor, por provocar deliberadamente o desejo dos homens? E como poderíamos definir exatamente o que é provocação?

Acho que nem a mulher nem ninguém deve ser culpado por provocar, ainda que deliberadamente, o desejo sexual alheio pois todos devem ser livres para expressar sua sexualidade livremente. Se o homem concorda que a mulher é livre para brincar com seu poder sexual, deve aprender a relaxar com as brincadeiras delas. Se discorda, é um sério candidato a ter problemas com as mulheres e até com a polícia.

Não neguemos à mulher o prazer de sentir-se desejada, e deixemos que continuem com suas brincadeirinhas sádicas de nos provocar – elas são lindas também por isso. E quando elas quiserem, participemos de bom grado de suas fantasias, por estranhas que sejam. O prazer da mulher sempre faz as manhãs mais bonitas.

O ESTUPRO DE MULHERES É PRAZEROSO PRA QUEM?
Lola Aronovich

Em Quando os Adams Saíram de Férias, romance de Mendal W. Johnson sobre um grupo de jovens de 10 a 17 anos que torturam e matam sua babá de 19, o narrador, embora critique a crueldade infantil, acaba culpando a vítima. Um livro como este pode ser considerado misógino apenas pelo material. É quase um manual de instruções de como se torturar alguém. Aliás, alguém assim, sem gênero, não. Uma mulher. As torturas inflingidas a Barbara são basicamente dedicadas a todas as mulheres. > Leia mais

PROCURA-SE HOMEM DAS CAVERNAS ATENCIOSO

Numa edição de 2009 a revista Época publicou matéria sobre o desejo sexual feminino. É comum que essas matérias mantenham-se apenas na superficialidade do tema mas esta traz informações bastante interessantes para quem se interessa pela sexualidade, em especial a da mulher. Recomendooo! (RK)

Trecho da matéria:

O desejo feminino parece depender diretamente da urgência demonstrada pelo homem em copular. Como ocorre com muitos elementos da vasta e contraditória psique humana, há consequências perversas na opção sexual das mulheres pelo prazer do outro. Uma delas é a divergência entre o que o corpo diz e o que a mente ouve, capturada no estudo de Meredith. A outra, perturbadora, é a fantasia do estupro. Os especialistas pisam em ovos ao falar sobre isso, mas o fato é que as mulheres têm fantasias recorrentes de serem submetidas pela força. Por trás disso, encontra-se, aparentemente, a ilusão narcisista (e excitante) de ser tão atraente, tão irresistível, que os homens seriam incapazes de conter sua luxúria. “As fantasias de estupro são muito mais recorrentes do que as pessoas imaginam”, diz o terapeuta Finotelli. Isso quer dizer que essas mulheres gostariam de ser estupradas? Não. Não. E, mais uma vez, não. Trata-se de uma fantasia íntima que dispara desejos sexuais. Ela não esconde a vontade oculta de sofrer a violência sórdida de um estupro. “As mulheres querem ser encostadas no muro, mas não colocadas em perigo”, diz Marta Meana. “Elas querem um homem das cavernas atencioso”. Quem seria capaz de cumprir tal papel? > Leia mais

FETICHES SÓRDIDOS QUE AS MULHERES NÃO TÊM CORAGEM DE PEDIR

SexoElaEles-2Entre as fantasias sexuais femininas, é muito comum a fantasia de ser pega à força. Há outras fantasias comuns mas muitas mulheres não as assumem perante seus parceiros, com medo de serem incompreendidas e rejeitadas. No site papodehomem.com.br há um texto, escrito por uma mulher, bastante interessante. Destaquei este trecho (RK):

“Não foi surpresa nenhuma a enxurrada de “estupro consentido!” que recebi como resposta. Pois é, meus amigos… O fetiche que encabeça essa lista é justamente o mais “errado” moralmente. Estupro é crime. Fato. Você nunca deve comer uma menina que apagou de tão bêbada (aliás, isso nem graça tem). Você não deve desrespeitar uma mulher que não queira transar com você, por qualquer motivo que seja.

“Tudo posto em seu lugar, uma das melhores coisas do mundo é ser comida com força. Com urros bestiais que ecoam pelo quarto, gemidos que viram gritos de prazer, puxões no cabelo, uma foda animalesca que faz todos os seus instintos mais viscerais se espalharem do útero para o resto do corpo.” > Leia mais

FALSA DENÚNCIA DE ESTUPRO TAMBÉM É CRIME

Estupro é uma violência inadimissível. Porém, falsas denúncias de estupro também são um crime de violência inadimissível. E elas acontecem. A mulher quer se vingar do amante, a mãe quer impedir as visitas do pai e inventa que ele abusou da filha, a garota tem medo dos pais descobrirem que ela não é mais virgem e inventa que foi estuprada… Em alguns casos o acusado consegue provar sua inocência mas há casos mais complicados. Se um casal faz um sexo muito selvagem, daqueles que deixa marcas no corpo, e no outro dia, por algum motivo, ela o denuncia como estuprador, as marcas no corpo servirão para comprovar sua denúncia e dificilmente o homem conseguirá provar inocência.

O fato de existirem as falsas denúncias não justifica a violência dos homens nem livra a culpa dos verdadeiros estupradores, claro, mas esse tipo de atitude acaba sendo prejudicial para as próprias mulheres na luta contra a cultura machista.

GAROTA É PRESA APÓS FAZER DENÚNCIA FALSA DE ESTUPRO CONTRA AMANTE. > Leia aqui

MULHER FAZ DENÚNCIA FALSA DE ESTUPRO A ACABA CONDENADA A DOIS ANOS DE PRISÃO EM SC > Leia aqui

MULHER É CONDENADA APÓS FALSA ACUSAÇÃO DE ESTUPRO > Leia aqui

COM MEDO DA MÃE, JOVEM TENTA REGISTRAR FALSA DENÚNCIA DE ESTUPRO > Leia aqui

.

*** LIVRANDO A SEMANA (45)

SIDARTA (Herman Hesse) Editora Record

As histórias de Sidarta e de Buda se confundem. Nascido na Índia, no século 6º a.C., filho da aristocracia religiosa dos brâmanes, Sidarta passa a infância e a juventude isolado das misérias do mundo, gozando a existência calma e contemplativa que sua condição de casta lhe permitia. A certa altura, porém, abdica da vida luxuosa, protegida, e parte em peregrinação pelo país, onde a pobreza e o sofrimento eram regra.

Em sua longa parábola existencial, Sidarta experimenta de tudo, usufruindo tanto as maravilhas do sexo e da carne quanto a ascese e o jejum absolutos. Entre os intensos prazeres e as privações extremas, termina por descobrir “o caminho do meio”, libertando-se dos apelos dos sentidos e encontrando a senda da iluminação interior.

Este romance do alemão Hermann Hesse tornou-se livro de cabeceira de várias gerações, principalmente durante os anos 1960 e 1970, quando os beatniks e mais tarde os hippies o elegeram como libelo contra o American way of life, que ia tomando conta do Ocidente. A própria busca de Hesse pelas filosofias orientais já expressava essa recusa por uma cultura recém-saída do massacre da Primeira Guerra Mundial – e prestes a enfrentar outra carnificina ainda pior. (Sinopse: vestibular.uol.com.br)

> Adquira este livro na livreaia Arte Paubrasil

SOBRE HERMAN HESSE (Wikipedia)

Hermann Hesse (Calw, 2 de julho de 1877 – Montagnola, 9 de agosto de 1962) foi um escritor alemão, que em 1923 naturalizou-se suíço. Nascido no seio de uma família muito religiosa, filho de pais missionários protestantes (pietistas, como é típico da Suábia) que tinham pregado o cristianismo na Índia. Estudou no seminário de Maulbronn, mas não seguiu a carreira de pastor como era da vontade de seus pais. Tendo recusado a religião, ainda adolescente, rompeu com a família e emigrou para a Suíça em 1912, trabalhando como livreiro e operário. Acumula então sólida cultura autodidata e resolve dedicar-se à literatura. Travou contato com a espiritualidade oriental a partir de uma viagem à Índia em 1911 e com a psicanálise por meio de um discípulo de Carl Gustav Jung, em decorrência de uma crise emocional causada pela eclosão da Primeira Guerra Mundial. Estas duas influências seriam decisivas no posterior desenvolvimento da obra de Hesse.

Procurou construir sua própria filosofia, a partir de sua revolta pessoal (Peter Camenzind, 1904) e de sua interpretação pessoal das correntes filosóficas do Oriente (Sidarta), e em especial em O Lobo da Estepe (1927), que é também uma crítica contra o militarismo e o revanchismo vigente na sua terra natal depois da Primeira Guerra Mundial. Esta postura corajosa o fez bastante popular na Alemanha do pós-guerra, depois da desnazificação. Em 1946 recebeu o Prêmio Goethe e, passados alguns meses, o Nobel de Literatura.

> Saiba mais

.

*** LIVRANDO A SEMANA (46)

LIVRO541-EnterremMeuCoracaoNaCurvaDeUmRioENTERREM MEU CORAÇÃO NA CURVA DE UM RIO (Dee Brown) L&PM

Este livro é o eloqüente e meticuloso relato da destruição sistemática dos índios da América do Norte. Lançando mão de várias fontes, como registros oficiais, autobiografias, depoimentos e descrições de primeira-mão, Dee Brown faz grandes chefes e guerreiros das tribos Dakota, Ute, Sioux, Cheyenne e outras contar com suas próprias palavras sobre as batalhas contra os brancos, os massacres e rompimentos de acordos, etc. Enfim, todo o processo que, na segunda metade do século XIX, terminou por desmoralizá-los, derrotá-los e praticamente extingui-los.

Publicado originalmente nos Estados Unidos em 1970, sob o título de “Bury my heart at Wounded Knee”, o livro de Dee Brown um dos maiores especialistas em história norte-americana da atualidade tornou-se rapidamente um divisor de águas da maneira de se pensar a conquista do Velho Oeste. Propondo uma visão totalmente diferente dos heróicos e falaciosos filmes de faroeste, este livro encontrou eco na consciência norte-americana de então, incomodada pela guerra do Vietnã e pelas disputas raciais. De lá para cá, foi traduzido para dezessete línguas e vendeu quatro milhões de cópias, tornando-se o livro número 1 sobre a conquista do Velho Oeste e a história do extermínio dos pele-vermelha. Uma obra que merece ser relida sob as conjunturas atuais, por lembrar sobre o alto custo e os baixos escrúpulos envolvidos nos chamados processos civilizatórios que forjaram o dito mundo desenvolvido de hoje.

> Adquira este livro na livraria Arte Paubrasil

.

*** JANIS BLUES JOPLIN

O ADEUS A JANIS JOPLIN (Revista Rolling Stone)

Conheça a vida e as circunstâncias da trágica morte da cantora, que completaria 70 anos neste sábado, 19

Já eram 18h e Janis Joplin ainda não havia aparecido no Sunset Sound Studios. Paul Rothschild, o produtor da cantora, teve uma sensação estranha e mandou John Cooke, um dos roadies da Full Tilt Boogie Band, até o Landmark Motor Hotel para ver por que ela não estava atendendo ao telefone. “Eu nunca tinha me preocupado com ela antes, apesar de seus atrasos. Normalmente era porque parava para comprar uma calça ou fazer alguma outra coisa de mulher”, disse Rothschild. Mas o dia 4 de outubro era um domingo e havia poucos lugares abertos, mesmo em Hollywood. O Landmark é uma construção grande de estuque na Franklin Avenue. Fica perto dos estúdios de gravação no Sunset Boulevard e é próximo aos escritórios das gravadoras e das editoras de música. Um ambiente bem tolerante a algazarras. Era o tipo de lugar de que Janis gostava. > Leia mais

JANIS NO FESTIVAL EXPRESS
Em 1970, pouco antes de morrer, Janis participou do Festival Express, uma turnê de vários artistas que cruzou o Canadá e que depois virou filme (Festival Express). É maravilhoso ver Janis no auge de sua forma, bebendo uns uísques, fumando uns baseados e se divertindo horrores. Este vídeo é um trecho do filme. Nele, Janis rasga as veias do blues cantando Cry Baby. Quando vi a primeira vez, no cinema, chorei que nem um bezerro desmamado. E sempre choro quando revejo. Obrigado por tudo, Janis. (RK)

> Veja um trecho do vídeo, onde Janis canta Cry Baby (Toronto, 28.06.70)

.

JOSS STONE HOMENAGEIA JANIS

Em 2005, aos 18 anos, Joss Stone participou de um show-tributo a Janis Joplin. Aqui você confere o número que ela fez com Melissa Etheridge, interpretando Peace of my Heart e Cry baby. Uma bela e emocionante homenagem. > Veja o vídeo

.

LIVRANDO A SEMANA (47)

UMA APRENDIZAGEM OU O LIVRO DOS PRAZERES (Clarice Lispector) Editora Rocco
Loreley (ou Lóri) é uma moça rica de Campos que vai morar no Rio para ter um pouco de liberdade. Ela conhece Ulisses, professor de Filosofia, que começa a conduzi-la na aprendizagem do prazer. As duas personagens de Clarice trazem as características de seus modelos originais (ela, uma figura do folclore alemão; ele, o herói da epopéia grega) e envolvem o leitor numa trama que se torna ainda mais apaixonante por ser uma aventura no mundo da linguagem, sem começo nem fim. Como em todos os livros de Clarice, trata-se de um ponto de vista feminino a respeito da vida. Uma aprendizagem… conta, acima de tudo, a viagem empreendida por Lóri em busca de si própria e do prazer sem culpa. > Adquira este livro na Livraria Arte Paubrasil

.

RENAN CALHEIROS NÃO!

Renan Calheiros, assim como José Sarney, é a cara do Brasil das velhas oligarquias políticas, dos coronéis donos de cidades e estados inteiros, que mandam e desmandam, que beneficiam a família e os amigos por baixo dos panos e às vezes às vistas de todos.

Pois bem. Renan Calheiros, sobre quem pesam graves denúncias, trabalha nos bastidores para ser eleito no dia 1º de fevereiro para mais um mandato de dois anos na presidência do Senado. Até agora, o único adversário de Renan é o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) – mas a oposição e o grupo de “independentes” articula a candidatura de Pedro Taques (PDT-MT) ou outro peemedebista num contraponto a Renan.

Esses canalhas são muito fortes, é verdade. Mas nós temos a força da mobilização popular, a mesma força que criou a Lei da Ficha Limpa. Podemos impedir esse retrocesso. Assine a petição contra a volta de Renan Calheiros à presidência do Senado.

> Assine a petição

.

LIVRANDO A SEMANA (48)

A MACONHA (Fernando Gabeira) Publifolha

De forma sintética e dinâmica, Fernando Gabeira explica no livro o que é a maconha, quais são os prós e contras de seu uso e procura entender os motivos pelos quais se ataca ou se defende a droga. Em linhas gerais, o livro responde às perguntas mais frequentes recolhidas por Gabeira nos debates que participou em torno da elaboração da política nacional de drogas. “As pessoas querem saber, por exemplo, se a maconha é uma escada para outras drogas, se provoca dependência física e psíquica, se causa perda de neurônios e da memória, e se tem poder medicinal”, diz Gabeira.

Pessoalmente, Gabeira defendeu durante anos a legalização da maconha e seu uso industrial mais amplo possível. “São 350 subprodutos derivados da canabis”, diz. A atual política nacional de drogas não separa a maconha de outras drogas. Pela lei, o usuário não é preso, mas arca com penas alternativas e multas. Fernando Gabeira discute também o papel social que a planta desempenhou na escravidão e seu uso em rituais religiosos na selva amazônica.

> Adquira este livro na livraria Arte Paubrasil

.

AMAZON ABRE QUIOSQUES DE TIJOLO NO BRASIL

Iniciativa inédita no mundo mostra que a Amazon pode ter estratégias diferenciadas para o país. > Leia a notícia

.

QUEREMOS MULHER EDUCADA

MalalaYousafzai-1A jovem ativista paquistanesa Malala Yousafzai, de 15 anos, foi baleada na cabeça em outubro de 2012 por um militante do Taleban, que a vê como inimiga por lutar pelo direito das mulheres à educação.

Ela passará nos próximos dias por duas cirurgias para reconstrução do crânio, em um dos passos da recuperação de sua saúde. David Rosser, diretor médico do hospital Rainha Elizabeth, de Brimingham, na Inglaterra, disse que a recuperação da jovem é “extraordinária e um testemunho de sua força e desejo de melhorar”.

Essa menina merece ter sua saúde de volta. E merece também o Nobel da Paz. > Leia mais

.

.

AsPreciosasDoKelmer201301-1AS PRECIOSAS DO KELMER

> No Facebook

> No Blog do Kelmer

.

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS


Pimbando e discutindo a relação em 50 tons

dezembro 26, 2012

Ricardo Kelmer 2012

Um romance pornográfico, fenômeno de vendas, escrito por uma mulher, milhões de mulheres no mundo inteiro lendo e comentando… É, eu teria mesmo que ler

PimbandoEDiscutindoARelacaoEm50Tons-1

Uma jovem e virgem estudante de literatura, que vive uma história de amor com um bilionário lindo que curte fantasias sexuais de dominação e submissão. Ao saber da trilogia 50 Tons de Cinza, eu, pervertido que sou, fiquei curioso. Um romance pornográfico, fenômeno de vendas, escrito por uma mulher, milhões de mulheres no mundo inteiro lendo e comentando… É, eu teria mesmo que ler.

E li. E não gostei. De fato é literatura ruim. A linguagem, simplória e açucarada, lembra romance barato de banca de revista. Por sua autora não ser escritora profissional, a história tem falhas estruturais básicas e não finaliza bem as expectativas criadas, típico de quando não se tem um roteiro com o arco narrativo bem definido a guiar a história. Em 50 Tons percebe-se uma espontaneidade ingênua e meio adolescente, o que confirma o que autora diz sobre ter escrito apenas com o intuito de extravasar suas próprias fantasias eróticas.

No começo, até que a história me capturou a atenção pois, além da promessa de cenas BDSM, o suspense estava bem dosado pelos capítulos. As trepadas do casal Anastasia e Christian, no entanto, mesmo sendo detalhistas, não me empolgaram. No segundo livro o sexo se tornou repetitivo, e cada vez mais baunilha e melodramático, e no terceiro eu bocejava enquanto os dois faziam amorzinho. E terminei a leitura entediado pelo amor possessivo e ciumento do casal e lamentando que as perversões BDSM não tenham sido melhor exploradas.

A autora Erika Leonard James criou um conto de fadas moderninho, onde a heroína luta bravamente por seu príncipe encantado, corre mil perigos e no fim é recompensada com um belo casamento e uma prole maravilhosa – com a diferença que rola muito sexo e situações que representam bem certos fetiches femininos. Então temos a cinderela a escovar os dentes com a escova do príncipe, usando sua cueca, fazendo sua barba… Ela chega a ser disputada pelos homens num leilão de dança e quase é estuprada pelo chefe malvado. Ela brilha em roupas de grife, degusta vinho em restaurantes chiques, abala em festas glamourosas, passeia de iate e helicóptero e é presenteada com joias e automóveis de luxo. E não faltam clichês de filmes de ação, como perseguição de carros, espionagem e vilões que querem a infelicidade da mocinha. E tome orgasmos incrivelmente sincronizados, entre litros de lágrimas e quilos de declarações de amor eterno.

Porém, em 50 Tons há algo que tem tão ou mais poder de sedução sobre o público feminino que o sexo: a DR. Putz, como Anastasia e Christian discutem a relação! Metade da história se passa com a mocinha a pensar, ponderar, refletir, analisar e conjecturar sobre seu lance com o mocinho. Bem, talvez seja exatamente esse o pulo do gato da trilogia: sexo e DR, sexo e DR, e nos intervalos o glamour de uma vida bilionária.

Não me passou despercebido que o texto, ao menos na versão brasileira, não cita o nome do órgão sexual feminino. Temos pau, bunda, cu e até clitóris mas não temos buceta, xoxota, nem sequer vagina, nada disso. No máximo temos “sexo” ou “ali”. Por que essa desfeita para com a perseguida? De todo modo, espero que 50 Tons contribua para que mais mulheres se interessem por literatura erótica e também, é claro, por mais sacanagem em suas vidas. Nós, pervertidos, agradecemos.

.

Ricardo Kelmer 2012 – blogdokelmer.com

.

(E você, leitorinha, já pensou em viver uma experiência BDSM? Você gostaria de experimentar isso com um homem ou com um casal? Entre em contato: rkelmer@gmail.com)

.

.

SAIBA MAIS

> Entrevista com E.L. James, Revista Veja, 08.08.12

 > Sexo, sexo, sexo, do começo ao fim, no livro mais falado do momento – e o mais vendido no mundo, blog do Ricardo Setti, 24.06.12

> BDSM – Os fetiches sexuais que envolvem bondage, dominação, submissão e sadomasoquismo.

A História de O – Um clássico da literatura erótica sobre uma jovem parisiense que se deixa escravizar por seu amante.

> A História de O (clipe) – Um clipe com trechos do filme

.

.

LEIA MAIS NESTE BLOG

> A entrega – memórias eróticas (Toni Bentley, Editora Objetiva/2005) – A ex-bailarina filosofa sobre sua profunda experiência de amor, submissão e salvação através do sexo anal

> O diário de Marise – A vida real de uma garota de programa (Vanessa de Oliveira, Matrix Editora/2006) – Em casa, uma mãe dedicada. Na faculdade de enfermagem, uma aluna esforçada. Nos hotéis e motéis onde atende, uma garota de programa muito requisitada.

> A prostituta sagrada – A face eterna do feminino (Nancy Qualls-Corbett, Editora Paulus/1990) – Este livro mostra como nossa vitalidade e alegria de viver dependem de restaurarmos a alma da prostituta sagrada, a fim de nos proporcionar uma nova compreensão da vida.

> A prostituição na sala de estar – Quem resiste ao fetiche de acompanhar o cotidiano de uma lolita que vende sexo?

.

SÉRIES ERÓTICAS DESTE BLOG

> As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi – A mais bela e safada história de amor jamais contada.

> As taras de Lara – Desde pequena que Lara só pensa naquilo. E ai do homem que não a satisfaz.

> Um ano na seca – O que pode acontecer a um homem após doze meses sem sexo?

> O último homem do mundoO sonho de Agenor é que todas as mulheres do mundo o desejem. Para isso ele está disposto a fazer um pacto com o diabo. Mas há um velho ditado que diz: cuidado com o que deseja pois você pode conseguir…

> Por trás do sexo anal (1) – Se esotérico significa a parte mais oculta de uma tradição ou ensinamento, aquilo que somente iniciados alcançam após muito estudo e dedicação, então o sexo anal é o lado esotérico do sexo

.

MAIS SOBRE SEXUALIDADE FEMININA

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

> O íncubo – Íncubos eram demônios que invadiam o sono das mulheres para copular com elas – uma difundida crença medieval. Mas… e se ainda existirem?

> Lolita, Lolita – Ela é uma garotinha encantadora. E eu poderia ser seu pai. Mas não sou…

> A gota dágua – A tarde chuvosa e a força urgente do desejo. Ela deveria resistir mas…

> A torta de chocolate – Sexo e chocolate. Para muita gente as duas coisas têm tudo a ver. Para Celina era bem mais que isso…

> Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino – Livro de contos e crônicas sobre a mulher

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

COMENTÁRIOS
.

01- Adorei a crítica sobre os 50 tons de putaria! Não li na íntegra, mas o pouco que li achei logo a cara de Bianca! Não entendo tanto frisson em cima deste livro…aaarrghhh. Kathia Albuquerque, Porto Seguro-BA – dez2012

02- Pra mim funciona tão diferente…quando vejo muita gente em cima, falando, discutindo demais, acaba não me interessando. Não li e dificilmente vou ler. Dri Flores, São Paulo-SP – dez2012

03- mais açúcar senhor? muito meloso argh. Elaine Christina, Campina Grande-PB – dez2012

04- Tem uma linguagem adolescente e poderia ter umas 100 paginas a menos. Eh bonzinho, distrai, mas nem de longe faz jus ao disse-me-disse que a midia fez… Marta Lima, Rio de Janeiro-RJ – dez2012

05- li e descobri q o meu love sabe mais coisas…. se aquilo e sadismo nao acho…. livrinho bobo… tao bobo quanto a garota da estoria…. Dhara Bastos, Fortaleza-CE – dez2012


Por dentro da mulher carnuda

junho 9, 2012

Ricardo Kelmer 2007

Quem come vocês, meninas, por acaso são seus cabeleireiros?

.

A crônica Queremos Mulher Carnuda é de 2006. É um dos meus textos mais conhecidos, reproduzido em dezenas de sites e blogs. Acho que falei pela boca de muitos homens e acho também que falei o que muita mulher gostaria de ouvir. Mas não tenho ilusões. Sei perfeitamente que a maioria das mulheres sempre foi muito boba de se deixar levar pelas incongruências da moda, essa coisa que pode ser tão estúpida quanto a guerra. E a moda agora é a da mulher-osso.

fornida

Meu negócio é mulher carnuda, como você já percebeu. Gosto também de mulher magra, é claro, desde que ela tenha curvas pra eu poder derrapar e protuberâncias pra pegar, apalpar, encher a mão… Se for uma magrela esquelética, vai ter o quê? Bem, pode ter peitões. É, pode. Mas aí a coitada vai acabar tendo também problema na coluna. Será uma peituda corcunda. Bem, deve ter alguém nesse mundo que tem tara em peituda corcunda, deve ter.

Por favor, me desculpe se você joga no time das magrelas subnutridas. Mas é que meu negócio é carne, eu e a maioria dos homens masculinos apreciadores do babado. Sim, é verdade que o bicho homem, quando tá na seca braba, mete até em rolo de papel higiênico. Mas aí já estamos no campo das situações emergenciais.

Claro que há outros fatores que podem compensar mas mulher pra mim é a fornida e dadivosa. Fornida. Adoro esta palavra. Vem do verbo fornir, que significa fornecer, abastecer, mas também significa encorpar, tornar nutrido ou robusto, corpulento. E fornida alude a forno, o que me faz lembrar certas massas que a gente esquenta e elas aumentam de volume, hummm, diliça…

Então esta é a mulher kelmérica: carnuda, fornida, curvilínea, suculenta. Que ela lembre sempre uma mangueira carregada, as frutas ali se oferecendo pra fome da gente, dando água na boca, schlurp!!! Mas se for uma esquelética, que nem essas modelos horrorosas que abundam sem bunda nas revistas de moda, em vez de um pé de manga ela será um pé de osso. Que prazer alguém pode ter em colher ossos no pé pra chupar? Tá, deve ter alguém com esse desvio, vai saber, o cerumano é mesmo uma coisa.

neuróticas

Vem cá, beibe, sentaqui, deixa eu te perguntar uma coisa: se vocês sabem que a gente prefere as boazudas, por que diabo teimam em copiar o modelo Olívia Palito? Eu, por exemplo, jamais comeria a Olívia Palito, nem sob efeito de duzentas latas de espinafre. Nem na seca do quinze. Quer dizer… Bem, vamos deixar de lado as situações emergenciais.

Será mesmo que a maioria das mulheres não tá nem aí pra nossa opinião? Então importa a opinião de quem afinal? Das bichas estilistas? Mas quem come vocês, meninas, por acaso são seus cabeleireiros? Se não é a nossa, então qual a opinião que importa pra vocês, heim? Ou faz sentido essa história de que vocês, na verdade, querem ser magras é pra causar inveja nas outras mulheres? Putz, se for isso mesmo, então o mundo pode acabar agora mesmo nesse exato minuto pois realmente a espécie não tem mais salvação.

Compreendo que uma mulher magra tem mais facilidades pra vestir roupas, pra passar na roleta do ônibus e pra fazer a clássica posição ventania no bambuzal. Mas cada organismo tem sua natureza e só uma minoria das mulheres é que possui uma natureza legitimamente magra, digamos assim. Entendo também que, se no passado os quilos a mais funcionavam como uma poupança calórica pro longo inverno sem comida que viria, atualmente é o contrário: os quilos a menos são a garantia de, no futuro, poder acumular umas eventuais calorias sem culpa. Porém essa atual moda da magreza é ridícula.

cansei

Compreendo a eterna necessidade da mulher se sentir linda 25 horas por dia. Mas acontece que enquanto você, minha mimosa leitorinha, se rói de inveja das lombrigas de passarela, faz cálculo de calorias até quando come o pão que o diabo amassou, e segue feito uma demente desmiolada a dieta da lua e depois a dieta do alfabeto e depois a dieta do buraco da agulha, enquanto você fez tudo isso, minha tontinha, a vida passou e você não foi feliz.

Então, por favor, abandonem essa prisão chamada mundo da moda e sejam mulheres livres. Larguem dessa paranoia ridícula e venham ser felizes ao nosso lado, ao lado do homem (ou da mulher, que seja) que ama e deseja vocês do jeito que vocês são, carnudas, protuberantes, vistosas, fornidas, suculentas, boas de pegar, a bunda generosa e aconchegante. O que vocês preferem: ser desejadas ou causar inveja em mulheres da cabeça oca?

Ah, quer saber? Meu saco já tá batendo no chão. Vou mais falar disso não. Tô me sentindo como se de repente a bigorna do ridículo houvesse despencado sobre minha cabeça, sim, pois argumentos sensatos e racionais jamais conseguirão mudar um grau sequer no eixo do planeta-moda. Querem ser que nem essas lambisgoias sem bunda e invejadas por todas as mulheres neuróticas e mal-comidas? Que sejam. Aproveitem a foto aí de cima pra se inspirar. Eu enchi o saco. Fecha a minha conta, dona Orestina, que eu vou pro Xingu. Dai-me uma índia, ó Tupã, dai-me uma índia!

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

.

HOMENAGEM À MULHER CARNUDA

> Por dentro da mulher carnuda (VIP)
Galeria de imagens de mulheres fornidas, substanciosas, curvilíneas e protuberantes. Obrigado às leitorinhas que generosamente enviaram suas fotos. Esta postagem é exclusiva para Leitor Vip
(basta digitar a senha de 2012).

.

.

.

LEIA NESTE BLOG

elamodelo02> Queremos mulher carnudaInfelizmente muitas de vocês estão tão paranoicas que se excitam mais com dieta que com sexo
> Privada fashion week – Eu juro que tenho medo delas, parecem aqueles esqueletos de filme de assombração
> Mulher substantivo suculento – Mulher-comida por si só já se explica: é gostosa, dá água na boca, faz a gente babar. Mulher-esqueleto dá medo, faz a gente rezar
> Por dentro da mulher carnuda – Quem come vocês, meninas, por acaso são seus cabeleireiros?

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

01- E sabes que mais? acho que menino que brinca com as barbies da irmã vai ser cabeleireiro… Susana Xavier, Leiria-Portugal – out2007

02- Rapaz, essa foto aí do começo me embrulhou fortemente o estrombo… Pelo menos isso só reforça a minha teoria: mulher magrela só serve pra ser cabide de roupa e nada mais. Viva as carnudas! Marcelo Gavini, São Paulo-SP – out2007

03- Amiga dona-de-casa magrinha, a Renascença já passou faz muuuuuuito tempo. Se o Ricardinho aí não quer vocês e não as chama de gostosas, venham para o titio aqui, que terá MUITO prazer em acolhê-las, naquele abraço gostoso em que as fininhas cabem tão justinho… Luc Lic, São Paulo-SP – jun2012


Protegido: Por dentro da mulher carnuda (VIP)

junho 9, 2012

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


Vingativas

abril 4, 2012

Ricardo Kelmer 2006

Duas mulheres que raptam um ator famoso e, como vingança por ele tê-las desprezado, levam-no a um hotel, amarram-no e…

.

Wuhmmm… Wuhmmmppfff… Foi o som abafado de sua própria voz que o despertou… aos poucos… como se voltasse de um lugar longe… muito longe… Ele abriu os olhos. E tudo que viu foi escuridão. Onde estava? Sentia-se zonzo. Tentou se mover mas não pôde, tinha os braços e pernas presos. Então percebeu que estava deitado numa cama, amarrado com cordas. E nu. Estava nu! E uma mordaça na boca. Mas… que diabos de pesadelo era aquele? O que estava acontecendo?

Imediatamente tentou lembrar dos últimos acontecimentos. A festa de lançamento de seu filme Vingativas, as tevês entrevistando-o, as fãs gritando e pedindo autógrafos… Depois a boate, as garotas da cidade brigando por uma foto ao lado do ator principal… Ele até tentou atender a todas, mas era impossível. E depois… depois… nada. Não lembrava de mais nada.

Lentamente a escuridão se dissipou. Apesar da confusão mental, percebeu que estava num quarto de hotel. Mas não era o seu quarto. Pela janela aberta podia ver o céu, as luzes da cidade… E ele amarrado na cama, nu. Mas que diabos, quem teria feito… Nesse momento uma forte luz o atingiu em cheio, cegando-o. Demorou alguns segundos até entender que a luz vinha do banheiro. E na porta, a silhueta de uma… mulher.

Linda noite para uma vingança, não? – ela falou, e caminhou calmamente em direção à cama. Por um instante ele teve a sensação que já vivera aquele momento, aquela frase… A mulher ajoelhou-se ao seu lado na cama e só então pôde vê-la melhor… Era uma garota morena e tudo que vestia era uma… máscara preta. E segurava uma taça. Na taça um líquido vermelho. Não, não a conhecia. Mas havia algo familiar em tudo aquilo…

Imagem, ação! A voz veio do lado oposto do quarto. Havia outra mulher! E ela aproximou-se devagar. Era uma garota loira, também estava nua e usava máscara preta. E segurava algo… uma pequena câmera. Ela estava filmando! Ele tentou se soltar mais uma vez, mas não conseguiu. De repente sentiu um líquido frio sobre seu pênis… A morena pingava vinho sobre ele. Lembrou da boate, teriam posto algo em sua bebida? Mas o pensamento não prosseguiu pois a morena reclinou a cabeça, afastando os cabelos, e passou a lambê-lo. O contato da língua morna contrastou com o frio do vinho e ele fechou os olhos, sentindo o arrepio lhe percorrer o corpo inteiro, sentindo-se ser engolido pela boca ágil e macia. Tentou manter-se atento, mas no centro de seu ser pequenas ondas de prazer se formavam e vinham dar na praia dos seus sentidos, inundando o pensamento.

A luz que vinha do banheiro enquadrava certeiramente a cama, iluminando seu corpo nu. Sentia-se exposto como uma tela de cinema. A loira posicionou-se com a câmera de forma a aproveitar o máximo da luz. A morena então virou-se de frente para ele e passou uma perna sobre seu corpo. Ele duvidou que fosse acontecer o que imaginava. Mas foi o que aconteceu. Devagar, ela desceu sobre o pênis duro, devagar, enterrando tudo dentro dela. Em rápidos movimentos, ela subiu e desceu, desceu e subiu, e o vai e vem de seu corpo acionou novamente as ondas de prazer. E foi assim, no balanço das ondas cada vez mais fortes, que ele viu a garota fechar os olhos, estremecer e cravar as unhas em seu peito. E urrar feito bicho.

Nem bem a morena se recuperou, a outra rapidamente posicionou a câmera sobre a mesa, ajustou o enquadramento e foi para a cama. As duas mascaradas agora brincavam com seu pênis, uma oferecendo à outra, como se fosse um sorvete irresistível, as duas saboreando-o de uma só vez, ele nas duas bocas ao mesmo tempo, entrando e saindo, saindo e entrando… Então ele finalmente lembrou: a cena do seu filme! A mesma cena! Duas mulheres que raptam um ator famoso e, como vingança por ele tê-las desprezado, levam-no a um hotel, amarram-no, aproveitam-se bastante dele e no fim… o castram. Elas o castram! A ficção de Vingativas se tornava real! E foi assim, dividido entre o terror e o êxtase, que ele sentiu as ondas se transformando num tsunami que rapidamente percorreu o interior de seu corpo, afunilou abaixo da cintura, comprimiu-se e, finalmente, lançou-se num forte jato sobre as duas bocas. E ele viu as bocas sorverem todo o líquido que jorrava, com avidez, urgente, como se fosse a última água do deserto. Seus olhos teimavam em se fechar, mas ele viu quando a fonte secou e, então, as bocas se uniram num longo beijo, dividindo o líquido entre elas.

Enquanto ele arfava, sentindo as ondas se acalmarem dentro de si, elas se vestiram em silêncio e saíram. Ele pensou em chamá-las, mas não teve forças, ainda estava zonzo. Que loucura, que loucura…, pensou, fechando os olhos e engolindo a saliva seca, o coração ainda batendo forte, tum-tum-tum… Não, os amigos jamais acreditariam naquilo, nem que jurasse de pé junto. Ele vivera a cena de seu próprio filme, a mesmíssima cena, que coisa… Bem, só o final mudara. Felizmente para melhor. Ele sorriu e somente então abriu os olhos. E ficou sério. A morena estava de volta. Em pé, ao lado da cama. Olhando para ele com um sorriso estranho. E algo reluzia em sua mão… Uma faca! Foi tudo bem rápido. Num movimento certeiro ela aproximou-se, encostou a faca e… zapt!, cortou a corda de um dos braços. E foi embora. Para sempre.
.

Ricardo Kelmer 2006 – blogdokelmer.com

.

- Este e outros textos você encontra nos livros:
Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino
Indecências para o Fim de Tarde

.

.

LEIA NESTE BLOG

> A torta de chocolate – Sexo e chocolate. Para muita gente as duas coisas têm tudo a ver. Para Celina era bem mais que isso…..

> As fogueiras de Beltane – As fogueiras estão acesas, a filha da Deusa está pronta. O casamento sagrado vai começar

> Quem tem medo do desejo feminino? – Você consegue imaginar Nossa Senhora tendo desejos sexuais? Alguma vez na vida você a imaginou fodendo?

> O íncubo – Demônios que invadem o sono das mulheres para copular com elas

> Lolita, Lolita – Ela é uma garotinha encantadora. E eu poderia ser seu pai. Mas não sou…

> Amor em fuga – Que mundo idiota. Pra poder viver o amor, a gente tem que fugir de casa

> A entrega – Memórias eróticas – A ex-bailarina filosofa sobre sua profunda experiência de amor e salvação por meio da submissão no sexo anal

> Por trás do sexo anal – Há algo de divinamente demoníaco no sexo anal que, literalmente, a-lu-ci-na algumas mulheres

> Postagens no tema “erótico”

.

SÉRIES ERÓTICAS DESTE BLOG

> As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi – A mais bela e safada história de amor jamais contada.

> As taras de Lara – Desde pequena que Lara só pensa naquilo. E ai do homem que não a satisfaz.

> Um ano na seca – O que pode acontecer a um homem após doze meses sem sexo?

> O último homem do mundo – O sonho de Agenor é que todas as mulheres do mundo o desejem. Para isso ele está disposto a fazer um pacto com o diabo. Mas há um velho ditado que diz: cuidado com o que deseja pois você pode conseguir…

.

.

elalivro10Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01 COMENTÁRIOS
.

01- Ô mulheres…. Que bichos malvados. Achei uma escrita envolvente, que une o leitor numa relação que não permite se desligar do texto de forma alguma. Parabéns, Kelmer. Só pra variar, né? ;D Herlene Santos, Fortaleza-CE – dez2012

02- Maravilha de conto! Karla Karenina, Fortaleza-CE – dez2012


Canalha Kelmer

março 23, 2012

Por: Rômero Barbosa, 2012

Cara, essa tal de Cibele queria era te dar. Queria ler sacanagens escritas por você pra depois tu comer ela todinha

.

.

Escrevia Contos, contos sobre minha vida interiorana; andar de bicicleta no final do dia, pescar com papai de canoa a remo, etc. Porém os conteúdos predominantes nessas curtas estórias vinham recheados de dilemas éticos, repúdio às injustiças humanas e falta de respeito ao meio ambiente.

Após escrevê-los, compartilhava via e-mail com meus amigos. Cibele, colega de curso, encostou em mim quando criava um desses contos. Fitou-me sensualmente:

 Tá escrevendo o quê?

 Só mais um conto enquanto a aula não acaba  respondi.

Ela permaneceu me olhando diferente, sorrindo maliciosa. Eu, ingênuo (ou idiota mesmo), levei na esportiva. Cibele continuou, direta:

 Você não escreve nada erótico?

Espontaneamente sorri, refutei espantado:

 Não. Meus Contos geralmente falam de conceitos morais, éticos. Sobre como viver bem em sociedade.

A moça fechou o viso, se encolheu no canto. Antes soltou um murmúrio:

 Vou voltar a assistir aula.

Sentido culpado, buscando me redimir, toquei no ombro dela e salientei (provavelmente o maior erro que cometi):

 Eu sei de um cara que escreve sacanagem de maneira legal, até…

 É, e quem é?  Perguntou ela ansiosa.

 Um tal de Ricardo Kelmer, ele tem um blog, mora em São Paulo eu acho. Entre lá e dê uma olhada.

Anotei num papel o endereço eletrônico pra ela.

Semanas depois conversando com amigos na mesa de bar, relatei o ocorrido. Os filhos da puta riram da minha cara, e pior, com razão. Ainda falaram “cara, essa tal de Cibele queria era te dar. Queria ler sacanagens escritas por você pra depois tu comer ela todinha.” Desesperado, corri ao telefone e liguei para Cibele. O celular deu fora de área. Lembrei do número residencial, liguei. Logo sua mãe atendeu e me relatou sua ausência, havia saído de férias para São Paulo. Foi o fim. Tenho certeza, Cibele foi dar ao tal Ricardo Kelmer. Que merda!

.

> Rômero Barbosa mora em Porto Nacional, Tocantins

.

.

LEIA NESTE BLOG

> Cristal – Ele quer falar sobre tudo que viveu ali dentro, todos aqueles anos, os amores e desamores, o quanto sofreu e fez sofrer, perdeu e se encontrou… Mas não precisa, ela já sabe

> Desconstruindo Kelmer (por Wanessa, inspirado no conto Cristal) – Totalmente metida e curiosa, eu me debrucei sobre o conto e fiz minha própria interpretação. Bem, a presença da Mestra, a vida, a Deusa, o Tao, o fluxo irrevogável de tudo, não me espanta que seja uma figura feminina…

> Inculta e bela, dengosa e cruel – Então arrumei de novo a mochila, me despedi com muitos beijos, seu hálito de vodca me soprando toda a sorte do mundo, eu barquinho de papel rio abaixo, louco para ir, doido para ficar

> Maior que meu horizonte (por Wanessa, inspirado na crônica Inculta e Bela, Dengosa e Cruel)E quando eu penso que ele já está de novo envolvido em meus contornos, hipnotizado pelo balanço dos meus quadris e minha maré, ele foge

> Confissões de uma leitorinha nua (Por Leitorinha) – Fiquei tão à vontade pra ler a página dele na net que agora o fazia completamente nua

> Canalha Kelmer (Por Rômero Barbosa) – Cara, essa tal de Cibele queria era te dar. Queria ler sacanagens escritas por você pra depois tu comer ela todinha

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

 Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

COMENTÁRIOS
.



Cio das Letras – Ensaio erótico 2

agosto 10, 2011

Ricardo Kelmer 2011

Tá no ar a segunda parte do Cio das Letras, um ensaio erótico que fiz sobre amor, paixão e desejo. Utilizei poemas meus e letras de músicas que fiz com parceiros, além de montagens com imagens de mulheres muuuito especiais.

Como o ensaio faz parte dos Arquivos Secretos, somente Leitores Vips têm acesso. Então, você que é Leitor Vip pode conferir o ensaio acessando a postagem anterior. Ou clicando no link logo abaixo. Depois é só digitar a senha, que está nos e-mails mensais que você recebe com novidades do blog.

> Cio das Letras – Ensaio erótico 2 (VIP)

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

.

LEIA NESTE BLOG

> Cio das Letras – Ensaio erótico 1 (VIP) – Poemas e imagens pra celebrar o erotismo

> Cio das Letras – Ensaio erótico 2 (VIP) – Poemas e imagens pra celebrar o erotismo

> Por trás do sexo anal – Há algo de divinamente demoníaco no sexo anal que, literalmente, a-lu-ci-na algumas mulheres

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você medo do desejo feminino, é melhor não ir…

.

SÉRIES ERÓTICAS DESTE BLOG

> As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi – A mais bela e safada história de amor jamais contada.

> As taras de Lara – Desde pequena que Lara só pensa naquilo. E ai do homem que não a satisfaz.

> Um ano na seca – O que pode acontecer a um homem após doze meses sem sexo?

> O último homem do mundoO sonho de Agenor é que todas as mulheres do mundo o desejem. Para isso ele está disposto a fazer um pacto com o diabo. Mas há um velho ditado que diz: cuidado com o que deseja pois você pode conseguir…

.

DICA DE LIVRO

> A entrega – Memórias eróticas (Toni Bentley, editora Objetiva) – A ex-bailarina filosofa sobre sua experiência de salvação através do amor e da submissão no sexo anal

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
–  Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.


Protegido: Cio das Letras – ensaio erótico 2 (VIP)

agosto 10, 2011

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


Reencarnação e vidas simultâneas

maio 27, 2011

Ricardo Kelmer 2011

A vida de Luca e Isadora no século 16 influencia suas vidas no século 21 e vice-versa, como se o “eu” existisse em mais de uma vida ao mesmo tempo
.

.

Já pensou você descobrir que numa outra vida já viveu um amor daqueles com a pessoa que hoje tá com você?

É sobre isso o meu romance O Irresistível Charme da Insanidade. É a história do amor maluquete do casal viajandão Luca e Isadora. Ele é um cantor de blues e ela uma mochileira taoísta que acredita ser ele a reencarnação de seu grande amor do século 16. A história se passa simultaneamente na Espanha quinhentista e nas praias do Nordeste do século 21.

Pra mim, particularmente, a teoria da reencarnação não faz sentido. Mas é uma ideia que pode render boas histórias. A prova disso é o sucesso dos livros espíritas com suas histórias românticas sobre amores através dos séculos. Tem quem goste. Eu, porém, acho esses livros de uma caretice irritante, argh!, um moralismo açucarado e gosmento, aaaargh!, o bem e o mal muito bem definidinhos, seres da luz e seres das trevas, aaaaaaaargh!!! Quem gosta de moralismo e caretice, é bom nem chegar perto do meu romance, vou logo avisando…

Mas voltemos à ideia. Já pensou você descobrir que numa outra vida já viveu um amor daqueles com a pessoa que hoje tá com você? Uau!!! Deve ser emocionante, heim? Viver um grande amor já é algo incrível – e viver um grande amor através dos séculos, já pensou? Bem, isso também pode render alguns probleminhas extras pois o casal terá o dobro de motivos pra brigar, além de se confundirem o tempo todo:

– Aquela fulaninha tá ligando pra você de novo.

– De novo não, naquela época não tinha telefone. E você, já deu pro Betão?

– Dei mas foi na outra vida.

– Acho que a gente tá passando pela crise dos sete séculos…

Mas… e se a outra pessoa não acredita em reencarnação, acha essas coisas uma grande bobagem, acha que você tá viajando na maionese, e aí? O que você faria? Tentaria fazer com que ela lembrasse, através, por exemplo, de uma terapia de vidas passadas ou de outra técnica? Ou se conformaria e deixaria pra lá? E se de repente você se pegasse agindo de forma estranha, como, por exemplo, culpando a outra pessoa por coisas da outra vida?

Esse é justamente o tema central do meu romance. Nele, no entanto, a ideia da reencarnação funciona como um gancho pra uma outra ideia: a multidimensionalidade do ser, em que a consciência não está restrita ao corpo físico nem ao tempo presente mas atua simultaneamente em várias dimensões do tempo-espaço. A vida de Luca e Isadora no século 16 influencia suas vidas no século 21 e vice-versa, como se o “eu” existisse em mais de uma vida ao mesmo tempo e elas estivessem conectadas.

É uma ideia bem louca, eu sei, eu sei. Mas tem seu charme, admita.

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

.

Mais sobre o livro e trilha sonora

Pra adquirir o livro

.

.

.

.

.

.

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01 COMENTÁRIOS
.

.


A prostituição na sala de estar

fevereiro 24, 2011

Ricardo Kelmer 2009

Quem resiste ao fetiche de acompanhar o cotidiano de uma lolita que vende sexo?
.

.

Sua história é mesmo sedutora. Uma menina de 17 anos, paulistana de classe média, briga com os pais, sai de casa e se prostitui por três anos enquanto narra seu dia a dia num blog, cativando milhares de leitores homens e mulheres, adultos e adolescentes. Ela atua num filme pornô, lança um livro sobre sua vida que vende horrores, atrai a atenção da mídia internacional, supera problemas com drogas, casa com um ex-cliente que deixa a mulher pra viver com ela e, por fim, larga a prostituição. Mas o mundo não larga dela. A apaixonante história de Raquel Pacheco, nome verdadeiro da garota de programa Bruna Surfistinha, agora está no cinema. E, ainda que você não goste, está também em sua casa.

Internet, esse é o segredo do fenômeno cultural Bruna Surfistinha. Se não fosse a ideia de narrar sua vida num blog como nos diários íntimos das adolescentes, ela seria apenas mais uma entre as prostitutas deste país. Quem resiste ao fetiche de acompanhar o cotidiano de uma lolita que vende sexo? Ninguém. Eu também não resisti. Acrescente a isso o eterno fascínio que causa o arquétipo da prostituição e, hummm, temos uma receita de sabor irresistível.

Foi feliz a escolha do nome: “Bruna” é moderno e “Surfistinha” evoca algo de safadice misturado com meiguice e inocência e ainda tem um quê de esportivo e saudável. Aí a gente acessava o blog e via que a menina era gatinha e não tinha aquele jeitão de malaca espertalhona comum às que são do ramo. Ela parecia ser tão verdadeira e espontânea no que fazia que, não, aquilo não podia ser uma pegadinha. Só mesmo ligando pra ela pra conferir.

O fato de Raquel gostar do que fazia e assumir isso em seu blog era mais um tempero na sedução. Ela preferia a prostituição pois adorava fazer sexo com homens e mulheres e curtia os clubes de swing. Ela tinha orgasmos com seus clientes e os respeitava e atendia às suas fantasias. E mesmo depois de famosa, Raquel não achou justo cobrar mais caro pois sabia que, pra muitos de seus clientes, uma hora com ela custava alguns dias de trabalho. Uma menina bonita, de boa família, que é puta porque quer e não tá nem aí pras leis do mercado – você achava que isso só existia nos filmes, né? Eu também.

Raquel destruiu uma velha imagem da prostituta, a da moça pobre-coitada que é obrigada a alugar o corpo por não ter outra opção. Raquel não. Ela estudava em colégio bom e possuía bom nível cultural. Poderia ter arrumado outro trabalho mas, não, ela quis ser puta. Planejava juntar grana e largar a prostituição, sim, mas enquanto isso não ocorria, ela vivia com alegria e não se arrependia de sua escolha. Depois de Raquel Pacheco as teses sociológicas terão de ser refeitas pra falar dessas mulheres que agora a sociedade sabe que existem: meninas de classe média que, em busca de vida melhor e de custear os estudos mais rapidamente, recusam os salários e condições oferecidos pelos empregos tradicionais e encontram na prostituição um ofício honesto, com seus prós e contras mas com vantagens financeiras incomparáveis e que a cada dia é visto com menos preconceito.

E agora a história ganha as telas. Editoras lançam livros, profissionais do sexo saem do armário e a TV põe o assunto dentro dos lares. A sociedade descobre que ama e odeia e rejeita e quer o sexo pago e que, mesmo em tempos de liberação sexual, ele resiste e já não tem vergonha de mostrar o rosto. No século 21 a prostituição ainda polemiza mas continua fascinante e sedutora. E agora tem um certo charme pop. Como a história de Raquel.

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

.

O FILME

Bruna Surfistinha

Drama, Brasil, 2011,  109 minutos
Direção: Marcus Baldini
Roteiro: José Carvalho, Homero Olivetto e Antonia Pellegrino
Elenco: Deborah Secco, Drica Moraes, Cássio Gabus Mendes, Guta Ruiz
Censura: 16 anos

.

CARTAZES DO FILME

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

SAIBA MAIS

> Blog de Raquel Pacheco
> Entrevista com Raquel Pacheco (TV Estadão, 17.11.09)
> Bruna Surfistinha na Wikipedia
> Bruna Surfistinha no New York Times
(27.04.06)

> O que aprendi com Bruna Surfistinha – Lições de uma vida nada fácil (Raquel Pacheco, Panda Books, ). Livro digital para baixar.
> O doce veneno do pecado – Crônica de Arnaldo Jabor no estadão, 15.03.11

.

Treiler oficial do filme

.

.

MAIS SOBRE SEXUALIDADE FEMININA

> As fogueiras de Beltane – A sexualidade sem culpa de uma sacerdotisa pagã

> A noiva lésbica de Cristo – Se hoje a sexualidade feminina ainda apavora a mentalidade cristã, no século 17 ela era algo absolutamente demoníaco

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

> O íncubo – Íncubos eram demônios que invadiam o sono das mulheres para copular com elas – uma difundida crença medieval. Mas… e se ainda existirem?

> Lolita, Lolita – Ela é uma garotinha encantadora. E eu poderia ser seu pai. Mas não sou…

> A gota dágua – A tarde chuvosa e a força urgente do desejo. Ela deveria resistir mas-

> A torta de chocolate – Sexo e chocolate. Para muita gente as duas coisas têm tudo a ver. Para Celina era bem mais que isso…

> O mistério da cearense pornô da California – Uma artista linda e gostosa, intelectual e transgressora, que adora perversões e, entre uma e outra orgia, luta pela liberação feminina

> A entrega – Memórias eróticas (Toni Bentley, Editora Objetiva/2005) – A ex-bailarina filosofa sobre sua profunda experiência de amor e submissão através do sexo anal

> Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino – Livro de contos e crônicas sobre a mulher

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
– Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

COMENTÁRIOS
.

01- A história dela é fascinante? Ou a sociedade se impressiona com pouco? Luciano Es, São Paulo-SP – fev2011

RK: A história da Raquel é fascinante sim. Pra começar, que menina no Brasil, de classe média, com bom nível cultural, saiu de casa aos 17 anos pra se prostituir e ficou famosa no Brasil e no exterior? Quantos escritores venderam 250 mil exemplares de um único livro neste país? Quantas histórias pessoais no Brasil viraram filme?

02- Não há nada de impressionante nisso, é a profissão mais antiga do mundo…dá pena ver uma mulher se degradar a este ponto, vender o corpo, ser usada e usar…somos muito mais do apenas corpo e grana, é viver de forma limitada, é enxergar apenas uma parte da vida, há muito mais nas entrelinhas…ela no fundo tem fome de amor e familia, foi isso que compreendi nesta historia. Adriana Alves, São Paulo-SP – fev2011

RK: Não há nada de degradante em sexo pago, Adriana. Cantores alugam a voz, modelos alugam o corpo. Prostituição é um negócio como qualquer outro, onde há um prestador de serviço e alguém interessado nesse serviço. Por que o serviço “sexo” seria sujo ou imoral? Ah, eu conheço muita mulher com fome de amor e família e não é puta, viu?

03- Vai fazer o seu programa mas depois volte para mim.Beijos Bruninha. Ps, Odair José e Zeca Baleiro. Andre Soares Pontes, Fortaleza-CE – fev2011

RK: Eheheh… Esta música do Odair é demais!

04- Lamentável a vida desta vadia. Lamentável pessoas de nível dedicarem tempo e trabalho para idolatrar uma saga de degradação. Lamentável pagar ingresso de cinema ou comprar livro desta sujeira toda. Deus e a educação protejam as famíliuas. Rodrigo, Coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

RK: CD Lamentos Rodrigais. À venda na lojinha da igreja.

05- Eu até tento, uma vez por ano eu leio esta coluna ridícula desse rapaz, e é incrível a capacidade humana de não evoluir, que lixo, mais uma vez perdi meu tempo numa leitura pobre e tosca. Levi Nepomuceno, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

RK: Até o ano que vem, Levi.

06- O impressionante neste filme, é que, ele é além de um simples filme; É um guia à prostituição, onde uma menina de 17 anos [...] termina como uma vencedora que conquistou a sociedade através da venda de seu corpo. No mínimo deplorável para os adolescentes que vê tal pessoa conseguindo sucesso através desses meios; Lamentável que exista uma educação tão fútil, que a grande parte das pessoas que estão vendo este filme é composta de ignorantes, que não se importa com %u201Cvalores morais%u201D que estão sendo destruídos na mente de meninas por todo o país. Simplesmente uma situação lamentável aos jovens, que estão sendo conduzidos para um caminho terrível de fornicação e maus tratos, onde a mídia manipuladora pretende destruir a base familiar e fomentar a degradação moral. Misaell, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

RK: Oi, Rodrigo, Levi Nepomuceno e Misaell! Obrigado por comentarem. Fico feliz de ter leitores tão participativos. Vou sair agora com minha namorada pro swing e quando voltar eu respondo com calma, tá?

07- “Tornamo-nos morais quando somos infelizes” Marcel Proust. Junior, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

08- Ainda bem que percebi o teor de imbecilidade deste artigo antes de terminar de ler e escapei de ter que ler tanta besteira. João Marcelo Rocha Ramalho, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

09- VIVA A LIBERDADE!! FORA A HIPOCRISIA. ABAIXO O PRECONCEITO!!!! Ari, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

10- Dias desses lá vou eu conhecer um trabalho social ali no Benfica, a Associação de Solidariedade aos Meninos e Meninas de Fortaleza que com apoio de Malaga na Espanha e da Prefeitura de Fortaleza desenvolvem um belo trabalho com jovens na tentativa de “dar-lhes outros olhares”. A prostituição é uma fábula, um devir e porque não algo envolvente? Dai me despido de preceitos e minha formação cristã. Será no minimo falso moral dizermos que o dinheiro, o glamour e a sensação de ser desejado(a) não é algo. bom. O filme não evoca ou diz: faça isso ou aquilo. A Associação que visitei tenta acolher. Quem tem a dócil missão ou tarefa são os pais em trabalharem principios, valores e amor. Aos adultos o direito por seus proprios corpos! Erivaldo Teixeira, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

11- degradação total,jamais gastarei nenhum centavo com tal filme q dizem ser de superação,a mudança de valores é notoria e ilária,mas espero q não tenha força,só posso lamentar por toda essa podridão q afeta tantas mentes inocentes e em formação. Silvia Helena, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

RK: Putz, Silvia, como você é muquirana!

12- MUITO BOM O COMENTÁRIO DO SR. ERIVALDO TEIXEIRA.SENSATO E HUMANO; ELE NÃO TENTA JULGAR OU ATIRAR PEDRAS COMO FAZEM ALGUMAS PESSOAS SEMPRE EM NOME DA FÉ! SINTO MUITO PELAS PESSOAS QUE CRUCIFICAM E CONDENAM AOS OUTROS. ACHO SIM, QUE NÃO TEMOS NENHUM DIREITO DE JULGAR E CONDENAR ALGUÉM PELOS SEUS ATOS. Arimatéa de Andrade, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

13- PERCEBA QUE O AUTOR, diz ser SEDUTORA uma história de uma adolescente de 17 anos (Menor de Idade), que por não conseguir evoluir no relacionamento com os pais, prefere sair de casa e se prostituir. É de se imaginar que o autor, considere muitas outras histórias bem sedutoras. Mas o que se esperar de um rapaz que é escritor, roteirista e DONO DE CABARÉ, se tivesse oportunidade talvez até contratasse a tal garota para seu estabelecimento comercial, como atração principal. Levi Nepomuceno, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

RK: Sua sugestão para a atração principal foi aceita, Levi. Pode passar na recepção pra pegar sua cortesia.

14- Que a prostituição é um fato, todos nós sabemos. Porém a história e o filme vêm alimentar a ilusão de muitas meninas que acrdeditarao que ser prostituta é uma boa opção de vida. Enquanto a Raquel “se deu bem”, pelo menos aparentemente, milhares de prostituotas estão sem ver uma luz no fim do túnel. Cheias de decepção, traumas infelizes e sós. O filme pode até ser bom para bilheterias, porém como modelo de vida está longe da verdadeira realidade. Antonio José da Silva, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011

15- O que faz um vencedor? Nos dias atuais o vencedor é aquele que de alguma forma, não importa qual, faz um milhão. Achava que era só coisa de americano…mas já empestou o Brasil. A Bruna é heroína pq no lugar de ter um trabalho convencional, preferiu se prostituir pra manter um alto padrão de vida. Por ter enricado, se encheu de fã. A Maria é heroína pq ganhou um milhão no BBB e agora os fãs juram de pé junto que a moça nao fez video pornográfico. Elá é uma vencedora! É BBB!!! Talvez eu esteja velha…sou do tempo que heroína era Maria Bonita, que largou a vida tranquila para lutar por um ideal…tinha um propósito acima de uma bolsa Louis Viton e um Givenchi. Ou Maria Bonita toparia ser mais uma prostituta para mostrar que venceu e pode comprar um apartamento no Leblon? Sonia, coluna Kelméricas, O Povo OnLine – abr2011


Mulheres que adoram

fevereiro 18, 2011

Ricardo Kelmer 2010

Dar prazer a uma mulher, fazê-la dizer adoro mil vezes por dia…
.

.

Elas agora estão com uma mania que eu, particularmente, acho saborosa. É o tal do “Adoro”. Quando querem dizer que gostam de algo, elas dizem simplesmente: adoro. Às vezes marcam bem as sílabas, pra serem enfáticas, a-do-ro. E quando gostam mesmo, puxam na sílaba tônica, adoooooooooro, o que ocasiona um ligeiro e lindo biquinho. Algumas preferem adorar de um jeitinho diferente, deslocando a tônica pro final, adorooooo. E se gostam muito mesmo, alucinadamente, capricham nas duas, adoooooroooooo!!! E as mais exageradas, aquelas que não querem deixar qualquer dúvida, descarregam a adoração na palavra inteira, aaaaadooooorooooo!!!

Já flagrei algumas a dizer adoro enquanto balançam a cabeça e reviram os olhinhos, como se estivessem em transe. Ou será que estão mesmo em transe e nós homens, tão limitados em nossa capacidade de entendê-las, achamos que estão fazendo tipo? E elas não apenas falam mas também escrevem adoro em seus recadinhos pelo celular e na internet, perfumando a comunicação mundial com suas mimosas expressões de prazer. Dá vontade de agarrar a criatura, eu também te adoooroooooo!!!

Dar prazer a uma mulher, fazê-la dizer adoro mil vezes por dia… O que pode haver de mais recompensador na vida? Fazê-la rir, gargalhar, deixá-la toda molinha de tanto dar risada – isso é uma diliça. Talvez eu tenha alma de palhaço, é bem provável. Mas o fato é que uma mulher rindo é uma coisa maravilhosa de se ver, você não acha? Ouso dizer que uma mulher rindo é tão bonito e poético quanto uma mulher gozando. Bem, há gozos e gozos, eu sei, e há até os que vêm misturado com choro. Aliás, que louco isso, há mulheres que choram tanto quando gozam… Que prazer louco será esse que leva alguém às lágrimas? E por que só elas têm direito a esse nível de prazer? No começo, quando eu via uma mulher chorando no gozo, não sabia o que fazer e achava que estava machucando a moça ou que, sei lá, vai ver ela é louca. Mas ela dizia que não, tá machucando não, continua. Tem certeza?, eu perguntava, desconfiado. E ela, enfática: Continua!!!

E eu continuava, claro, doido é quem não obedece a uma mulher nesse momento.

Putz, desviei demais do assunto. Comecei falando da mania do adoro e terminei em orgasmos chorosos. Pensando bem, as duas coisas até que têm um pouco a ver. Só não pode é querer entender, aí já é pedir demais.

– Sninf…

– Tô te machucando, Jéssica Priscila?

– Sninf… sninf…

– O que foi, meu amor?

– Adoro.

– Ahn?

– Sninf…

– Não tô entendendo.

– Buááááá!!!

– O que foi agora?

– Aaaaadoooooorooooo!!!

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

.

> Meu livro novo tá nascendo. Quer participar?

Adquirindo seu exemplar na pré-venda (até 24fev), você ganha desconto e seu nome constará no livro, na seção Leitores Especiais. Você receberá seu livro pelo correio em abril com dedicatória. Clique aqui.

.

LEIA NESTE BLOG

> Kelmer Para Mulheres - Nesta seção do blog, homem fica de fora

> Mulher marrenta e homem vaidoso – Estamos tentando equilibrar os princípios yin e yang na psique – mas aqui e ali erramos na dosagem

> Mulheres que adoramDar prazer a uma mulher, fazê-la dizer adoro mil vezes por dia…

> Insights e calcinhas - Uma calcinha rasgada pode mudar a vida de uma mulher? Ruth descobriu que sim

> O íncubo – Íncubos eram demônios que invadiam o sono das mulheres para copular com elas – uma difundida crença medieval. Mas… e se ainda existirem?

> Cabaré Soçaite - Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir a essa festa

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
– Promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

 COMENTÁRIOS
.

01- simmmm, muito bom é assim mesmo. adoroooo! existem homens como vc, chico buarque, que observam muito o universo feminino e acabam sabendo mais de nós, do que nós mesmas. Arlene Amorim, Rio de Janeiro-RJ – fev2011

02- Ah, Ricardo Kelmer, se todos fossem no mundo iguais a você…Que maravilha viver! :)))) Parabéns pelo texto, pela leveza (liberdade) e pela sensibilidade. Adooooooooooooooro! :D. Márcia Oliveira, Fortaleza-CE – jul2011

03- Kelmer, eu adooooooooro essa sua crônicas!!!!!! Bjssssssssss. Ana Luiza Cappellano, Juandiaí-SP – jul2011

04- Ai, Kelmer, até você já percebeu isso? Pois eu ADORO, a-do-ro, adorooooooooooooo !!! rsrsr. Meire Viana, Fortaleza-CE – jul2011

05- A-DOOOO-ROOOOOO. Luciana Pessoa, São Paulo-SP – jul2011

06- Só agora, depois de “curiar” o seu blog é que entendi a história de mulheres que adoram….rs…pois é, aaaaddddoooooorrrrooooo seus textos. Rosângela Aguiar, Fortaleza-CE – ago2011


Cio das Letras – ensaio erótico 1

fevereiro 11, 2011

Ricardo Kelmer 2011

Tá no ar a primeira parte do Cio das Letras, um ensaio erótico que fiz sobre amor, paixão e desejo. Utilizei poemas meus e letras de músicas que fiz com parceiros, além de montagens com imagens de mulheres muuuito especiais.

Como o ensaio faz parte dos Arquivos Secretos, somente Leitores Vips têm acesso. Então, você que é Leitor Vip pode conferir o ensaio acessando a postagem anterior. Ou clicando no link logo abaixo. Depois é só digitar a senha, que está nos e-mails mensais que você recebe com novidades do blog.

A segunda parte do ensaio será publicada em breve. Se alguma leitorinha se animar, por favor, não faça cerimônia, pode enviar uma foto sua pra participar também. Pra mim será uma grande honra!

> Cio das Letras – Ensaio erótico 1 (VIP)

.

Ricardo Kelmer 2011 – blogdokelmer.com

.

.

LEIA NESTE BLOG

> Cio das letras – Ensaio erótico 2 – Poemas e imagens pra celebrar o erotismo. Acesso livre

> Cio das Letras – Ensaio erótico 1 (VIP) – Poemas e imagens pra celebrar o erotismo.Exclusivo para Leitor Vip.

> Cio das Letras – Ensaio erótico 2 (VIP) – Poemas e imagens pra celebrar o erotismo. Exclusivo para Leitor Vip

> Por trás do sexo anal – Há algo de divinamente demoníaco no sexo anal que, literalmente, a-lu-ci-na algumas mulheres

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

.

SÉRIES ERÓTICAS DESTE BLOG

> As aventuras de Diametral e Ninfa Jessi – A mais bela e safada história de amor jamais contada.

> As taras de Lara – Desde pequena que Lara só pensa naquilo. E ai do homem que não a satisfaz.

> Um ano na seca – O que pode acontecer a um homem após doze meses sem sexo?

> O último homem do mundoO sonho de Agenor é que todas as mulheres do mundo o desejem. Para isso ele está disposto a fazer um pacto com o diabo. Mas há um velho ditado que diz: cuidado com o que deseja pois você pode conseguir…

.

DICA DE LIVRO

> A entrega – Memórias eróticas (Toni Bentley, editora Objetiva) – A ex-bailarina filosofa sobre sua experiência de salvação por meio do amor e do sexo anal

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

Acesso aos Arquivos Secretos
–  Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01 COMENTÁRIOS
.


Protegido: Cio das Letras – ensaio erótico 1 (VIP)

fevereiro 11, 2011

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


Cio das letras: Sandra Regina

dezembro 3, 2010

Ricardo Kelmer 2010

Conheci Sandra Regina em julho, no sarau Sopa de Letrinhas, evento produzido pelo Vlado Lima. Depois ela assistiu ao meu espetáculo Viniciarte e me deu seu livro de presente. Sempre bom conhecer mulheres que não têm medo de fazer literatura erótica.

O texto sentido
Sandra Regina, poemas
Ilustração: Angela Giseli
1a edição, 2008, São Paulo-SP
Editora Limiar – editoralimiar.com.br

contato: sanrsouza(arroba)hotmail.com

.

.

enquanto falo
Sandra Regina
.

Enquanto a mão explora
A pele exposta
E contorna a forma firme
Que se mostra…
Enquanto a língua se enrola
Nos pêlos e faz o desenho da trilha
Que vai do umbigo à virilha
E é percorrida pelos dedos
Enquanto os lábios se molham
Na saliva que engulo
E misturo com o sêmen
Que me jorra por dentro
… Você lateja e me beija
completo e saciado
enquanto na boca guardo
(ainda ereto)
O gosto do falo

.

.

Ricardo Kelmer – blogdokelmer.wordpress.com

.

> Poemas e músicas de RK

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

 Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.


A noiva lésbica de Cristo

novembro 16, 2010

Ricardo Kelmer 2010

Se hoje a sexualidade feminina ainda apavora a mentalidade cristã, no século 17 ela era algo absolutamente demoníaco

ANoivaLesbicaDeCristo-01.

Benedetta Carlini foi abadessa de um convento no século 17 na pequena cidade italiana de Pescia. Era uma mulher mística e visionária, que ganhou fama por seus encontros sobrenaturais com Jesus Cristo e que em seus transes obrava milagres, sofria com estigmas em seu corpo e falava em várias línguas. Num de seus transes aceitou o pedido de Cristo e casou-se com ele em cerimônia realizada na capela do convento, diante de várias pessoas.

As autoridades eclesiásticas, desconfiadas, promoveram um inquérito, analisando detalhadamente o caso. Ao final, a investigação concluiu que a abadessa, na verdade, era vítima de enganações do Diabo, e revelou também que ela e sua ajudante, a jovem freira Bartolomea Crivelli, mantinham relações sexuais secretas no convento. Benedetta escapou da condenação na fogueira mas foi isolada na prisão do convento, onde ficou por 35 anos, até sua morte aos 71 anos.

A incrível história de Benedetta foi descoberta pela historiadora estadunidense Judith C. Brown no Arquivo do Estado de Florença. Impressionada com o material que encontrara, Judith o transformou no livro Atos Impuros – A vida de uma freira lésbica na Itália da Renascença, lançado em 1986. Numa ágil narrativa romanceada, Atos Impuros nos leva a acompanhar as investigações eclesiásticas sobre Benedetta, oferecendo-nos uma boa oportunidade de observar a vida social na Renascença e o cotidiano dos conventos no século 17. E também expõe o modo cruel que a Igreja Católica tinha de lidar com duas questões que até hoje lhe são bastante embaraçosas: a espiritualidade e a sexualidade femininas.

Religião é controle. Uma prova disso é que os líderes religiosos tendem a desestimular o contato direto das pessoas com a divindade pois isso desestabiliza a hierarquia, desvalorizando o papel intermediador dos sacerdotes. Outra forma de controle religioso é a repressão da sexualidade. Como o Cristianismo é uma religião de homens que têm pavor da natureza e do feminino, eles desde o início buscaram reprimir e controlar a mulher, associando-a ao sexo pecaminoso. E ainda fazem isso até hoje.

Espiritualidade e sexualidade – o caso de Benedetta mexe nos dois vespeiros de uma só vez. Uma mulher que mantém uma intensa relação mística com Cristo a ponto de ser eleita por ele sua noiva, que obra milagres e se torna famosa e querida entre o povo era algo ameaçador demais para a estrutura de poder da Igreja, e ainda mais se essa mulher era uma abadessa e, para completar, lésbica. Se hoje a sexualidade feminina ainda apavora a mentalidade cristã, no século 17 ela era algo absolutamente demoníaco.

Apesar de toda a repressão do Cristianismo, o arquétipo do feminino livre manteve-se vivo na psique das mulheres e cada vez mais elas despertam para vivê-lo conscientemente em suas vidas. São mulheres que mantêm sua própria relação com o sagrado sem se deixar prender por dogmas religiosos, e vivem sua verdadeira sexualidade sem a culpa que a religião insiste em lhes impor. No século 17 a mulher livre foi presa e queimada viva. Hoje a religião não tem mais o mesmo poder de ditar o que as pessoas devem ser e como devem se relacionar com o divino. É a liberdade vencendo o medo do inferno.

.

Ricardo Kelmer 2010 – blogdokelmer.com

.

O LIVRO

A edição de Atos Impuros que li é a da editora Brasiliense, 1987. Não encontrei nenhuma capa da edição brasileira em boa definição. Mas encontrei a capa de uma edição em italiano e outra em inglês.

Há edições em português disponíveis pra compra no site Estante Virtual.

.

LEIA TAMBÉM

> Estrela da música cristã anuncia que é lésbica (oglobo.globo.com, 13.04.10)
> Lésbica é eleita bispa na Suécia (estadao.com.br, 09.11.09)
> Lésbicas se casam em igreja evangélica do Rio (
meionorte.com, 08.09.10)
> Bissexualidade feminina não é só uma fase de indecisão (oglobo.globo.com, 17.01.08)
> Ateus.net – Ateísmo e liberdade, humor, chat e muito mais
> ATEA – Assoc. Bras. de Ateus e Agnósticos – Vale a pena conhecer. Ou você tem medo de mudar de ideia?

.

MAIS SOBRE SEXUALIDADE FEMININA

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

> O íncubo – Íncubos eram demônios que invadiam o sono das mulheres para copular com elas – uma difundida crença medieval. Mas… e se ainda existirem?

> Lolita, Lolita – Ela é uma garotinha encantadora. E eu poderia ser seu pai. Mas não sou…

> A gota dágua – A tarde chuvosa e a força urgente do desejo. Ela deveria resistir mas…

> A torta de chocolate – Sexo e chocolate. Para muita gente as duas coisas têm tudo a ver. Para Celina era bem mais que isso…..

> O mistério da cearense pornô da California – Uma artista linda e gostosa, intelectual e transgressora, que adora perversões e, entre uma e outra orgia, luta pela liberação feminina

> Bettie Page, nós te amamos – Ela é um ícone da moda, da arte erótica e também do universo BDSM, inspirando artistas e fetichistas

> Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino – Livro de contos e crônicas sobre a mulher

.

AFINIDADES

> Entrevista: Fundador de grupo de ‘cura de homossexuais’ que se assumiu gay – Entrevista com Sergio Viula para o site eleicoeshoje.com.br, 25.10.11

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

– Acesso aos Arquivos Secretos
– Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

01- Escreve demaaaaisss!!! E como é bom ler seus textos impregnados de energia da deusa mãe!!! Continue prenhe de luz de inspiração, caro irmão terráqueo!!! Bjs. Vou ver se escapo de um outro compromisso e vou pro Cabaré, que lá, sim, é lugar de mulher séria!!! Bjsss. KK, Fortaleza-CE – nov2010

02- Kelmer, texto excelente. Obrigada. Ana Paula, Fortaleza-CE – nov2010

03- Positivamente concordo com você. A sexualidade feminina ainda não se descobriu de todo, principalmente em sua relação com o sagrado. E até em nós mesmas ainda há restrições que impedem essa relação sagrada de se manifestar. Abadessa? Uma bruxa,isto sim, em sua essência na melhor acepção deste termo. A melhor acepção possível. Relações com o sagrado ATRAVÉS do sexo. Isto sim!Quando todas as mulheres e homens descobrirem isto serão de fato felizes. Fátima Braga, Recife-PE – nov2010

04- Kelmer, é a própria história “verdadeira” da beata Maria de Araújo. A mesma contada por ela nos depoimentos ao santo ofício, registrados no inquérito contra o padra cícero. Parece que são várias, não digo lésbicas, mas beatas que casavam com cristo. beijos. Veronica Guedes, Fortaleza-CE – nov2010

05- Maravilhosa crônica, Kelmer! =) beijos. Larissa Azevedo, Natal-RN – nov2010

06- Pois é, criatura daimônica, Benedetta, noiva de Cristo, era ANDRÓGINA. MEZZO MOGLIE, MEZZO UOMO. A primeira vez que li sobre ela fiquei fascinada. Que sofrimento atroz o dela, né RK? Que atrocidade separar as amantes! A separação dos AMANTES é um dor excruciante. Dor Bizarra. Patrícia Lobo, Salvador-BA – nov2010

07- Oi Ricardo, Ja ouvi falar dessa história pela parte de meu pai, afinal somos Carlini e creio que Benedetta seria uma de nossas primeiras ansestrais. Conhecidência interessante! Parabéns pelo Blog, Um abraço. Jacqueline Nappo Carlini, São Paulo-SP – nov2010

08- Vou ler esse livro!!! Ana Érika Oliveira Galvão, Fortaleza-CE – mar2014

09- “Hoje a religião não tem mais o mesmo poder de ditar o que as pessoas devem ser e como devem se relacionar com o divino.” Essa frase Ricardo Kelmer é extremamente traiçoeira… Troque “religião” por “sacerdote”, visto que a “religião” ainda opera de forma horizontal entre as massas e sem o bastão vertical (hierárquico) dos sacerdotes! História interessante que não conhecia… Téo Lorent, São Paulo-SP – mar2014

ANoivaLesbicaDeCristo-01a


Por trás do sexo anal (2)

novembro 11, 2010

Ricardo Kelmer 2007

Muito homem faz sexo anal com outras mulheres mas não faz com sua própria mulher  ele simplesmente não consegue transcender, na imagem da mãe de seus filhos, os opostos arquetípicos da santa e da puta

PorTrasDoSexoAnal-02.
rapidinhas anais

Uma amiga certa vez me disse que muitas mulheres até sentem vontade de dar a bunda. Porém, ficam receosas sobre o que o cara vai pensar delas. Bem, imagino que isso aconteça mesmo, o que tem de homem idiota por aí não é brincadeira. Mas penso que uma mulher realmente livre, que vive plenamente sua vida e sua sexualidade, sempre será maior que qualquer preconceito.

Em seu livro O Doce Veneno do Escorpião, Bruna Surfistinha fala de sexo anal e aconselha as mulheres a praticá-lo como forma de seduzir, conquistar, agradar e manter um homem, de tanto que eles gostam da coisa. Muitas mulheres talvez não levem Bruna Surfistinha a sério por ela ter sido prostituta. Deveriam levar. Pelo mesmo motivo.

Acessórios indispensáveis pro sexo anal: lubrificante, paciência e preliminares. E o melhor de todos: tesão. Pra grande maioria das mulheres, mesmo aquelas já acostumadas, preliminares é fundamental. Jennifer, por exemplo. Ela demorou mas acabou criando sua própria receita de preliminares do anal: duas caipiroscas e três orgasmos. Duas caipiroscas deixam Jennifer no ponto exato de relaxamento e safadice. E três orgasmos vaginais são o limite: se ela goza mais de três vezes, grande parte do tesão se vai e aí ela perde a vontade de dar a bunda. Garota esperta…

Sexo anal não provoca hemorróida nem solta o intestino. Repetindo: sexo anal não provoca hemorróida nem solta o intestino. Só mais uma vez: sexo anal não provoca hemorróida nem solta o intestino. Entendido, né? Vamos em frente.

Por envolver um tipo de prazer subversivo, o sexo anal tá intrinsecamente ligado à liberdade. Liberdade sexual, liberdade de ousar, desafiar convenções e preconceitos, transgredir, romper barreiras, se aventurar pelos caminhos do proibido. Por isso que muito homem faz sexo anal com outras mulheres mas não faz com sua própria mulher ele simplesmente não consegue transcender, na imagem da mãe de seus filhos, os opostos arquetípicos da santa e da puta. Toda mulher é santa e puta: é pura e recatada e ao mesmo tempo é livre e devassa. Isso não é nenhuma novidade mas assim como nem toda mulher consegue harmonizar esses opostos em si, transcendendo sua aparente contradição, nem todo homem consegue superar essa mesma dicotomia. Homens que temem mulheres livres jamais amarão uma mulher que goza dando a bunda.

E o tal fio-terra? Não seria uma contradição que os homens gostem tanto de sexo anal e ao mesmo tempo tenham pavor que elas lhe metam o dedo? É contraditório sim mas homem é assim mesmo, é bobo. Seu medo ridículo de parecer homossexual só tem equivalente no medo da mulher de parecer puta. Ambos são vítimas da própria sociedade que construíram, que os faz temer a própria sexualidade e, assim, ambos se privam de terem mais prazer e serem mais completos e felizes. Os homens temem que obter prazer pelo cu com suas mulheres possa lhes afetar a masculinidade, esquecendo algo absurdamente óbvio: homem homossexual é aquele que sente atração por homem.

Será que, depois dessa, decretei minha própria expulsão do clube do Bolinha?

a mulher e a pérola

O discípulo pergunta a seu mestre:

 Sábio e venerável mestre, poderia ensinar-me a diferença entre uma pérola e uma mulher?

O Mestre, impassível em sua posição de meditação, responde:

A diferença, curioso Gafanhoto, é que numa pérola pode-se penetrar pelos dois lados, enquanto numa mulher somente por um lado.

O discípulo coça a cabeça, um tanto confuso.

Ahn… Longe de mim duvidar de vossa indubitável sabedoria, Mestre, mas… ouvi dizer que certas mulheres permitem e até apreciam ser penetradas pelos dois lados.

O Mestre dá um leve sorriso…

Nesse caso, Gafanhoto, não se trata de uma mulher e sim de uma pérola.

.

Ricardo Kelmer 2007 – blogdokelmer.com

.

.

DICA DE LIVRO

- A entrega – memórias eróticas (Toni Bentley)
Editora Objetiva/2005. A ex-bailarina filosofa sobre sua experiência de amor e salvação pelo sexo anal.

Sexo anal sem dor – Site com dicas, relatos, contos, acessórios etc.

.

.

LEIA NESTE BLOG

> Por trás do sexo anal (1) – Se esotérico significa a parte mais oculta de uma tradição ou ensinamento, aquilo que somente iniciados alcançam após muito estudo e dedicação, então o sexo anal é o lado esotérico do sexo

> Por trás do sexo anal (2) – Muito homem faz sexo anal com outras mulheres mas não faz com sua própria mulher – ele simplesmente não consegue transcender, na imagem da mãe de seus filhos, os opostos arquetípicos da santa e da puta

> As taras de Lara – Começando por trás – Lara tinha 13 anos quando o fogo avassalador dos desejos lançou suas primeiras labaredas sobre ela

.

MAIS SOBRE SEXUALIDADE FEMININA

> Cabaré Soçaite – Uma festa de sensualidade – Se você tem medo do desejo feminino, é melhor não ir…

> O íncubo – Íncubos eram demônios que invadiam o sono das mulheres para copular com elas  uma difundida crença medieval. Mas… e se ainda existirem?

> Lolita, Lolita – Ela é uma garotinha encantadora. E eu poderia ser seu pai. Mas não sou…

> A gota dágua – A tarde chuvosa e a força urgente do desejo. Ela deveria resistir mas…

> A torta de chocolate – Sexo e chocolate. Para muita gente as duas coisas têm tudo a ver. Para Celina era bem mais que isso…

> O mistério da cearense pornô da California – Uma artista linda e gostosa, intelectual e transgressora, que adora perversões e, entre uma e outra orgia, luta pela liberação feminina

> A noiva lésbica de Cristo – Se hoje a sexualidade feminina ainda apavora a mentalidade cristã, no século 17 ela era algo absolutamente demoníaco

> Bettie Page, nós te amamos – Ela é um ícone da moda, da arte erótica e também do universo BDSM, inspirando artistas e fetichistas

> Vocês Terráqueas – Seduções e perdições do feminino – Livro de contos e crônicas sobre a mulher

.

.

Seja Leitor Vip e ganhe:

 Acesso aos Arquivos Secretos
Descontos, promoções e sorteios exclusivos
Basta enviar e-mail pra rkelmer(arroba)gmail.com com seu nome e cidade e dizendo como conheceu o Blog do Kelmer. (saiba mais)

.

.

Comentarios01COMENTÁRIOS
.

01- Wanessa Bentowski curtiu isso. Wanessa Bentowski, Fortaleza-CE – jul2011


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 157 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: